SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

terça-feira, novembro 06, 2012

MEMÓRIAS DE UMA SENHORINHA / NOVA VIDA , VIDA NOVA












movimento e crescimento. Quando um turbilhão de mudanças e inconstâncias nos cercam, precisamos recorrer ao olho interno da calma e estabilidade. Isto gera força interior para lidar com as novas e diferentes situações que surgem de repente. Ancorados nas eternas e imutáveis verdades da espiritualidade podemos abraçar as mudanças ao invés de resistir a elas. Esse processo oferece um sinal dos tempos e um chamado para despertar. Revela que o caminho da virtude é o caminho da transformação e fortalecimento pessoal.”
Brahma Kumaris

..............................................................................................................................................................

E novamente a nossa senhorinha deve se adaptar às mudanças e se tornar forte para uma invasão de fraldas, mamadeiras, papinhas e a alegria sempre renovada de um bebê a brincar, a solicitar, a absorver todos os seus momentos...

E Antônio Augusto crescia, forte, alegre e sorridente. Falou muito cedo e falava muito...quando lhe perguntavam o nome dizia Tom Dudu...e, com medo que ficasse com este apelido, passaram a chamá-lo de Dudu,nome pelo qual é conhecido até hoje.
Adorava ver as galinhas e atirar milho para elas...passava as manhãs no terreiro da fazenda e brincava muito com os irmãos e com os netos do Otávio (aquele empregado que ligava o gerador).Os irmãos chegavam da escola e corriam para ele...era a alegria da casa.

E chegou o dia em que nossa amiguinha teve que voltar a dar aulas...levava o carrinho e o colocava ao seu lado enquanto dava suas aulas. E ele nunca perturbou o seu trabalho.Adorava ouvir as crianças cantando e na hora das histórias prestava atenção e acabava dormindo.

Quando chovia, deixava que ficasse em casa... em uma destas vezes, quando retornou da escola o encontrou já dormindo e com a boquinha suja de comida...mosquitos o rodeavam e isto foi o bastante para nossa intempestiva senhorinha ter uma crise nervosa e tomar uma resolução:tiraria licença sem vencimento e cuidaria dele em tempo integral. Sentiria muita falta dos alunos e de sua vida profissional, mas não via outra saída...e de novo uma mudança em sua vida, uma transformação em seus hábitos...e novamente entra em cena a Noviça Rebelde e suas canções.
E o que acontecia no mundo enquanto ela brincava de subir cantando os pastos e se deliciava com as brincadeiras com os filhos?

2 de outubro - Confronto entre estudantes da Universidade Mackenzie e da Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras da USP, em São Paulo, mata o estudante José Guimarães
10 de outubro - A Assembléia Nacional da França realiza reformas no sistema educacional do país
12 de outubro - Cerca de 1.200 estudantes são presos em Ibiúna (São Paulo), quando realizavam clandestinamente o 30º Congresso da UNE (União Nacional dos Estudantes)
5 de novembro - O republicano Richard Nixon (1969-1974) é eleito presidente dos EUA
21 de novembro - O presidente Costa e Silva aprova a lei de censura de obras de teatro e cinema. É criado também o Conselho Superior de Censura
22 de novembro - Chega às lojas, nos EUA, o "Álbum Branco" dos Beatles.
13 de dezembro - Entra em vigor o AI-5 (Ato Institucional nº 5), que suprime as liberdades democráticas no Brasil. Com o AI-5, o Congresso Nacional é colocado em recesso.

Considerações Finais
A partir desse breve resumo sobre 1968 é possível imaginar por que 1968 foi tão marcante em nossa História, contudo, por que 1968?
Zuenir Ventura, autor da obra “1968: o Ano Que Não Terminou”, afirmou, em entrevista à Revista Época que:



Foi um ano muito especial. Um momento de uma sintonia mágica, misteriosa. [...] Achava que se podia mudar tudo através da ruptura, da revolução. A ironia da história é que eles [os jovens] não fizeram a revolução política, mas acabaram fazendo a revolução cultural”

1968 termina e os acontecimentos se intensificam em 1969
..........................................................................................................

