SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

sexta-feira, maio 06, 2011

Sede de infinito

O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!
Florbela Espanca

3 comentários:

Silvia Ordonhes disse...

Adoro Florbela Espanca,
Carlos Drumond Andrade e outros
Parabéns Leninha,adoro trocar
poesias ,se você me permiti,posso
deixa-las em seu espaço!
Obrigada!!!

Leninha disse...

Minha casa é sua casa,fique à vontade...Bjssss

Helena disse...

Que delícia!
Amo Florbela!
E essa insatisfação, essa vontade não sei de que, de estar não sei onde, essa sede de infinito a gente também sente às vezes, né?
Adorei isso!
Beijo, amiga querida!

Memórias de uma senhorinha Voltando para casa Enquanto o carro percorria a estrada, pneus rolando no saibro com o barulho caracterís...

Postagens mais visitadas