SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

sábado, abril 30, 2011

MINHAS RAÏZES SÃO AÉREAS

Como é estar viva? 
Debora – Eu preciso dessa sensação boa, sabe, de encontrar os humanos por aí. Mesmo com tanta falta de humanidade nesses espaços para onde vou. Mas humano é isso tudo: essa crueldade, mas também essa riqueza; essa maldade, mas também esse acolhimento do outro. Quando você não tem nada, mas você ainda tem espaço para acolher alguém dentro de você, é interessante, bem interessante. E aí você se dá conta de que o material não é nada. Nada. Tipo... um terremoto pode terminar com tudo isso daqui. E aí quando as pessoas dizem (ela imita a voz): “Mas como, você acabou de comprar seu apartamento e já vai abandonar?”. Eu comprei um apartamento, não comprei uma algema para botar no meu pé. Um apartamento é um lugar para onde você pode voltar quando quiser, ele não vai fugir. Um dia ele pode desaparecer num terremoto, num maremoto, qualquer coisa pode destruir ele. E se esta for a razão para eu viver, talvez eu nunca consiga me recuperar da tragédia dessa perda. Mas acho que, quando o ser humano quer uma razão para viver, ele encontra. Seja uma pedra... talvez uma pedra dê razão para você viver. Você diz: essa pedra aqui é mágica, você vai encontrar a sua sorte com ela. Pegue nessa pedra e atravesse esse rio. Ok. Talvez essa pedra seja uma razão para viver. "

No dia 16 de abril, a gaúcha Debora Noal botou nas costas uma mochila que nunca passa dos 10 quilos. Dentro dela, uma lanterna de cabeça, como as que os mineiros usam, adaptadores de todos os tipos para computador, um gel para lavar as mãos, lenços umedecidos para o banho, um kit de colher, garfo e faca, um canivete, duas camisetas da organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), duas calças jeans, um lenço cor-de-rosa para usar na cabeça em regiões muçulmanas, uma jaqueta térmica, um par de havaianas e outro de tênis, um laptop e um dicionário de português/francês/inglês. Levou ainda uma velha boneca da Magali, personagem do criador Maurício de Sousa, que troca de cara (feliz, triste, zangada, etc), para ajudá-la no atendimento a crianças nos lugares mais remotos e perigosos do mundo. Aos 30 anos, a psicóloga Debora partiu para sua décima missão na MSF. Depois de uma preparação de alguns dias em Genebra, hoje ela está no Quirguistão.

sexta-feira, abril 29, 2011

A PEDRA

A Pedra


















"O distraído nela tropeçou...
O bruto a usou como projétil.
O empreendedor, usando-a, construiu.
O camponês, cansado da lida, dela fez assento.
Para meninos, foi brinquedo.
Drummond a poetizou.
Já, David matou Golias, e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...
E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no Homem!
Não existe 'pedra' no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento."

HISTÓRIA DO NATAL DIGITAL

Saúde emocional: Os benefícios das sementes de amapola | Videos | Bemsimples.com

Saúde emocional: Os benefícios das sementes de amapola | Videos | Bemsimples.com

CASAMENTO REAL

Casamento Real - [EP01] William & Kate - Uma História De Amor [Parte 01-04]

IDADE

DO BLOG DA ROSE
Não aceite a propaganda constante que fala de velhice, esclerose, inutilidade, aposentadoria, imprestabilidade.

Isso é mentira.

A idade nada tem a ver com isso.

Você somente está envelhecendo quando acreditar que está envelhecendo.

Os valores mais fortes da vida, que mantém uma pessoa vigorosa, sadia, jovem, produtiva, não são patrimônio exclusivo de uma fase da existência, mas se encontram em todas as idades.

Você tem a idade dos seus pensamentos.

No momento em que perder o interesse pela vida, você está envelhecendo.

