Instagram

Seguidores

segunda-feira, maio 23, 2011

O NOVO LIVRO DO MEC

  É difícil acreditar e aceitar os absurdos que ocorrem em nosso país.Mas o fato é verídico e indiscutível: o MEC está adotando e distribuindo para as escolas,um livro que ensina a falar e escrever errado.Recebi este email que passo aos amigos,esperando os comentários "irados".Agora se pode falar "com nóis","a gente vamos"nóis vai"
.Isto não é mais errado é  inadequado".                                                                                           



Eu sei que não sou uma sumidade em língua portuguesa, mas me esforcei e muito nos bancos escolares para poder ter um mínimo razoável de conhecimento de português. Ao menos sei conversar e me fazer entender. E interpreto tudo o que leio com muita facilidade, afinal, foi para isso que eu, assim como a maioria dos meus cinco leitores estudamos, né?
Anos à fio milhões de brasileiros se arrebentaram de estudar para entender as regras básicas de nossa língua, e hoje vem o MEC e aprova um livro didático que desensina nossos jovens a falar corretamente o português?
Era só o que me faltava em termo de mediocridade e sacanagem com este povo. 
Em vez de as escolas melhorarem o nível de ensino da língua, é mais fácil inventar uma barbaridade desse tamanho para justificar a falência geral do ensino público de Banânia.
Estamos criando gerações de analfabetos funcionais já faz algum tempo, agora foi sacramentada de vez a "jeguerização" do povo. Jovens que mal sabem se comunicar corretamente, agora terão mais um motivo para se tornarem medíocres de uma vez. 
O governo apóia a iniciativa e vai criando uma nação de iletrados e ignóbeis funcionais que irão transformar a comunicação entre as pessoas um exercício de adivinhação. O cretino fala e você tenta adivinhar o que ele quer dizer.
Só falta o MEC aceitar o "miguxês" da internet como a nova língua portuguesa do Brasil.
Um povo que não sabe interpretar o que escuta, pois, o que lê já não interpreta há tempos, só poderá acabar dominado pelos interesses dos que estão por trás dessa aberração. E  quando for votar ou ter que usar de seus direitos de cidadão, acabam sendo tapeados pelos mais "letrados" ou os "poderosos" de plantão.
Fico só imaginando daqui vinte anos um ADEVOGADO saido dessa turma. Qual o nível profissional que ele terá?
Já que até com o exame da OAB querem acabar por ser muito "dificio"

Em terra de cego que tem um olho é rei. 

Este país a cada dia me desanima mais.

"SABE NÓIS NUM SABE, NÓIS SÓ QUE OS DEPROMA"
....................
PS: Escrever neste Blog também é exercitar meus conhecimentos da língua portuguesa.
Como dizia meu saudoso pai. 
"Tudo o que você não usa acaba atrofiando" 
E pelo visto tem muita gente que não usa o cérebro...
he he he... 

.......................

6 comentários:

Helena Chiarello disse...

Ah, que ótimo ler isso aqui, Leninha!
Pois é... É triste saber que o MEC distribuiu a mais de quatro mil escolas brasileiras o tal livro didático que defende a escrita sem concordância de expressões populares... Aí, vai se sair por aí escrevendo "os livro" com a desculpa dessa grafia troncha estar apoiada nos Parâmetros Curriculares Nacionais, que dizem que não há só uma forma correta de falar o português brasileiro...
Pelamordedeus... Acho que o povo lá não entendeu muito bem os PCNs. E a gente fica pensando onde é que a pobre Língua Portuguesa vai parar...
Aplausos por essa postagem, minha amiga!
Um beijo grandão!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Estão misturando democracia com liberdade total.
O Ministro da Educação que aí está, é herança de nosso ex-presidente, que não não "primava" no uso da nossa língua. Nesse ponto,no ensino, temos que ser elitistas,creio...: respeitar a linguagem do aluno, mas ensinar-lhe as normas cultas.
Com o "grito" da mídia, pode ser os diregentes do MEC mudem de prática. O mesmo digo da repercução que vem tendo, fantasticamente,
o vídeo da professora potiguar...quem sabe, venham a valorizar mais o professor, na questão salarial e condiçoes de trabalho, nas instalações da escola pública... Muitas vezes, as CRISES geram mudanças para melhor...TOMARA!!!
Bijos, Leninha, VALEU!

SOL da Esteva disse...

