SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

segunda-feira, maio 14, 2012

MINHAS MEMÓRIAS DE MENINA


E o tempo,este dono e senhor absoluto de nossos destinos,passou e trouxe em seu bojo a primavera...




..e chegou setembro,esperado e temido porquanto  seria o arauto de sua completa alegria ou de sua extrema decepção...


E nossa menina contava nos dedos os dias que faltavam para a Exposição Agro Pecuária  de Muriaé,data combinada para a visita de seu "príncipe",de olhos azuis e sorriso doce,como doces também eram suas palavras.
Esperava uma carta ou um telegrama,confirmando a sua vinda,mas nada chegava...todos os dias aguardava a chegada do carteiro,que passava por sua porta e não parava.Uma carta a faria feliz...mas esta carta não chegou  e seus sonhos desmoronaram como um castelo de cartas.Quieta pelos cantos da casa amargou a sua decepção.Não havia contado à mãe e não teve coragem de fazê-lo agora...a razão de sua tristeza,o seu desencanto,o sonho perdido ficaram guardados só para ela.
..................................................................................

No Colégio ensaiavam o Hino da cidade,que seria cantado em sete de setembro e ela se entusiasmava cantando e orgulhosa por saber que o mesmo havia sido composto por uma freira de sua amada escola.
Hino de Muriaé
Letra: Cândida Theodora Cerqueira
Música: Lourdes Santelli
Florescendo num trecho risonho,
deste grande e lindo país,
Muriaé tu nascestes do sonho,
de um povo heróico e feliz.
Muriaé, terra querida,
por um sol todo ouro banhada,
por um sol todo ouro aquecida,
Serás sempre por nós venerada.
Em São Paulo, tiveste Padroeiro,
que tua sorte, fiel governou,
transformando teu solo em viveiro,
onde sempre a virtude medrou.
Muriaé, pelo bem e o dever,
o teu povo labuta a sorrir,
pra gozar do perene prazer,
de gloriosa vitória a luzir.
Continua a subir sempre mais,
pela a senda do bem e da glória,
escrevendo com áureos sinais,
frases lindas em nossa história.
Salve, terra de Minas heróica,
de imortal e feliz tradição,
fulgirás na flâmula histórica,
através de um rico brasão.

A autora do hino era sua querida professôra,Irmã Cândida ,doce e meiga freirinha,cujos olhos sorriam e lhe iluminavam a fisionomia como se mil estrelas sorrissem.
......................................................................................................................................................................


E a data da Exposição se aproximava e os preparativos para a festa eram o assunto das meninas...os vestidos para os bailes,os animados passeios que fariam,os namorados,e ela se calava quando este era o assunto...mas uma das amigas,a sua querida Lucina,a quem ela fazia as mais intimas confidências,lhe dizia que não deveria se amofinar por alguém que não a merecia,um amor se esquece com outro e mais todas estas frases feitas que se costuma dizer nestes casos...então ela se convenceu e resolveu que iria a todas as festas.(não pensem que foi fácil,mas ela era teimosa,lembram-se?).

Costureiras,preparem-se,pensou e no dia seguinte já estava na casa de Lacyr,sua amada costureira,a encomendar vestidos para a festa.Ainda não se usava calça jeans,traje mais apropriado para uma Exposição deste teor,as meninas iam de vestidos rodados e sapatinhos de salto,afundavam os delicados calçados no saibro,mas não perdiam a pose...e eram elegantes,magras e lindas.
A entrada da Exposição em uma foto da época,dá para avaliarem como era o local:


E no recinto do evento o que encontravam:
E no dia da abertura,vamos encontrá-las todas,após a aula,ainda de uniforme,o que era rigorosamente proibido pelas freiras,a passear pelo recinto,percorrendo as baias dos cavalos,admirando as vacas holandesas como se grandes entendidas fossem deste assunto.