1969 – O ano em que tudo aconteceu

Definitivamente o ano de 1969 foi um ano que entrou para a história do Brasil e do mundo, era um ano no qual a guerra fria ainda imperava e que um dos seus principais símbolos estava no auge, à guerra do Vietnã; a sociedade norte-americana ainda vivia um intenso período de conflitos raciais enquanto assistia ao crescimento de um forte movimento de contracultura, os hippies, que encontrou seu momento máximo ao final dos ano 60 nos EUA e começou a se espalhar pelo mundo ao longo dos anos 70. Enquanto isso o Brasil que vivia entre a Jovem Guarda e o Tropicalismo entrava em seu mais sombrio capítulo da história que ficou conhecido como “os anos de chumbo” o período mais repressivo da ditadura militar que teve início com o AI-5 em dezembro de 1968.
E foi nesse período conturbado que aconteceram vários eventos que acabaram entrando para história e que de alguma forma se repercutem até os dias de hoje. Perceber isso não é difícil basta ligarmos o rádio, acessarmos uma página na internet ou vermos a TV que nos damos conta que alguma coisa esta comemorando 40 anos, são 40 anos do homem na lua, 40 anos de Woodstock, do funk (o funk de verdade não aquela coisa carioca que é bem mais recente), etc. Pensando nisso eu resolvi pesquisar um pouco e encontrei vários acontecimentos datados de 1969, existe inclusive um filme chamado “1969 O ano que mudou as nossas vidas” estrelado pela Winona Rider, Kiefer Sutherland, Robert Downey Jr, entre outros.
Homem na Lua
Armstrong
Acho que não existe nada mais icônico que aconteceu em 69 que a chegada do homem a Lua. Embora tenha sido uma conquista (contestada por uma galerinha) que foi resultado da guerra fria, produto da corrida espacial, etc, etc, etc foi bem como Neil Armstrong disse “Este é um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade”. Acima de toda aquela bobagem de supremacia entre as nações havia as pessoas que estavam comprometidas com aquele projeto e quebrar uma barreira tão grande como chegar à lua mostrou ao mundo todo que o impossível só era impossível se não fosse tentado (acho que isso é uma frase de matrix). Um exemplo bobo, vocês podem até não saber, mas o dia do amigo foi criado inspirado na viagem do homem à lua.
Festival de Woodstock
WoodstockAcho que nunca a expressão “sexo, drogas e rock n’ roll” teve tanto sentido como nos 3 dias do Woodstock. Um dos maiores eventos populares da história da música, contou com 32 dos principais nomes da música da época e embora tenha sido projetado (se é que se pode dizer que foi projetado) para reunir no máximo 20000 pessoas o evento acabou reunindo mais de 500000 e isso em 1969 era gente pra caramba (mesmo hoje ainda é). Recentemente foi lançado um novo Box comemorativo com algumas apresentações inéditas do Woodstock, bem como um filme que conta a história do Elliot Tiber um decorador de interiores que foi determinante para a realização do festival. Pra mim a imagem marcante do festival foi o Joe Cocker cantanto a música dos Beatles “A Little Help From My Friends” que aqui durante os anos 90 ficou conhecida como a música de abertura do seriado Anos Incriveis.
..........................................................................................................
E um poema a encantava na época:
Carlos Drummond de Andrade

(...) Pois de tudo fica um pouco.
Fica um pouco de teu queixo
no queixo de tua filha.
De teu áspero silêncio
um pouco ficou, um pouco
nos muros zangados,
nas folhas, mudas, que sobem.
Ficou um pouco de tudo
no pires de porcelana,
dragão partido, flor branca,
ficou um pouco
de ruga na vossa testa,
retrato.
(...) E de tudo fica um pouco.
Oh abre os vidros de loção
e abafa
o insuportável mau cheiro da memória.
(Resíduo)

.................................................................................................


