SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

quarta-feira, novembro 22, 2017

  
  
As palavras do poeta martelavam em sua cabeça... sabia do cair e do levantar também... tantas vezes experimentara o caminho resvaloso e não ficara inquieta nem triste por estas armadilhas da vida. Aprendeu a ficar de cabeça erguida e sempre alegre caminhava por seus caminhos. Algumas rosas colhidas,  alguns espinhos nada agradáveis, porém no peito uma confiança imensa no futuro e na Providência divina.
Enquanto fazia a lista dos materiais necessários à sua turminha pensava que valia a pena confiar e crer... as rosas estavam aí.
.................................................................

Mãos à obra, portanto,  que o Tempo assim  exige. Não vou me deter nas compras,  nos detalhes burocráticos para finalizar o processo, nem nas andanças em busca de um preço mais justo. A viagem não se resume ao chão que descalços pisamos e sentimos... ela está contida nos sentimentos que devagarinho vão nos povoando e no brilho que invade a nossa alma e transborda pelos nossos olhos.

.................................................................
E eis que, como em um passe de mágica,  a sala ficou pronta!  Rufemos os tambores para receber os principais protagonistas desta história!  Que  chegaram,  tímidos e envergonhados,  àquela que seria a sala dos sonhos de qualquer criança e que,  eles, sempre tão menosprezados por todos, haviam conquistado graças àquele moço gentil e atencioso que viera de longe... trazido por um anjo talvez ...
.....................................................................................

Bolas coloridas que enfeitavam a entrada e uma farta mesa de café da manhã os receberam. O som da alegria vinha na voz das crianças da Turma do Balão Mágico... com o disco rodando na eletrolinha,   os enfeites na parede,  as mesinhas dispostas em círculo e o belo armário repleto de cores, o encantamento era total... lápis,  cadernos, livros de histórias e, sobre cada mesinha, uma bandeja com as delícias especialmente feitas para eles.
Haviam ensaiado um jogral para homenagear o agora amigo Neil.
..................................................................................

Devo, porém, fazer um parêntesis para contar-lhes sobre a véspera da festa. Munida de sabonete, shampoo, pente e toalhas, nossa amiguinha fez a toalete de cada um (alguns nem sequer penteavam os cabelos antes de vir à escola). Eram treze alunos e ela se dedicou a cada um.
 Imaginem a ansiedade que invadia aquelas cabecinhas ao se prepararem... uma das meninas, a Janete,  não tinha mesmo tempo de se arrumar. Cuidava de três irmãozinhos menores desde que havia perdido a mãe. O pai trabalhava muito e a encarregara do trabalho materno... doze anos e o olhar perdido e triste de uma pessoa mais velha. Quando a nossa senhorinha começou a lavar-lhe os cabelos, antes embaraçados e desbotados,  começou a surgir uma linda cabeleira loura a emoldurar um rostinho de porcelana. Os olhinhos azuis criaram um novo brilho e um sorriso enfeitou aquele rostinho antes tão tristonho. A blusinha nova, uma sainha, sandálias nos pés limpinhos e, para arrematar, um laço de fita da cor dos seus olhos. Foi uma nova menina que ela levou para a sala... as crianças a olhavam sem acreditar... de repente,  um dos meninos falou, interrompendo o silêncio :
"Gente,  a Janete é BONITA! "

A emoção foi muito grande e nossa senhorinha teve que disfarçar a lagrimazinha que teimava em querer cair.
.....................................................................

Voltemos à festa, antes que a emoção se repita...
O jogral foi um sucesso!  Os meninos, entusiasmados,  felizes com os aplausos. E uma homenagem tocante ao amigo Neil ,  encerrou a festa.
Ele se foi, voltou para a Austrália, porém mora até hoje em meu coração e no de cada uma daquelas crianças.
.....................................................................

E assim vamos encerrando por hoje. Mas eu voltarei, meus amigos. Com certeza!

Leninha Brandão



10 comentários:

manuela barroso disse...

"...ela - viagem- está contida nos sentimentos que devagarinho vão nos povoando e no brilho que invade a nossa alma..."
Quem diz é a sonhadora menina- mulher- profissional, a quem nem tanto é pedido.
Quando acabei de ler a tua Memória, só tinha uma figurinha no pensamento: Janete.
Delineaste de tal forma os seus traços, pintaste tão bem este pequenino grande Ser, que te vi a arrumar os seus cabelos como os de uma boneca. E sabes bem porquê-tu não só escreves como desenhas e pintas; e o encanto do teu canto é este. A simplicidade rodeada de beleza que dás a tudo o que fazes, a tudo o que pensas.
De resto, a festa só podia ser do jeitinho que tu a pensaste,dentro das possibilidades do momento e já muito bom.
E como vai haver mais, vou indo, mas volto para te ouvir de novo, minha doce e querida Leninha.
Beijinhos! ***

leninha brandao disse...