E à noite,com seus lindos vestidos,seus batons cor de sangue,suas unhas pintadas de vermelho,o parque de exposição era o palco de seus sonhos...e o sonho comum a todas elas era encontrar um John Wayne ou um Clark Gable,de preferência em um belo cavalo branco...
E foi neste local,em uma noite estrelada que ela conheceu o seu futuro marido...foi uma pirraça,um acinte ao tão esperado dono dos olhos azuis?Foi esta a intenção,mas o namorado (não se "ficava"simplesmente,quando uma menina e um rapaz se encontravam e ele a levava em casa,já era namoro),era tão gentil,tão educado,que ela esqueceu rapidamente o seu "príncipe".
Ele era fazendeiro e pertencia a uma tradicional família da cidade.Usava ternos brancos de linho e sapatos irrepreensívelmente lustrosos.Alto,com um bigode à Clark Gable,tratava-a como uma princesa e referia-se a seus pais como "o senhor seu pai e a senhora sua Mãe",como só se via nos romances de Machado  de Assis.E a menina se encantou pelo rapaz mais velho,que dirigia seu próprio carro e deixou que ele passasse a dirigir o seu destino.
Serão felizes?O tempo o dirá.
Lembrem-se que ela era uma romântica incorrigível,como,aliás, quase todas as meninas de sua geração ...

Esta era a família de sua futura sogra. 

.............................................................................................


Eu vou,mas voltarei...
na próxima semana.

Bjsssssssssssssss

 



31 comentários:

Tatiane Salles. disse...

Olá, eu adorei seu blog.

Sou seguidora desde já. Espero qu se der, você passe pra conhecer meu cantinho também, e que se gostar me faça companhia por lá também. =D

Uma ótima semana, uma abençoada noite de segunda-feira.
Abraços, Tati.

http://tatian-esalles.blogspot.com.br/

Att.

Moro em um Kinder Ovo disse...

Vou acompanhar este namoro.. E quero ver as fotos do casamento.

manuela barroso disse...

As tuas histórias nos envolvem sempre com um requinte que é difícil não nos sentirmos por momentos, totalmente integrados na tua história fazendo parte dela.
E as fotografias querida Leninha são verdadeiras relíquias abrilhantando ainda mais se possível a tua história
A forma de narrares todo o teu percurso, é verdadeiramente notável!
Parabéns, minha querida amiga!
Terno abraço

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Mais um delicioso capítulo, de uma vida tão cheia de encantos, venturas e "aventuras", que foram as decepções..mas já nem se conta, se foram superadas!

Voltarei, na próxima semana, não que quero perder um só lance!

Boa semana, querida amiga Leninha,
com um abraço carinhoso,
da Lúcia

JAN disse...

Olá Leninha,
interessante sua maneira de nos transportar no tempo e narrar acontecimentos passados.
Estou torcendo pela mocinha ansiosa e romântica...

Abração
Jan

✿ chica disse...

Que beleza,Leninha. Consegues nos colocar nas situações vividas, escolhendo costureiras, vestidos, batons, pronta para o baile...Tudo ! Estou adorando!! beijos,tudo de bom,chica

Renata Guidinha disse...

Leninha querida!
Que bom poder ler mais essa capítulo... Estou encantada com o desenrolar desses seus contares. Sapato afundando no saibro é dose, heim? Ainda bem que hoje já temos calçados mais apropriados para as diversas ocasiões que se apresentam.
Acho interessante essa coisa de príncipe... Nunca sonhei com uma figura assim, idealizando algum figurão cinematográfico. Meu rei chegou de fusca,e nem me pediu em namoro, só me comunicou que éramos namorados (pra casar) e pronto. Romântico assim,rsrsrsr.
Está difícil engrenar com minhas visitas e postagens, nuvens negras insistem em cobrir o céu por aqui (alguns outros problemas graves aconteceram), mas tenho certeza que Deus há de soprá-las para que possamos ver esse céuzão azul novamente.
Vou postar alguma coisa no blog, mas no facebook não tenho tido vontade de circular.
Espero os outros capítulos...
Bjks mil

Evanir disse...

Em cada amanhecer, sempre recordarei desse dia das mães
pelo carinho que recebi de você e de mais de 200 amigas (os).
O presente mais lindo que poderia ganhar.
Amizade ,sinceridade,esperança de que posso
acreditar sempre.
Agradeço o quanto é importante contar
com amigos e amigas muito mais que especíal .
Hoje você já faz parte da minha vida,
agradeço a Deus por ter encontrado
e descoberto a verdadeira amizade.
Estarei agradecendo a todos no decorrer da semana.
Meu momento é dificil mais seu carinho e sua amizade pode me ajudar muito.
Aprendi com a solidariedade de cada um de vcs lutar sempre
não desisistir jamais.
Afinal maio é mês das mães.
Obrigada de todo coração.
Linda semana beijos e carinhos.
Evanir.