Uma música embalava seus momentos:


Um filme a impressionou:

A noite dos desesperados:

  • Sinopse
    Em 1929, em plena depressão americana, uma desumana maratona de dança premiava o casal que resistisse por mais tempo na pista, mesmo que isso representasse a morte para o vencedor. Baseado em romance de Horace McCoy. Oscars de melhor ator coadjuvante, para Gig Young, e melhor roteiro.



  • Outro a comoveu:

    Brookfield School, 1924. Arthur "Chips" Chipping (Peter O'Toole) é o dedicado e severo professor de latim de uma tradicional escola inglesa. Eles se casa com uma jovem atriz de musicais, Katherine Bridges (Petula Clark), que deixa o palco para ser apenas sua esposa e acaba conquistando os alunos com sua alegria e espontaneidade. Ela também transforma o marido, que vai deixando de ser tão intrasigente e passa a ser admirado por seus alunos.


    E assim se passam os dias, as semanas, os meses...
    .........................................................................................................
    E chega o dia do batismo do Antônio Augusto...na bela Matriz de Muriaé.
    Matriz de São Paulo/ Muriaé

    E com esta bela imagem eu me despeço...por hoje.
    Na próxima semana aqui estaremos.

          Bjsssssssssssss



    33 comentários:

    Alfa & Ômega disse...

    Leninha nunca me cansarei de lhe dizer que estar aqui é, além de conhecer a sua linda história é também mergulhar nos anos dourados dos quais nos relata tão minuciosamente e nada lhe escapa de revivermos esses anos tão maravilhosos! O homem na lua, Woodstock, Beatles... Quantos acontecimentos! Abraço-a carinhosamente! Parabéns por esta saga!

    Arione Torres disse...

    Oi Leninha, tudo o que você escreve é lindo amiga, adoro.
    Você é muito especial para mim, sempre aguardo ansiosamente os seus posts.
    Tenha uma semana maravilhosa, bjs.

    Moro em um Kinder Ovo disse...

    Já li várias vezes e hoje devo dizer que a sua pesquisa histórica está perfeita e cheia de detalhes. Vamos publicar este livro?

    #*Marly Bastos*# disse...

    Além de nos brindar com uma história tão real e tão humana, nos dá uma aula de história. Cada linha um encanto.
    bjks doces e até a proxima Leninha.

    Sissym disse...

    Leninha, gosto de ler seus posts, é como me dar um momento de descanso!

    Eu li e reli a mensagem de Brahma Kumaris, visto que estou numa fase de mudança pessoal. Alias, sempre estou preocupada em como viver e ser melhor.

    Amiga, um beijo doce!

    ✿ chica disse...

    Entro de cabeça contigo nessa linda história e lembranças e em 1099, enquanto o homem chegava à lua, eu esperava minha primeira filha, foi emocionante.

    Lindo esse capítulo, sempre rico em detalhes da época. ADORO te ler!! beijos,chica

    Orvalho do Céu disse...

    Olá, querida
    Vc está indo por um lado que eu gosto muito que é narrar a história de vida pessoal...
    Parabéns por contá-la com tanto esmero!!!
    Bjs de paz e bem

    Marly disse...

    Leninha, minha amiga,

    Nos últimos tempos, por várias razões, tenho estado muito fora da Internet. No que concerne ao seu blog é uma redobrada pena, pois os seus relatos são uns deleites, rsrs.
    Eu era criança em 68, mas senti os ecos deste ano, e isto me deu um fascínio especial por gente como Daniel Cohn Bendit etc, rsrs.
    As outras referências são deliciosas, rsrs.

    Beijo e boa noite!

    lenalima disse...

    Leninha, que rica postagem.
    1969 nascia meu primeiro filho!
    amei!

    estive ausente por causa de uns transtornos de saúde! bjssss

    Zilani Célia disse...