Quando você deixe de sonhar, está envelhecendo.

quinta-feira, abril 28, 2011

TAIPA DO FOGÃO

Quando eu morava na roça, oh meu Deus como era bom.
A gente se reunia lá na taipa do fogão.
Mandioca, milho e cana era nosso plantação.
E tudo se resolvia lá na taipa do fogão.
Meu pai sempre nos dizia : "Eu não gosto de fofocas, enquanto papai falava,
mamãe rebenta pipoca.
As vezes vinha um sanfoneiro, eu pegava o violão e muito se divertia lá na taipa do fogão
A vida na roça é dura, aumenta as dificuldades.
Nós um dia resolvemos vir embora "cá pa cidade".
Cheguemos de tardezinha em cima de um caminhão.
Já estava com saudade lá da taipa do fogão.
Apeamos a mudança, pôr as tralhas no lugar.
Enquanto tem luz do dia, é preciso trabalhar.
Às seis horas vão jantar, a comida esfriou,
o meu pai ficou zangado e pra minha mãe olhou.
Foi só ai que percebemos, quando vimos o botijão,
Faltava alguma coisa, era a taipa do fogão.
O tempo foi passando, nóis agora acostumou.
Mas também já descobrimos o tanto que nóis errou.
Agora chega lá em casa, de noite ta tudo mudo.
De alguns trabalham, á noite outros estudam.
Mas a coisa que é pior é a tal televisão. Que saudade
que eu tenho lá da taipa do fogão.
Nóis não sabia as notícias e nem via as novelas,
Não tinha sofá na sala e as roupas eram de flanela.
Mas ficávamos juntinhos, se amando como irmãos.
A família reunida lá na taipa do fogão.

quarta-feira, abril 27, 2011

OBRIGADO À VIDA

Obrigado à vida que me tem dado tanto deu-me dois olhos que, quando os abro perfeitamente distingo o preto do branco e no alto céu, o seu fundo estrelado e nas multidões, o homem que eu amo. . Obrigado à vida que me tem dado tanto deu-me o ouvido que, em toda a amplitude, grava, noite e dia, grilos e canários martelos, turbinas, latidos, chuviscos e a voz tão terna do meu bem amado. . Obrigado à vida que me tem dado tanto deu-me o som e o abecedário e, com ele, as palavras com que penso e falo mãe, amigo, irmão e luz iluminando a rota da alma de quem estou amando. . Obrigado à vida que me tem dado tanto deu-me a marcha dos meus pés cansados com eles andei por cidades e charcos, praias e desertos, montanhas e planícies pela tua casa, tua rua e teu pátio. . Obrigado à vida que me tem dado tanto deu-me o coração que todo se agita quando vejo o fruto do cérebro humano, quando vejo o bem tão longe do mal, quando vejo no fundo do teus olhos claros. . Obrigado à vida que me tem dado tanto deu-me o riso e deu-me o pranto assim eu distingo a felicidade da tristeza, os dois materiais de que é feito o meu canto e o canto de todos, que é o meu próprio canto . Obrigado à Vida Obrigado à Vida Obrigado à Vida Obrigado à Vida . de Violeta Parra ( Trad. de F.L. ) .

terça-feira, abril 26, 2011

SABORES DE ANJO AZUL

Existe nome mais poético para um blog de culinária?eu creio que não,Manuela faz poesia até em suas incursões gastronômicas...e,hoje,do além mar,nos chega esta beleza de receita,de se
saborear de joelhos...    
Ingredientes:
Para a base:
-4 pacotes de bolacha maria
-100g de manteiga

RECHEIO:
-2 pacotes de natas
-1 lata de leite condensado
-4 folhas de gelatina
-doce de frutos silvestres
- Frutos silvestres para decorar
Pique as bolachas e amasse com a manteiga.
Forre o fundo de uma tarteira ou forma de aro com esta base. Reserve.
Hidrate as folhas de gelatina e dissolva em cerca de 0,5dl de água quente(pode ser no microondas)
Bata as natas até ficarem espessas.Adicione o leite condensado, misturando levemente.Incorpore a gelatina dissolvida.
Coloque por cima da base da tarte. Leve ao frio até prender.
No momento de servir, espalhe o doce de frutos silvestres.Decore com os mesmos frutos.
Et...voilà!
                     
     

segunda-feira, abril 25, 2011

BATATAS À Mrs.ANNA

Ingredientes

4 batatas grandes (batata roxa ou para fritar)
3 colheres de sopa de água
2 colheres sopa de Azeite
Sal e Pimenta q.b.