BlueShell disse...

Linda a tua família.


Nunca fiz isto: é deselegante e não gosto!
Mas preciso passar ESTA mensagem:
www.blueshell.blogspot.com
(muitos não concordarão comigo…mas este é o meu modo de estar na vida: desculpai!)

ValeriaC disse...

Ahhhhhhhhh! Eu quero saber logo o que aconteceu rsrsr... adorável te ler querida, beijinhos...
Valéria

coresdocaminho - Alice disse...

OI Leninha, que delicia de historia, como nao estou tendo tempo de vir sempre, quando venho tenho muito o que ler, mas isso é muito bommm.
Bjs e aguardo os proximos capitulos...rsrs

Ivani disse...

Leninha do céu, tenho que pedir perdão! como pude perder tantas postagens mulher?
Estava tão acostumada com voce me avisando das novidades, que não vim mais aqui.
Não vai mais acontecer, agora mesmo vou colocar esse blog também lá nos preferidos, assim acompanho melhor.
Fui voltando, voltando, quando vi tinha perdido várias postagens. Li todas, acabei agora.
Estou encantada com sua narrativa, suas fotos então...que linda garota você foi. Morena, com carinha de boneca, coisa linda Meu Deus.E seus pais, tão bonitos (seu pai era um galã) sua mãe tão delicada.
Os irmãos queridos, fotos maravilhosas.
Ah! Leninha, adorei recordar e também conhecer essa sua época de sonhos, encantos, desilusões e esperanças.
Agora precisa postar fotos do amado. Quero conhece-lo.
Não perdeirei mais nenhuma postagem, prometo.
Espero que me desculpe.
Estou envergonhada, mas feliz por ter vindo.
Beijos minha querida, parabéns, estou adorando tudo isso.

Helena Chiarello disse...

Leninhamada!!
Hoje coloquei "em dia" minha leitura de tuas memórias... E de história em história, de momento em momento, cheguei aqui...
Que delícia de narrativa!
Como é bom viver com você cada momento, e imaginar cada cena e situação... E o que é mais bacana é que vc documenta com fotos, o que faz tudo parecer mais próximo e real!
Bonito isso!
Um beijo bemmmm grandão e obrigada sempre, querida amiga, pelo carinho e palavras tão gostosas!
Um beijo e uma semana linda a você(s)!

elvira carvalho disse...

Então volte logo que estou em pulgas para ver o casamento. Não para saber se vai ser feliz. Tenho a certeza de que vai. Apesar de romantica a menina tem fibra.
Um abraço

Maria Teresa Fheliz Benedito disse...

Olá Leninha, bom dia!
Que estória linda, estou curiosa para saber o que vai acontecer, não vejo a hora...estamos amando...beijinhos no coração

Irene Alves disse...

Olá Leninha, que história linda.
Me comovi a lê-la e a ver as fotos.
Desejo muito que esteja bem.
Bj.
Irene Alves

Catia Bosso disse...

Que super bacana isso tudo. Adorei.

Bjssss meusssss

Catita

Mariazita disse...

Leninha querida
É uma verdadeira delícia ler as suas recordações!
A maneira como vc descreve os acontecimentos, dos mais simples aos mais complicados, é sempre tão elegante, atraente, linda!
É mesmo um grande prazer te ler.
As fotos são um encanto. Adoro fotos antigas, de pessoas (não de paisagens).

Amiga, eu tenho muitas amigas brasileiras (dos blogs e não só) que são Mães. Por isso, nada mais natural do que eu querer homenageá-las. E para as amigas sempre se arranja um tempinho, não é mesmo?

Muito obrigada por teus votos de mehoras de meu marido.
Que Deus te ouça, que é bem preciso, porque, por enquanto, não há melhoras. Vamos ter fé...

Continuação de boa semana. Beijinhos com carinho

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Leninha.

Que maravilha de desfecho...
É um filme, dos bons!!
A "menina" era linda...
O batom vermelho, saltos, vestidos rodados com a cintura marcada...

Lembro-me dessa época! Eu era menina, e via as moças que pareciam bonecas. A moda era feminina pra valer...

