SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

terça-feira, outubro 30, 2012

AS QUATRO ESTAÇÕES DE VIVALDI - PRIMAVERA



E a primavera chegou...com suas flores, seu colorido e também na vida de nossa Senhorinha, um colorido novo e uma esperança...o filho tão aguardado chegou com a Primavera....era a música de Vivaldi para seus ouvidos, era o sonho de uma nova vida, com matizes diversos. ...

Deslumbrava-se com as cores que a cercavam em uma Muriaé onde os jardins eram floridos, a sogra preenchia os vasos com flores do campo e o ar era adocicado, povoado por doces aromas...fazia muito calor, mas ela sempre foi uma pessoa solar, amava o sol e gostava de sentí-lo penetrando em seus poros e bronzeando a sua pele.
Em setembro se comemora a festa da cidade e é realizada a Exposição Agro Pecuária...e todos os dias, ela e as cunhadas, desciam a rua Municipal (na realidade rua Arthur Bernardes,mas todos a chamavam assim) e se dirigiam para a Exposição, onde além do gado e dos produtos das fazendas, havia um parque de diversões, bem interiorano mesmo, com as músicas características e um locutor a oferecer, melhor dizendo, a repassar os oferecimentos de música que os rapazes dedicavam às moças.Era uma pândega! A cada dedicatória, uma declaração de amor ou de uma "profunda amizade".
Mas a nossa senhorinha se interessava mesmo era pelos brinquedos do parque e, enquanto os filhos iam ao Carroussel, aos carrinhos de batida e aos trenzinhos, ela e a cunhada mais velha preferiam um brinquedo   chamado Rumba,o qual rodava e subia a uma velocidade vertiginosa...a outra cunhada, ficava apavorada ao vê-la com aquele barrigão a rodopiar, com os cabelos voando e as emoções à flor da pele.Mas tudo corria bem e elas desciam incólumes, um pouco arrependidas, mas sem dar o braço a torcer...
 ........................................................................................................

Exercícios para o Parto sem Dor diariamente executados, ela seguia em sua espera, vinte quilos a mais e coração na palma da mão... E o primo, ah o primo não cooperava nada, dizia que ela estava sonhando com algo que não existia, uma quimera...mas ela acreditava, tinha fé absoluta em sua capacidade de se relaxar e respirar corretamente...só não contava com imprevistos e estes costumam ocorrer sem aviso prévio. E foi o que aconteceu...
.............................................................................................................
No parto de seu filho Cacá e durante toda a gravidez, estava calma, tranquila e confiante...a vida corria sossegada como um barco em uma lagoa azul...os dias transcorriam serenos e as brincadeiras com Toninho, o filho mais velho, a tornavam ainda mais serena...o tempo escorregava em uma cascata de marshmallow ou um sundae imenso de chocolate...e quando o dia chegou, ela estava com a calma de uma Monalisa, plácida e serena.
............................................................................................................

Desta vez, ao contrário, estava nervosa e irritadiça, com os nervos à flor da pele e uma sensação desagradável de perigo...só não sabia precisar o porquê desta impaciência e deste desassossego e se refugiava nas brincadeiras com os filhos e com os sobrinhos. E eles, filhos e sobrinhos adoravam aquelas noites de brincadeiras de guerra de travesseiros, de histórias sem fim e de conversas e sonhos...

.............................................................................................................

Mas, chegou o dia, tão esperado...as contrações vieram fortes e o seu controle emocional se foi...e pedia ao primo que chamasse o anestesista, pois seus exercícios de nada estavam adiantando...nem a respiração tão treinada, conseguia fazer. E veio o anestesista e ela mergulhou em um sono profundo, só acordando com o primo a mostrar-lhe o filho, outro menino, só que desta feita era uma criança maior que as outras e dera um trabalho grande ao nascer...estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço e somente a maestria do primo o salvara.Respirou, então, aliviada, sentindo que toda aquela ansiedade se desfazia e o bom da vida era aquilo, um filho nos braços e a esperança no coração.

.............................................................................................................

O pai e a mãe chegaram e ele lhe fez um pedido...que desse o nome de seu pai ao filho recém nascido...e assim foi feito e o seu nome,  Antônio Augusto .Um nome forte de um avô a quem ela sempre amara.

Antônio Augusto era uma criança calma e alegre, de bem com a vida, não chorava nunca e mamava como um bezerrinho...só não aceitou o peito e o leite abundante da mãe...parecia ter aversão ao leite materno e foi alimentado com mamadeira, desde os seus primeiros dias. E que mamadeiras! Rapidamente atingiu os 200 ml e não se contentava...criança forte, não teve as dores de barriga habituais dos bebês e cresceu forte e saudável, com as bençãos de Deus.Os irmãos o paparicavam, os priminhos também.Era uma alegria para todos!

...........................................................................................................


Amigos, por hoje é só. Voltem na próxima semana, tá?

                      Bjsssssssssss

32 comentários:

Moro em um Kinder Ovo disse...

Crônica adorável e, como sempre, nos encanta com a sua narrativa.

✿ chica disse...

Fico com pena, mais uma vez que acabou...

E eu também andei em parques com o barrigão,rsrs. Crianças,não?

Adorei! Muito bom ver esses detalhes que lembras tão bem!! beijos,linda tarde! chica

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Ciotos assim aliviam a alma da gente... música deslumbrante!!! Estou a rodopiar...
Vivo um pouco desse conto com os meus meninos (netinhos)...
Bjs de paz e bem

Ivani disse...