Preparação

Partir as batatas um pouco mais grossas do que se partiriam se fossem para fritar. Distribuí-las numa frigideira anti-aderente e, por cima, deitar a água e o azeite. Temperar com o sal e pimenta a gosto e deixar cozinhar em lume brando, com tampa, mexendo de vez em quando.
As batatas acabam por ir, simultanemante, corando e cozendo, estando prontas ao fim de 25 a 30 minutos.  PASSEANDO PELOS BLOGS AMIGOS ENCONTREI ESTA RECEITA DA LUARTE<QUE POR SUA VEZ,ENCONTROU NO BLOG "FESTA DE BABETTE".SOLICITEI SUA PERMISSÃO PARA PUBLICÁ-LA,UMA VEZ QUE ACHEI-A MUITO APETITOSA.OBRIGADA,QUERIDA AMIGA LUARTE.

SONETO DE FIDELIDADE

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
Vinícius de Moraes

sexta-feira, abril 22, 2011

ORAÇÃO A SÃO JORGE

  u  andarei  vestido  e  armado, com as armas  de  São Jorge. Para  que  meus  inimigos tendo  pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem, nem pensamentos eles possam ter para me fazerem mal. armas de fogo o  meu corpo não alcançarão, facas  e  lanças  se  quebrem  sem  ao  meu corpo chegar, cordas  e correntes se quebrem sem ao meu corpo,  amarrar.        
    São Jorge, cavaleiro corajoso, intrépido e vencedor;  abre os meus caminhos.  ajuda-me  a  conseguir  um  bom emprego;   faze com  que   eu  seja  bem  quisto  por  todos:    superiores,  colegas  e subordinados. que a paz, o amor e a harmonia estejam sempre  presentes  no  meu  coração ,  no  meu lar e  no meu serviço;  vela por mim e pelos meus ,  protegendo-nos sempre ,  abrindo e iluminando os nossos caminhos ,  ajudando-nos também a  transmitirmos  paz, amor e harmonia a todos que nos cercam. amém.
 ( rezar 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e 1 Glória ao Pai.)
 corrente pela paz e prosperidade todo 3º domingo do mês

ORAÇÃO À STA RITA

Oh eterno Deus, cuja misericórdia não tem medidas e o tesouro da tua bondade é infinito, eis aqui prosternado perante a tua divina Majestade, para elevar do profundo do meu coração o hino de agradecimento à tua misericórdia, por quanto me concedes-te, pelos méritos da tua serva S Rita de Cascia. Reconheço oh meu Deus, que infelizmente eu era indigno dos teus favores: mas tu, sempre generoso, não olhaste para a minha miséria, mas sim para as orações que, em meu nome te apresentava a querida santa

          Oh S. Rita, excelsa Taumaturga da Igreja católica, quanto é grande a minha gratidão também cara ti! o meu lábio não tem palavras suficientes para manifestar-te os sentimentos do meu coração, verdadeiramente comovido. por tanto benefício. Oh querida Santa, como é verdade que não fica desiludido nas suas esperanças quem confia em teu patrocínio.

          Sê-me sempre favorável, para que eu seja digno das misericórdias de Deus, e da tua protecção na vida e na norte.
Três Pai Nossos, Ave Maria e Glória

quarta-feira, abril 20, 2011

Dez leis: FELIZ PÁSCOA

Dez leis: FELIZ PÁSCOA: "A PÁSCOA E SEUS SÍMBOLOS O nome páscoa surgiu a partir da palavra hebra..."

FELIZ PÁSCOA

Não importa o dia ou o mês do ano em que você se encontre, importa sim, que no seu coração o espírito da Páscoa sempre se faça presente,e,que seguindo este espírito,você semeie paz,amor e espírito cristão por onde passar.Uma feliz Páscoa a todos que me acompanham nesta "blogosfera".

terça-feira, abril 19, 2011

ASSUNTO INSÖLITO

Sei que todos que me dão a honra de ler os meus  posts vão se admirar e se espantar com a nada literária figura ao lado.Mas(para tudo há uma explicação)acontece que passeando pelo mundo dos blogs encontrei uma idéia interessante para quem tem o hábito de ler no banheiro:são vários modelos,com jogos e brincadeirinhas,só não havia o endereço do lugar onde são vendidos.Bem,fica a sugestão e prometo que vou pesquisar e depois darei as devidas direções,endereços e tudo mais.

TRISTEZA

Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção, nem aceitar convites para festas em que nada temos para brindar. Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor – até que venha a próxima, normais que somos.