Minha doce Manu,
O que dizer se já me emocionaste desta maneira? Tu tens este dom, Manu .Desvendas a minha alma lendo além do que minhas palavras expressaram. Enxergas através do tempo e consegues até vislumbrar a minha pequena Janete...preciso ir até Dores de Campos, procurar esta menina e saber de sua vida e de seus projetos. Sei apenas que , , após ter passado pela minha Classe Especial ela se tornou uma aluna brilhante. ..ela que era considerada uma criança com deficit de aprendizagem.
E será o que farei em uma ocasião bem próxima.

Obrigada por seu incentivo, Manu querida, minha irmã de além mar.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

O que já vivemos, sempre nos acompanha; jamais perdemos as lembranças que o tempo pretende apagar.
Delicias-me nos pormenores que flutuam nos teus pensamentos. É bom a gente sentir-se gente viva. És um caso sério de perseverança e luz.
Parabéns, Leninha.

Beijo
SOL

Luma Rosa disse...

Ah, Leninha!! É por histórias assim que permanecemos íntegros!! Quando os dias trazem inseguranças, quando você se decepciona com algo e que a nossa mente fica inquieta, esses momentos voltam com força para nos dizer: Não esqueça da sua essência! Esfrie a mente e vá! Os caminhos não são fáceis, mas a vida é mais bonita que qualquer desânimo!!
Beijus no coração!!

Dalva Rodrigues disse...

Oi leninha! Que momento inesquecível para essas crianças, em especial para a menina do laço azul, certamente você também é um anjo na vida deles, talvez em algum lugar eles devem agradecer pela singela visão de um futuro melhor em suas vidas em tempos difíceis.
Parabéns pelo afeto sempre presente em suas andanças e atos.
Beijos

Zilani Célia disse...

OI LENINHA!
QUE COISA LINDA, UMA HISTÓRIA DE ALEGRIAS, NEM QUE TENHA SIDO POR UM DIA. GARANTO QUE VALEU MUITO, PARA ESTAS CRIANÇAS CUJAS VIDINHAS ESTÃO DESTITUÍDAS DE SORTE E NA MAIORIA DAS VEZES DE AMOR.
ASSIM COMO COLOCAS AQUI TUAS MEMÓRIAS, FICOU NA NOSSA, A FIGURA DA MENINA JANETE COM A QUAL ILUSTRASTE PRIMOROSAMENTE ESTA POSTAGEM.
ABRÇS AMIGA
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Beatriz Bragança disse...

Querida Leninha
não sei há quanto tempo foi essa sessão, mas tenho a certeza de que a Janete e os seus colegas jamais a esquecerão.Nem à Leninha!Que professora briosa e amiga dos seus discentes!
Um beijinho
Beatriz

Mariazita disse...

Querida Leninha
Tinha perdido o endereço do seu blog, por isso faz tanto tempo que não vinha cá!!!
Mas já tinha saudades de ler as suas deliciosas historinhas.
Então, no seu aniversário quando fui dar os parabéns no Face, de repente lembrei-me de ver se estava lá o endereço de seu blog. E estava mesmo!!! Fiquei radiante.
Agora já posso voltar a vir cá...
Adorei mais esta sua "lembrança".
Eu tenho andado no dentista, e hoje mais uma vez estive lá e extraí uma raiz. Estou com um pouquinho de dores. Por isso não vou alongar-me muito. Até porque agora temos muito tempo para conversar.

Um abraço muito apertado.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Dalva Rodrigues disse...

Leninha, passando para deixar um grande abraço!!

manuela barroso disse...

Enquanto procuras por Janete, aproveita e leva a cesta de vime cheia das tuas gostosuras, leva o sol no teu chapéu, esconde os teus cachos tão formosos, pára nas beiras de estrada , e absorve, minha doce LENINHA, o ar vindo da lonjura do teu sítio ainda com o cheiro a café...sobe os sacos de ventos como se fossem grãos e imagina-te na leveza desta Senhorinha que me encanta!
E
Volta Feliz!
Bejoooo!

Memórias de uma Senhorinha Abrindo o baú E nossa Senhorinha, tendo já resolvido os problemas dos alunos, poderia tranquilamente so...

Postagens mais visitadas