SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

segunda-feira, dezembro 06, 2010

Lagoa Dourada

O rocambole de Lagoa Dourada

Ao se aproximar de Lagoa Dourada, o viajante irá perceber inúmeras placas às margens da estrada com propagandas de rocamboles. Existe “o Legítimo”, “o Tradicional”, “o Delicioso”, “o Rei do Rocambole” e o “Rocambole e Cia.”. Lagoa Dourada, que tem sua fundação ligada ao descobrimento do ouro pelo bandeirante Oliveira Leitão em 1625, se tornou conhecida como “a capital do rocambole”. São muitos os pontos que vendem o doce, que pode ser encontrado em diversos sabores: além do tradicional, recheado com doce de leite, há a opção de goiabada, chocolate, e doce de leite com coco, ameixa, ou maracujá.
Mas afinal, como a cidade se tornou conhecida com a capital do rocambole?
A história começa com um descendente de imigrantes libaneses, o senhor Miguel Youssef. Depois de se casar com a lagoense Dolores de Mello, decidiu montar um botequim em Lagoa Dourada. Uma vez por semana, Miguel fazia um rocambole que era vendido como sobremesa.
Anos depois, seus filhos assumiram o bar. Um deles, Paulo Miguel, que morava em São Paulo e não participava dos negócios, veio visitar seus irmãos e os encontrou em dificuldades financeiras. Paulo Miguel largou o emprego na capital paulista e investiu no botequim: criou o “Bar e Hotel Glória”. Nessa época, o rocambole ainda era apenas um dos doces vendidos no bar, localizado numa esquina que servia como parada de ônibus interestaduais. Em 1965, Paulo Miguel criou uma caixa para que o viajante pudesse levar o rocambole junto de si. Com isso houve o aumento da demanda. Em 1975, com 45 anos de idade, Paulo Miguel sofreu um infarto. Com seu falecimento, os negócios entraram em decadência. A solução encontrada pela viúva Simone foi vender o bar.
Em 1981, Simone conseguiu levantar um capital e abriu o “Bar e Restaurante Rocambole”. Dois anos depois, um de seus filhos, Ricardo Youssef do Líbano, assumiu os negócios. Seu primeiro passo foi colocar várias placas pelas estradas de acesso a cidade, anunciando “o Legítimo Rocambole” de Lagoa Dourada. A idéia foi um sucesso. Turistas passaram a parar para comprar o doce. Tudo ia a mil maravilhas. Mas um acidente mudou novamente o rumo dos negócios.
Em 1996, Ricardo foi atingido por uma descarga elétrica durante uma tempestade, falecendo com 33 anos de idade. Com muita força e dedicação, Marise, sua esposa, continuou adiante o negócio iniciado gerações antes. Hoje, é ela a responsável em preservar a tradição do “Legítimo Rocambole” de Lagoa Dourada.
  • O Legítimo Rocambole: Rua Miguel Youssef, 38 – (32) 3363-1538

Receitas

Nenhum comentário:

Memórias  de uma senhorinha E nossa senhorinha, enfim recebeu o telefonema que avisava da chegada de sua família...  o  coração , r...

Postagens mais visitadas