Alguns dados biográficos

Rabindranath Tagore

Rabindranath Tagore, ou Rabíndranáth Thákhur (रवीन्द्रनाथ ठाकुर), ocidentalizado Tagore, (6 de maio de 1861 em Calcutá, Índia - 7 de agosto de 1941 em Calcutá) foi escritor, poeta e músico indiano
Todas as flores de todos os amanhãs estão nas sementes de hoje.
- Provérbio indiano
6
Enlarge Image Favorite ImageFlag Image

AFORISMOS

~ Aforismos ~
Como as gaivotas e as ondas se encontram, nos encontramos e nos unimos.
Vão-se as gaivotas voando, vão pairando sobre as ondas; e nós também vamos.

Se de noite choras pelo sol, não verás as estrelas.
A luz do sol me saúda sorrindo.
A chuva, sua irmã triste, me fala ao coração. Se faço sombra em meu caminho, é porque há uma lâmpada em mim que ainda não foi acesa.
Teu sol sorri nos dias de inverno de meu coração, e não duvido jamais das flores de tua primavera.
Quando o dia cai, a noite o beija e lhe diz ao ouvido:
'Sou tua mãe a morte, e te hei de dar nova vida'.
O mistério da vida é tão grande como a sombra na noite.
A ilusão da sabedoria é como a névoa do amanhecer.
Lemos mal o mundo, e dizemos logo que nos engana. A borboleta conta momentos e não meses, e tem tempo de sobra.
Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes, e então saberás que eu me feri e também me curei.
Cada criança nos chega com uma mensagem de que Deus ainda não se esqueceu dos homens.
Elogios me acanham, mas secretamente imploro por eles.

segunda-feira, abril 18, 2011

MINAS GERAIS


Minha terra mineira
(Argentino Vidal)
Eu nasci na terra do ouro
Das esmeraldas e diamantes
Do minério vermelho do ferro
De tantas minas contidas
De tantas Minas Gerais

Eu nasci de gente guerreira
De ideais inconfidentes
Sonhadores libertários
Da conquista do ventre da terra
Do nosso solo mineiro

Eu nasci da cultura barroca
De cidades de muitas histórias
Com seus artesões e poemas
Do Congado e Folia de Reis
E das Festas do Divino.

Eu nasci do fogão à lenha
Do tropeiro e da pururuca
Das fazendas de carros de bois
Do puro café e leite
Das goiabadas com queijo

Eu nasci nas terras de Minas
Das montanhas soberanas
Das cachoeiras cristalinas
De gente hospitaleira.
De gente cosmopolita
De sotaque bem roceiro
Com seus trens e muitos uais.

Bão demais da conta sô...

Barbacena-Minas Gerais

Ronda (Bis - Bethânia e as Palavras)

Barbra Streisand - As If We Never Said Goodbye (live)

Pensar é transgredir



Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos.
Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido.
Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo.
Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano. Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante: "Parar pra pensar, nem pensar!"
O problema é que quando menos se espera ele chega, o sorrateiro pensamento que nos faz parar. Pode ser no meio do shopping, no trânsito, na frente da tevê ou do computador. Simplesmente escovando os dentes. Ou na hora da droga, do sexo sem afeto, do desafeto, do rancor, da lamúria, da hesitação e da resignação.
Sem ter programado, a gente pára pra pensar.
Pode ser um susto: como espiar de um berçário confortável para um corredor com mil possibilidades. Cada porta, uma escolha. Muitas vão se abrir para um nada ou para algum absurdo. Outras, para um jardim de promessas. Alguma, para a noite além da cerca. Hora de tirar os disfarces, aposentar as máscaras e reavaliar: reavaliar-se.
Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto.
Somos demasiado frívolos: buscamos o atordoamento das mil distrações, corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas. Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é, o que fazemos com a nossa vida, o tempo, os amores. E com as obrigações também, é claro, pois não temos sempre cinco anos de idade, quando a prioridade absoluta é dormir abraçado no urso de pelúcia e prosseguir, no sono, o sonho que afinal nessa idade ainda é a vida.
Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar.
Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo.
Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos.
Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem.
Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada.
Parece fácil: "escrever a respeito das coisas é fácil", já me disseram. Eu sei. Mas não é preciso realizar nada de espetacular, nem desejar nada excepcional. Não é preciso nem mesmo ser brilhante, importante, admirado.
Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança.
Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.
Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for.
E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.
Lya Luft

Saudação

BOM DIA!!!E UMA FELIZ SEMANA PARA TODOS.!!!

sexta-feira, abril 15, 2011

Boas Vindas

Que todos que entrarem por esta porta sejam abençoados...que a calma deste lugar se transmita aos seus corações...que o balanço da cadeira os acalente e lhes traga lindos sonhos...e que o perfume das rosas os acompanhe quando daqui se forem.

quinta-feira, abril 14, 2011

Dia Feliz

BOM DIA!!!!
   Está um lindo dia lá fora,o sol brilha e atravessa minhas venezianas e eu,preguiçosamente,deitada até agora...quase dez da manhã...