    OI LENINHA!
    ESTA ÉPOCA, APESAR DOS PROBLEMAS, FOI UM TEMPO DE MUDANÇAS E ABERTURAS, QUE ATÉ HOJE SÃO TRANSITADAS, GRAÇAS AOS JOVENS QUE AS FIZERAM.
    MUITO LEGAL, RELEMBRAR TANTAS COISAS.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI




    Ivani disse...

    Minha querida Leninha, quanta emoção nessa sua postagem.
    Se me lembro? 1969? eu me casaria em 1970, estava noiva, estudava à noite e trabalhava durante o dia.
    Tempos memoráveis que voce descreve tão bem, tão deliciosamente bem.
    Nunca vou me esquecer de Joe Cocker cantando A little help from my friends.
    Fico arrepiada quando me lembro.
    E sobre os acontecimentos no Brasil, melhor nem ficar falando.
    Foram tempos duros (nem tanto para quem tinha emprego e não ficava fazendo guerrilha!), mas éramos jovens e não sentiamos tanto o peso da ditadura.
    Também vi "a noite dos desesperados", marcante, tenso. Também amei os Beatles, e Elvis, e Aba!
    Sabe Leninha, compreendo perfeitamento quando voce diz que deixou sua classe, seus alunos, para cuidar de seu filhinho.
    Imagino sua revolta ao perceber que ele não estava sendo muito bem cuidado. Os primeiros anos de vida de uma criança são importantes demais, precisam da mãe por perto.
    Aplaudo sua decisão, aplaudo sua historia, aplaudo sua alegria e sua determinação.
    Minha amiga, voce é demais! beijos querida, até a próxima postagem (não vejo a hora).

    Majoli disse...

    Leninha, perdi várias postagens, claro por puro relaxamento meu, confesso.
    Mas li essa e fiquei me lembrando de uma passagem com o meu filho do meio, Marco Aurelio, que ao chegar em casa o encontrei com as fraldas cheias e a babá assistindo tv.
    Dispensei-a no mesmo dia e me afastei do trabalho por um tempo até encontrar alguém que cuidasse dele direitinho.

    A chegada à lua, tinha eu 9 anos, achei o máximo.
    :)

    Hey Jude, música maravilhosa.
    A poesia de Drummond, encantadora.

    Minha querida, meu carinho e um beijo especial de boa noite.

    Anne Lieri disse...

    Leninha,quantas mudanças nesse final de 68 e inicio de 69!Na sua vida e no mundo todo!Gosto da forma como compara a vida da senhorinha e os fatos históricos que vão se passando durante a história!Adorei seu relato e sempre sinto quando acaba!...rss...bjs,

    Renata Guidinha disse...

    Minha queridíssima Leninha!
    Ontem o Sonhos e Encantos foi o meu livro de cabeceira. Li muiiiito. Não fiz comentário, pois deitada estava muito complicado de digitar. Viajei para década de 60 antes de dormir... Me lembrei de tanta coisa de minha infância. Bom, muito bom.
    E a história do parto... Meu Deus! Acabei revivendo a complicação que tive no parto de Cla. Também estava com o cordão enrolado no pescoço e eu que pensava tê-la de parto normal, dancei... Bom, o melhor de tudo é que os filhotes estão aí né. Cheios de energia e agora eles é que tem que aguentar as mães,rsrsrsr.
    Me lembrei do caminhão (como vai a empreitada?)
    Meus PCs tbém estão mal das pernas (os dois not e convencional). Vou dar uma guaribada apenas pra aguentarem um pouquinho mais. A solução é aposentá-los mesmo.
    Aqui a loucura continua - a tia de 90 anos hoje nos deu mais um susto. Fraturou o fêmur e o ombro (acho que pra fazer companhia a irmã que ainda está em recuperação). Já pode imaginar como serão os meus próximos dias, né? Acho que vou procurar os Capuchinhos... tá difícil, viu?
    Bjks

    R. R. Barcellos disse...

    E segue a saga da senhorinha que transforma memórias e lembranças em sonhos e encantos. Belíssimo!