Quando cresci, usei batom vermelho bem torneado, e os saltos pareciam fazer parte de mim.

Essas fotos são lindas...
A entrada da exposição, ela, a família do futuro príncipe...
Tudo!

Estou ansiosa para ler mais!

Fique com Deus.

Beijos.

Maria Luiza disse...

Doce Leninha, tão doce é a história!
Me delicio tanto!Você está fazendo como a série Lost, na hora mais importante, pára. Mas me avise quando esta vai continuar. Grande abraço!

ELAINE disse...

Leninha querida! Recordar é viver! Adoro suas postagens! Excelente quinta-feira! Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Anne Lieri disse...

Leninha,essa história está mesmo encantadora e nos prende a atenção a cada semana!Que pena a primeira decepção da menina,mas gostei porque conheceu seu futuro marido!Muito legal,parece mesmo uma novela!Bjs,

Sissym disse...

Leninha, nova amiga,

Eu vim para agradecer e comentar seu comentario! ops!!! rsss... mas antes, puxa... eu estudei numa cidade pequena (na epoca) e toda semana hasteávamos bandeira, cantávamos hinos (nacionais e da cidade). Nossa, seu post foi nostalgicamente maravilhoso para mim.

Sobre sonhos e encantos, então:

Leninha, que fofo, nesta semana, naquele mesmo post, voce e outra amiga fizeram comentários parecidos a respeito de meu nome e condição de ser Fada. É encantador e é encantamento.

Obrigada!
(obs: nas horas vagas sou sapeca, não tem jeito, a alma não envelhece, só o corpo)


BEIJOSSSS

Beijos

Veronica Kraemer disse...

Leninha querida, adoro suas postagens, o modo como escreves. Fico grudadinha na tela! rs
Obrigada por compartilhar conosco!
Beijos e tudo de mais lindo pra ti
Te adoro
Vero

Alfa & Ômega disse...

Leninha tem um Meme para vc no meu blog, viu?

R. R. Barcellos disse...

Moça, você tem o dom de "contar". Parabéns!

Severa Cabral(escritora) disse...

Sabia que para te ler !!!!!!!!!!!
Eu suspiro...fecho os olhos...viajo nesse teu mundo vivido...me deixas uma certeza que faço parte dessa história ,em algum lugar...
Aplausos pelo dom da escrita...
Lá no meu blog está voando todas as folhas secas !!!!!!!!!!!!!!
passa lá para pegar uma de lembrança ,kkkkkkkkk
bjsssssssssssssssssss

SOL da Esteva disse...

Leninha, Querida

Contar, é uma coisa. Reviver e fazer a partilha duma Vida, é algo que, com o teu Dom, nos transporta para "dentro" dessa tua vivência.
Eu, Amiga, sou um daqueles personagens/figurantes que não precisam serem nomeados, nem têm palavra no desenrolar da acção.
Magnífico, Leninha.

Beijos

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.pt/

Calu disse...

Leninha,
que tempos românticos, elegantes.Onde os bons modos ditavam as maneiras e as moças se sentiam verdadeiras princesas.Ainda bem que vc ouviu os conselhos clichês da tua amiga e trocou o sonho pela realidade vívida e esperançosa.
Bjos doce menina.
Calu

Evanir disse...

Querida Amiga.
Como estou passando por uma grande luta demorei para entrar no blog e ler os comentários.
Amada pode publicar também eu te agradeço pelo carinho.
E estou certa que minha amiga vai ficar muito feliz quando ela poder voltar .
Amada o caso do esposo da minha amiga realmente é desesperador.
Por favor pode pegar a postagem isso que você esta fazendo é um ato de amor muito lindo.
Beijos amada .
Quando postar me avisa alma linda.

Bianca Vieira disse...

Olá,meu nome é Bianca e tenho 14 anos.Conheci sua história por um acaso buscando informações sobre o Hino da cidade.Sou de Muriaé também e confesso que fiquei encantada com suas palavras e toda esta história, que além de todo esse sentimento nos passa grande conhecimento de época.Estou encantada,e espero poder acompanhar mais e mais.Parabéns pela iniciativa,mereceria até parar em livros de história.Abraços!

Memórias de uma Senhorinha E nossa senhorinha usava a imaginação e a criatividade para suprir a falta do material suplementar para...

Postagens mais visitadas