UTOPIAS?

"Fui criado com princípios morais comuns:
Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos eram autoridades dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto.
Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades. Confiávamos nos adultos porque todos era pais, mães ou famliares das crinças da nossa rua, do bairro, ou da cidade. Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror.
Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que meus filhos um dia enfrentarão. Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos. Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos. Pagar dívidas em dia é ser tonto. Anistia para corruptos e sonegadores. O que aconteceu conosco? Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.
Que valores são esses? Automóveis que valem mais que abraços, filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano, celulares nas mochilas de crianças.
O que vais querer em troca de um abraço?
A diversão vale mais que um diploma. Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete. Mais vale parecer do que ser.
Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?
Quero arrancar as grades da minha jabela para poder tocar as flores! Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão! Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e olhar olh-no-olho. Quero a vergonha na cara e a soliedariedade. Quero a esperança, a alegria, a confiança! Quero calar a boca de quem diz: "temos que estar ao nível de...", ao falar de uma pessoa. Abaixo o "TER", viva o "SER". E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como o céu de primavera, leve como a brisa da manhã. E definitivamente bela, como cada amanhecer.
Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Onde existam amor, soliedariedade e fraternidade como bases. Vamos voltar a ser "gente". A indignação diante da falta de ética, de moral, de respeito. Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas.
Utopia????????? Quem sabe??PRECISAMOS TENTAR!!!!"

PENSE NISSO!!!!

quarta-feira, abril 13, 2011

Da feirinha

Oba!!!É dia de feirinha!!!                                             
   Cinco da manhã,animadas,lépidas e fagueiras saltamos da cama para ir "fazer feira"...pegamos nossas sacolas ecológicas,minha irmã e eu, e nos encaminhamos para a garagem...sentamos no carro,conversando animadas e,quando ela liga o carro....nada,ele simplesmente se recusa a ir prá feira,não pega de jeito nenhum...aí,amiga Renata(que nos falou sobre a feirinha)e demais amigas que estão a me seguir,o que nos restava???Voltar para casa,sorumbáticas e meditabundas e ligar para o amigo mecânico pedindo socorrro...                                     
    Agora, vamos esperar pelo sábado e começar tudo de novo(esperamos que o problema não seja grave e que o carro funcione,já que não temos a sorte de morar perto da feirinha prá ir caminhando.

terça-feira, abril 12, 2011

Da espera

Esperamos e esperamos. Todos nós. Não saberia o analista que a espera é uma das coisas que faziam as pessoas ficarem loucas? Esperavam para viver, esperavam para morrer. Esperavam para comprar papel higiênico. Esperavam na fila para pegar dinheiro. E, se não tinham dinheiro, precisavam esperar em filas mais longas. A gente tinha de esperar para dormir e esperar para acordar. Tinha de esperar para se casar e para se divorciar. Esperar para comer e esperar para comer de novo. A gente tinha de esperar na sala de espera do analista com um monte de doidos, e começava a pensar se não estava doido também.
Charles Bukowski

Charles Bukowski

Charles Bukowski foi um poeta e escritor alemão, mas que viveu e morreu nos Estados Unidos. Autor de diversas obras, é um dos escritores mais conhecidos nos EUA. [Biografia


Acabrunhamento

Bom dia,amigos!!!Tem dias que são ensolarados,mas a gente não está acompanhando o ritmo do sol(sol tem ritmo?),o brilho da manhã ,o cantar frenético dos passarinhos e a doce melodia da brisa nas folhas das árvores...parece que alguém apagou a nossa luz,mas não queremos que isto aconteça,afinal a vida é tão bela,a natureza nos presenteia todos os dias e,por que estes macaquinhos atormentando o nosso sotão?
O melhor a fazer é aproveitar o sol,estender todos os cobertores prá esperar o inverno,que não será,espero,o de nossa desesperança...

segunda-feira, abril 11, 2011

Tarde de outono

Numa tarde de outono,sentar nesta varanda com um bom livro e esquecer a vida lá fora...
BOA TARDE!!!