Leninha

Não conheço o livro em distribuição, pelo que apenas vou ensaiar comparações com o que está acontecendo.
Por cá Portugal)vejam o que circula com muita raiva. Afinal, não somos mais LATINO/Americanos/Europeus/Africanos/Asiáticos.
Nos nossos sete, oito e nove anos tínhamos que fazer aqueles malditos ditados que as professoras se orgulhavam de leccionar. A partir do terceiro erro de cada texto, tínhamos que aquecer as mãos para as dar à palmatória. E levávamos reguadas com erros destes: "ação", "ator", "fato" ("facto"), "tato" ("tacto"), "fatura", " reação", etc, etc...
Com o novo acordo ortográfico, voltam a vencer-nos, pois nós é que temos que nos adaptar a eles e não ao contrário. Ridículo...
Mas, afinal de onde vem a origem das palavras da nossa Língua ? Do Latim !! E desta, derivam muitas outras línguas da Europa. Até no Inglês, a maior parte das palavras derivam do latim.
Então, vejam alguns exemplos:
Em Latim
Em Francês Em Espanhol Em Inglês Até em Alemão, reparem: Velho Português (o que desleixámos) O Sagüíndio ( importado do Brasil)
Actor Acteur Actor Actor Akteur Actor Ator
Factor Facteur Factor Factor Faktor Factor Fator
Tact Tacto Tact Takt Tacto Tato
Reactor Réacteur Reactor Reactor Reaktor Reactor Reator
Sector Secteur Sector Sector Sektor Sector Setor
Protector Protecteur Protector Protector Protektor Protector Protetor
Selection Seléction Seleccion Selection Selecção Seleção
Exacte Exacta Exact Exacto Exato
Excepté Excepto Except Excepto Exceto
Baptismus Baptême Baptism Baptismo Batismo
Exception Excepción Exception Excepção Exceção
Optimus Optimum Optimum Óptimo Ótimo
Conclusão: na maior parte dos casos, as consoantes mudas das palavras destas línguas europeias mantiveram-se tal como se escrevia originalmente.
Se a origem está na Velha Europa, porque é temos que imitar os do outro lado do Atlântico.
Mais um crime na Cultura Portuguesa e, desta vez, provocada pelos nossos intelectuais da Língua de Camões.

Beijo
SOL da Esteva

Su disse...

Leninha, quando vi o título da sua postagem ontem vim correndo pra ler, mas estava atrasada e acabei voltando só hoje. Realmente é absurdo tudo que se vê nesse projeto do MEC, ao invés de melhorarmos aquilo (que é pouco) que temos, aqueles que poderiam fazer alguma coisa parece ter o "dom" de piorar. Fico imaginando como será a nossa fala e escrita daqui uns anos... triste, terrível. Sabe o que mais me assusta, que isso tudo esteja saindo de um orgão que é pra ser um exemplo de referência em educação... Essa é a pior parte... sem contar outros absurdos que tenho escutado por aí que também estão partindo do MEC, como as cartilhas que "deverão" ser enviadas as escolas do ensino fundamental (crianças de 10 anos), com vídeos de "crianças" que estão se descobrindo sexualmente como homosexuais... com cenas de meninas se beijando e meninos tendo uma suposta relação sexual... Eu pessoalmente não tenho absolutamente nada contra as opções sexuais de cada um, contudo tem a hora certa pra "mostrar" sobre o assunto, de preferência com uma educação em casa e não confundindo cabecinhas de crianças com tão pouca idade que ainda estão em outra fase... Ai ai ai, complicada nossa Educação! Beijinhos, Su.

manuela barroso disse...

OI Gente! Oi Leninha!
Até que gostei!!!!!!!
Oh, Leninha...é o terceiro comentário que escrevoe...rs vai para o teto (ou tecto)?....
Vim por aí abaixo e adorei meeesmo!
Mas sabe, o Sol de Esteva, deu uma lição!!!!!
E ele sabe o que fizeram e estão a afazer com as chamadas "Novas Oportunidades"!
Oi Meninas, então não sabem que em cerca de 2 /3 meses têm a equivalência ao anos curriculares das escolas secundárias
que podem dar acesso à Universidade?
Isto é o que se chama de cultura a metro! Uma aberração!
Mas como é o 3º comentario...não sei se de fato (ou facto?...é que aqui, fato é o que aí se chama da paletó....) este agora segue!
Um abraço e como diz a nossa querida Helena, bem haja pela cultura da nossa língua... na arte de bem falar...
manuela

Anderson Fabiano disse...

Bom dia, Leninha!

Confeço naum intender o pruquê de tanta grita com o tal livro do MERC. Afinal, agente também é povo i brasilêro, né? I naum é pruquê agente não teve as mesma xansse dos letrado qui agente vai ser botado de lado.

O Brazil é um paiz múrtipro, missijenado de muitas rassa e aki si fala de muitos geito. E agente naum tem que si preocupá com esse necóssio de lingua isso lingua aquilo, pruque nóis temo o governo pra penssar pela gente.

Eu sou a favô do tal livro e naum veijo nenhum pobrema. Isso é coisa de intelequitual de esquerda.....

Meus Deus! Onde isso tudo vai parar?

Meu carinho, amiga. Bela postagem.

Anderson Fabiano (apenas um idiota tentando falar bem o nosso sagrado idioma)