    Abraços.

    manuela barroso disse...

    Entremeios da tua história pessoal com os retalhos da história e histórias que mudaram o mundo. E foram tão avassaladores que são o estrato da forma de pensar actual seja em que campo for. Desde a viagem à lua, passando pela política e atravessando mentes ultrapassadas, somos fruto ainda a amadurecer desse período conturbado.
    Depois a tua história Leninha sempre com o Encanto com que contas a Vida com ares de menina. A verdade é que quando tomas resoluções, vais de mergulho. E admirei a tua ausência temporária das aulas e a decisão tão amadurecida de voltares a subir os prados.
    Ler-te é uma maravilha que sabe a pouco quando te despedes de nós!
    Um ternurento abraço, querida!

    Toninhobira disse...

    Uma passagem tenebrosa pelos porões da historia nesta postagem Leninha.Mistura de cultura sangue e dor.Um ano intenso mesmo.E vamos seguindo e viajando no tempo.
    Meu terno abraço amiga.
    Bjo.

    Calu disse...

    Leninha,
    vc nos leva nesta mágica cápsula do tempo a reviver a nossa história como cidadãos do mundo.
    Tua memória privilegiada, resgata em todos nós fatos marcantes.Isto é bacana demais.

    Lamento muito que vc não esteja na ciranda comigo, rodopiando alegre, como é de seu feitio.Mas, haverá uma outra e nesta, conto contigo.
    Bjinhos, querida,
    Calu

    SOL da Esteva disse...

    Retrocedi muitos anos e lembrei muitos factos que já não estavam nas recordações. Bela cronologia!
    Apenas me entristeceu a escolha (certamente dolorosa) imperativa, de optares pela Licença por que eram as aulas e as crianças da Escola; é a Vida!
    Prazer e Dever, ambos tiveste. O Dudu agradece e reconhece.



    Beijos


    SOL

    Helena Chiarello disse...

    Uma história de vida que me remeteu a uma outra, vivida por alguém bem próximo, "nos porões" desses tempos ao mesmo tempo tão bonitos e tão tristes...
    Mas o que importa é a tua história! E ela é linda e encanta sempre!
    Um beijo, amigamada!

    Patricia Galis disse...

    Quanta coisa bacana sempre viajo em seus posts.

    Cassinha Moreira disse...

    Oi Leninha,acabei de ler seu último Post e fiquei embevecida com a cronologia dos fatos históricos e culturais!minha avó nunca acreditou nesta chegada do homem na lua!kkkkk e até hoje sei de gente que nao acredita nesta!Me lembro que em 1969,meu último ano de Curso Normal,fizemos um trabalho sobre política e eu regateira como sempre resolvi aprimorar a capa do trabalho colocando um X vermelho em cima da palavra DEMOCRACIA!Nao imaginas o bafafá que deu...fui chamada no gabinete do diretor Dr.Joao Bandeira,os professores todos(Dona Clarinha Rogério,professora de Matemática me acusava de comunista com um dedinho no meu nariz) e assim me tornei pessoa non grata até o último dia de escola!Este episódio marcou para sempre meu ego...Anos depois,ainda durante a ditadura,ouvia a sirene de policia e pensava que estavam atrás de mim. Vc.lutou tanto para "trabalhar fora",como se dizia e teve que parar...amor de mãe é maior que tudo né?Continue escrevendo por favor!Beijos.Cassinha

    lenalima disse...

    Passando para deixar um abraço e agradecer a presença no cheiro de alecrim, fiquei muito feliz que tenha gostado...não sou uma pessoa de muitas palavras, sou mais de sentir!
    um belo fim de semana! bjsss

    Mariazita disse...

