SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

quinta-feira, janeiro 04, 2018

Memórias de uma Senhorinha

Abrindo o baú

E nossa Senhorinha, tendo já resolvido os problemas dos alunos, poderia tranquilamente sossegar e usufruir sossegadamente os louros da vitória...mas, e há sempre um mas rondando a cabeça de nossa amiguinha...sua curiosidade a impelia e a levava a novos questionamentos.Agora o que a movia era o interesse em desvendar o conteúdo do misterioso baú que trouxera da casa da baronesa, esquecido em um canto da casa.


..............................................................................................


E como nossa senhorinha não gostava de adiar nada, foi ao encalço do seu sonho: buscar uma forma de abrir o baú (que não era de OSSOS , como o de Pedro Nava), guardado durante tanto tempo no sótão de sua casa. Munida de uma chave de fenda se pôs a forçar o pequeno cadeado já enferrujado, não oferecendo portanto resistência alguma. Um estalo e eis que se abre, mostrando o interior do baú... um amarrado de cartas amareladas foi o que lhe chamou a atenção primeiramente... uma bela caligrafia se destacava e sua fértil imaginação já desenhava uma delicada mão a escrevê-las. Nos dedos, anéis se mostravam e uma diáfana manga cobria os pulsos frágeis. 
Deveria continuar? Dúvida atroz a invadia, fazendo com que tremesse naquela indecisão... fez uma pausa e se quedou a pensar. As pessoas que poderiam se interessar pelo assunto já não existiam, não havia descendentes da baronesa e ninguém sabia nada sobre os antigos habitantes daquela casa... constatara tal fato após indagações aos mais antigos moradores do vilarejo mais próximo.
O que a fazia relutar ? Ela que sempre se atirara com sofreguidão aos seus objetivos, sentia um certo pudor , até mesmo um certo constrangimento em tocar o intocável (aos seus olhos)...

Pensou durante horas a fio, mediu as possibilidades e, finalmente decidiu-se... abriria a primeira missiva e saberia, então, se deveria continuar.
Deveria , no entanto, deixar para o dia seguinte a sua empreitada... o dever a chamava e os planos de aula não podiam esperar.

.................................................................................


Vou deixá-los com esta curiosidade a estimular as cabecinhas de vocês... o que haveria nas cartas. Alguém poderia imaginar???

Amanhã retornarei... ou depois de amanhã. Encontrem-me aqui.


Leninha  Brandão

6 comentários:

Dalva Rodrigues disse...

Leninha, Feliz Ano Novo!!
Ah, mais um pouquinho de curiosidade, mistério bom!!
Abraço

manuela barroso disse...

Realmente , querida Leninha, para ficares com a cabeça ao contrário (bela imagem!) , a empreitada te era penosa, entre a dúvida de as abrir pelo recato e respeito e a curiosidade do mistério que ia já sendo roído pelo tempo.
Assim sendo, nada obsta a que depois da devida reflexão, vás levantando o pó dessas letras e te delicies com a caligrafia suave,(quiçá, embaraçosa) embora esmaecida, correspondente ao toque macio dessas mãos que nada mais fariam senão dar asas ao pensamento voando entre as estátuas e grutas e bancos semeados no encanto de um jardim que ainda fala...
Deixas-nos como sempre no momento exacto e em "suspense"
Mas sei que no momento próprio...nos surpreenderás! eu, fico aqui, torcendo...esperando!
A tua narrativa é deliciosa, como sempre!
Bejinhos com carinho!

Valéria disse...

Aiiii meu Deus...fiquei muito curiosa... quero saber tudoooo!
Beijinhos, minha doce Senhorinha,
Valéria

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Amiga, fiquei devera curiosa e com vontade de saber o fim. Ameis! Parabéns! bjuss

Dalva Rodrigues disse...

Oi Leninha! Passando para deixar um abração e confessar que estou curiosíssima para saber o conteúdo das cartas...
Inté, Senhorinha!

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Bela postagem! Por que há tanto tempo sem postagem!

FELIZ PÁSCOA
Autor: Laerte Sílvio Tavares

Que a luz da ressurreição
De Cristo Nosso Senhor
Brilhe no teu coração
E se refrate em amor,

Permeando a tradição
De fé, a dar esplendor
Às festas pascoais que são
Frutos da Paixão e dor

Transformadas em alegria
De Madalena, Maria
E de toda a humanidade!

Feliz Páscoa, pela via
Do amor – nossa luz e guia
Na fé e na caridade!

Grande abraço. Laerte.


Memórias de uma Senhorinha Abrindo o baú E nossa Senhorinha, tendo já resolvido os problemas dos alunos, poderia tranquilamente so...

Postagens mais visitadas