Amanhecendo

                                        BOM DIA PARA TODOS!!!

Lombo Mineirinho

Ontem prometi que daria a receita de "LOMBO MINEIRINHO'"e, hoje ,vou cumprir a promessa.Minha avó sempre fazia este lombo aos domingos para o ajantarado da família,coisa que hoje em dia não se usa mais...mas,vamos à receita:
         Ingredientes
1 lombinho de porco de 1 quilo
Uma cabeça de alho bem socada com 1 colher(de sopa) de sal
 Tempero verde da marca Prático (a gosto)
 1 cálice de cachaça
Deixar de um dia para outro neste tempero.
Modo de fazer
Colocar óleo em uma panela e quando estiver bem quente,adicionar a carne,colocando um pouco de shoyu para dar cor.DEIXAR DOURAR BEM.Pingar então agua fervendo e abaixar o fogo.À medida que for secando a água,continuar pingando água fervendo até ficar bem macio e dourado.







sexta-feira, abril 08, 2011

PAULO DINIZ - VOU-ME EMBORA

Diana Pequeno Sinal de amor e de Perigo

Chefe Em Casa Gumbo de Frango

Chefe Em Casa Gumbo de Frango
Só ontem fiquei sabendo desta blogagem coletiva e,como já era tarde e eu estava profundamente abalada com as notícias da violência na escola do Realengo,não tive condições de escrever nada.
 Hoje ainda sinto uma enorme trsteza ao pensar naquelas pobres vítimas de um louco e em seus pais, vítimas tam
bém desta atitude tresloucada.

CULPA ZERO!!!Volto os olhos para o passado e vejo uma menina de apenas seis anos tentando agradar a todos e cuidando de sua irmãzinha,ainda bebê...como se esmera em cuidados e carinho e ,ao mesmo tempo,.como gostaria de estar brincando com suas amiguinhas de sua idade...todos dizem:ela parece uma mocinha!E isso só faz aumentar o seu sentimento de responsabilidade,tornando-a uma cópia dos adultos,e fazendo com que esqueça de vez seus sonhos e brincadeiras da idade.
   Esta viagem ao passado foi para tentar encontrar o motivo e a razão do amadurecimento precoce daquela menina que, hoje consegue ver,na infância ,as raízes da culpa que sempre a acompanhou[atormentou] pela vida afora... no colégio,quando não conseguia ser a "primeira" da turma[-seu pai e eu sempre fomos os melhores alunos,dizia a mãe],pois,apesar de ter uma facilidade enorme para aprender,só estudava na época das provas...em casa,quando parava o que estava fazendo para ler o que lhe caísse pela frente:leu todos os livros do pai e todos os de sua mãe e aos doze anos só aceitava passear se lhe garantissem que haveria livros no local para onde iriam.Arrumava a casa com uma pefeição difícil de ser encontrada nas de sua idade,mas sempre achava que poderia ter feito melhor... aos quinze anos se viu às voltas com outro irmãozinho para cuidar e foi quando se sentiu "mãe"de verdade:fazia dormir,lavava fraldas{não havia descartáveis,na época]dava sopinha,levava pra brincar na pracinha etc, ect ,etc...

 Segunda parte

    Tanto "amadurecimento"só poderia levar a um caminho, na época .CASAMENTO!!!Aos dezoito anos,casava-se e aos vinte,estava com dois filhos,uma casa de fazenda para cuidar e miiiil responsabilidades...e,como o marido não era muito ligado ao trabalho,resolveu dar aulas,causando uma verdadeira revolução naquela"tradicional"família mineira...e,passou a ler mais ainda,levantando às cinco da manhã prá ter tempo de brincar com os filhos...e era só o que fazia até a hora de ir para a escola,numa cidadezinha bem próxima.Tinha empregadas prá todo o serviço da casa,mas não admitia que alguém cuidasse dos filhos...como estava dizendo,continuava o hábito da leitura e "devorou" todos os livros da biblioteca do sogro,passou a fazer parte do Círculo do Livro e também a ler Carmen da Silva,que escrevia na revista Cláudia.Foi quando começou a enxergar que alguma coisa estava errada em sua vida...mas ainda permaneceu nela sentindo ,às vezes uma sensação de que estava representando um papel que não era seu,em uma peça teatral...teve,ainda mais um filho e sentiu que estava mais presa na teia que havia criado...e,quando este filho completou seis anos,tomou a grande decisão e separou-se daquela vida,que a fazia infeliz e também tornava infelizes os que a rodeavam.