    Minha querida Leninha
    Tenho andado um bocado assoberbada com trabalho para ajudar a minha filhota, mas a partir de agora já estou mais folgada.
    Espero voltar cá na segunda feira (o fim de semana geralmente passo com a filhota, para onde irei daqui a pouco).
    Actualizarei a minha leitura, que está atrasada desde o post anterioir.

    Por agora desejo bom fim-de-semana e deixo beijinho GRANDEEEEEEEEEE.

    Dalva Rodrigues disse...

    Oi Leninha, que graça devia ser o seu Tom Dudu...Alguns fatos são determinantes nas nossas escolhas, conheço muito bem essa situação e não me arrependo de nada.
    Finais dos anos 60, anos 70 realmente foram incríveis e tensos!

    Beijos!

    Arione Torres disse...

    Oi Leninha querida, aguardo novas história viu?
    Tenha uma linda semana, bjs e fica com Deus!

    Mônica disse...

    Leninha REVER estes anos historicos 1968-1969 é lembrar tambem da minha infancia. Eu tinha dez e 11 anos.Algumas coisas eu me lembro outras nao. Outras eu recordei na minha aula de história. Que bondade estar aqui.
    Com amizade Monica

    CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

    Boa madrugada querida amiga Leninha. Quantas lembranças de 69, eu ainda era um guri com muitos sonhos para realizar. Obrigado pela amável visita, um grande beijo, uma ótima e abençoada semana, fique com DEUS.

    Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

    Belíssimas recordações Leninha.
    Uma década mágica a dos anos 60 que transformou realmente os costumes e o mundo.
    Uma ótima semana pára ti.
    abração com carinho

    Evanir disse...

    Quem caminha sozinho pode ate chegar mais rápido,
    mas aquele que vai acompanhado de amigos,
    com certeza chegara mais longe.
    Eu tenho certeza a amizade é tudo em nossas vidas
    mesmo na falta de tempo não posso ,
    não quero ficar sem deixar pelo menos um carinho a você.
    Foi dias difícil para mim até pensei em não voltar
    porque tenho me afastado muito nesses últimos tempos.
    Quando leio os comentários no meu blog acabo voltando
    mesmo deixando o mesmo recado em todos os blogs.
    Isso tem me atormentado muito não poder digitar como gostaria
    para cada amiga(o)um comentário diferente .
    Sendo assim deixo meu eterno carinho na esperança de um dia melhor.
    Linda semana paz e luz.
    Deus abençoe você hoje e sempre beijos no coração,Evanir.

    Élys disse...

    Passar por aqui para ler é fazer uma volta ao passado, fatos e mais fatos que também presenciei e de alguma forma ficam em nossa memória, lembrando um período de muitas histórias...O homem chegando a Lua, a Jovem Guarda. Um período mágico.
    Tenha uma boa semana
    Beijos,
    Élys.

    Beatriz Bragança disse...

    É um encanto ler o que escreve.Faz as suas pesquisas, fala da sua vida pessoal,mas tudo numa «engrenagem» magnífica.Re cordamos uma época que, apesar de não voltar mais,acho que teve muita influência na nossa atualidade.
    Obrigada e parabéns

    manuela barroso disse...

    Olha só minha querida Leninha ,
    Os solavancos da vida , as pedras da vida , os presentes da vida .
    No facebook vinha esta memória para recordar .
    E aqui vim ter . E vejo e sinto o que sempre te digo e sinto . Ler - te hoje é ontem , é sempre um afago ( como tão bem dizes ) no coração .
    Em 2012, éramos . Hoje continuamos com o mesmo carinho fraternal de sempre . Uma dádiva ter- te como minha companheira de vida !
    Beijinho grande e carinhoso , meu anjo !

    Memórias de uma senhorinha Voltando para casa Enquanto o carro percorria a estrada, pneus rolando no saibro com o barulho caracterís...

    Postagens mais visitadas