Terceira parte
Hoje,do alto de meus setenta anos,me pergunto:ainda carrego culpa pelas pequeninas e rotineiras "obrigações do dia a dia"?E a resposta é sim,ainda penso que deveria ter cuidado melhor da casa,que os armários não estão como eu gosto,que não deveria ficar tanto tempo no computador em detrimento dos meus afazeres domésticos,etc,etc, etc.Moro com meu irmão e minha irmã e os dois trabalham o dia inteiro,sou aposentada e não tenho mais empregada .O meu tempo é todo meu e ninguém me cobra nada.Os filhos estão casados com mulheres maravilhosas que me tratam como mãe.
Porquê a culpa?Deve estar lá no começo,na menininha que se tornou adulta prematuramente...

quinta-feira, abril 07, 2011

Jeito de mato-

De onde é que vem esses olhos tão tristes?
Vem da campina onde o sol se deita
Do regalo de terra que o teu dorso ajeita
E dorme serena, no sereno sonha

De onde é que salta essa voz tão risonha?
Da chuva que teima, mas o céu rejeita
Do mato, do medo, da perda tristonha
Mas, que o sol resgata, arde e deleita

Há uma estrada de pedra que passa na fazenda
É teu destino, é tua senda, onde nascem tuas canções
As tempestades do tempo que marcam tua história
Fogo que queima na memória e acende os corações

Sim, dos teus pés na terra nascem flores
A tua voz macia aplaca as dores
E espalha cores vivas pelo ar
Ah..Ah...Ah...
Sim, dos teus olhos saem cachoeiras
Sete lagoas, mel e brincadeiras
Espumas ondas, águas do teu mar
Ah..Ah...Ah...
 Foto de Gerson Sobreira

Quero uma casa no campo

SESSÃO NOSTALGIA

SOL DE PRIMAVERA-BETO GUEDES

Sessão nostalgia

♪ Paulinho Pedra Azul - Jardim Da Fantasia ♫

Reminiscências

Durante um longo e proveitoso tempo,dei aulas para crianças de"classe especial",as denominadas na época de "excepcionais".E,realmente, eram excepcionais:excepcionais em alegria,excepcionais em doçura,excepcionais em querer bem...e,hoje,ouvindo a música:Vê estão voltando as flores,me lembrei dos seus rostinhos quando cantávamos esta canção...quanta felicidade deixavam transparecer e com quanto entusiasmo repetiam a letra...
Já vai longe este tempo mas, minha memória tem todos aqueles rostinhos gravados e sinto que,onde estiverem,também se lembrarão daqueles momentos mágicos...

Emilio Santiago: Estão voltando as flores

Vê estão voltando as flores

Música surgida da euforia de Paulo Soledade após cirurgia de risco, em dez. de 1960. É um hino pela vida. São versos otimistas dirigidos à sua mulher.
Você, também, sinta a alegria de viver, com prazer, otimismo, amor pela família, amigos e o próximo.
Vê, estão voltando as flores
Vê, nesta manhã tão linda
Vê como é bonita a vida
Vê, há esperança ainda
Vê, as nuvens vão passando
Vê, um novo céu se abrindo
Vê, o sol iluminando
por onde nós vamos indo



Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.
Pablo Neruda

quarta-feira, abril 06, 2011

Poema

Paulo Leminski

Carrego o peso da lua
Carrego o peso da lua,
Três paixões mal curadas,
Um saara de páginas,
Essa infinita madrugada.Viver de noite
Me fez senhor do fogo.
A vocês, eu deixo o sono.
O sonho, não.
Esse, eu mesmo carrego.

Se deste outono

Boa noite para quem me lê,neste outono carregado de magia e de sonhos...fiquem com Deus.

citação

Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.
Friedrich Nietzsche

Memórias  de uma senhorinha “ Segue o teu destino, rega as tuas plantas, ama as tuas rosas. O resto é sombra de árvores alheias.” Fer...

Postagens mais visitadas