Novamente aqui vivendo os dias tranquilos com você.
Só que dessa vez nem tão tranquilos, não é mesmo?
Também tive um parto meio complicado, com cordão enrolado ao pescoço do bebê, quase o perdemos.
É um susto muito grande, um medo enorme de morrer e deixar os outros filhos, um horror.
Imagino o quanto foi dificil. Mas a recompensa é maravilhosa.
Um filho é sempre uma benção, a gente nem sabe onde arruma tanto amor.
Obrigada amiga por nos envolver com suas historias e lembranças.Muito bom estar aqui.
E vamos lá...semana que vem de novo! beijos.
E o calor matando por aqui!

Eloah disse...

Nada melhor que fazer dos sons de uma bela sinfonia o embalo para a emoção inigualável de ver crescer no ventre o filho amado.
Querida, lindo teu post.Nada como este tempo de espera, de surpresa e de profundo amor.Encantaste-me. Bjs Eloah

Silvia Ordonhes disse...

Origada querida Leninha por compartilhar tão bela mensagem!
Nos faz viajar,no tempo!!!
Que delicia amiga,quanta sensibilidade,amor,carinho, você
nos transmite!!!
Você é muito linda Leninha,iluminada!
Parabéns e sucesso sempre...
Beijos no core e só alegria,muitas cores, huhuhuhu linda tarde e noite!

Helena Chiarello disse...

Ler essa postagem ao som de Vivaldi a deixou mais gostosa ainda!
Sabe que tava lembrando aqui, o quanto eu curti as minhas "barrigas" rsrs... E como elas nunca me impediam de fazer várias coisas que gostava... inclusive jogar vôlei! rsss
Achei uma delícia estar grávida! E, narcisismos à parte, me achava linda assim! kk!
Sempre gostoso ler você, amigamada!
Um beijooo!

Arione Torres disse...

Oi eninha, linda postagem, adorei.
A primavera é maravilhosa, as flores encantam o ambiente e deixam tudo mas colorido.
Amiga, é sempre um prazer vir aqui no seu blog, você é muito especial para mim, viu?
Tenha uma linda semana, beijos.

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia minha querida e amada amiga !!!!
Sempre me gratifica minha passagem por este espaço tão acolhedor,que me faz retroceder no tempo,tempo esse que ficaram nas lembranças histórias não tão diferentes das que leio aqui no seu cantinho.A cada nova leitura fico com o desejo de ler a continuidade dessa linda e comovente história.
Bjs minha adorada !!!!!
Aguardo sempre o próximo capitulo com euforia ...

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Oi Leninha!
Essa música é a minha predileta entre as clássicas.
Adorei sua estória tão deliciosamente prazerosa de ler.
abração com carinho

Pérola disse...

Voltarei com muito gosto!

Beijinho

SOL da Esteva disse...

Depois das dores, das preocupações, dos trabalhos, ficou um orgulho e uma terna saudade para recordares a cada momento do tempo da tua Vida.
Enternecedor e belo.


Beijos


SOL

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Como aqui não tenho as 4 estações (só uma,o Verão), gosto de ouvir as de Vivaldi, em música e procuro as imagens das outras estações onde elas existem rsrs.
E chegou, finalmente o tão esperado parto que seria "natural", "sem dor"... mas, a Senhorinha teve mesmo que enfrentar a anestesia...
O importante ´foi que o Antônio Augusto chegou bem, para a felicidade de todos.

Estarei aqui, no próximo episódio, aplaudindo esta exímia escritora, em sua auto-biografia (por enquanto!)....
Beijos, Leninha querida,
da Lúcia

Anne Lieri disse...

Ah!...rsss...que peninha que acabou!Quero ver a continuação na próxima semana,pois adorei o capitulo de hoje com o nascimento do Antonio Augusto!Bjs e parabéns pela linda história!

manuela barroso disse...

Mais um episódio que hoje teve um encanto tão peculiar! É impressionante a tua alegria numa narrativa que enternece , com tantos cambiantes de sons, matizes coloridos de festas, carrocéis que se misturam com as histórias pacientes com flhos e sobrinhos!
Um filho que nasce, vida que se renova. E senhorinha saboreia os prazeres da vida indiferente às birras da charrete!
Tão bom ler-te querida Leninha. Ainda hoje tens um coração adolescente com o aroma da café! Não é? Vejo-te assim: alegre, intensa!
Um abraço com todo o meu carinho minha querida amiga!

Calu disse...

Minha querida,
quando fui a um parque grávida, só andei a pé, rsrsrs
Chega a ser curioso, mas eu acredito que a nossa sensibilidade maternal nos alerta quando algo não está tão bem assim.Graças a Deus que tudo correu bem e o garotão chegou lindo e forte.
Abraços festivos,
Calu

lis disse...

Oi Leninha
Também me lembro bem das festas nas cidades pequenas , as exposições de gados, a festa do padroeira, enfim até as procissões eram dias de festa e não ficava ninguém em casa rs
A gravidez é outro tema que gostamos de lembrar - aquelas dores do parto inesquecíveis mas sempre perdoadas rs
E assim lendo fui também desfiando o novelo do meu dia rs
Sempre gosto muito de saber sobre essa 'senhorinha' maravilhosa .
beijinhos, bom feriado fiquemos por perto umas das outras.
nosso mundinho só nos dá prazer, não é?
obrigada pela presença sempre tão amável, tem dias que preciso de palavras acolhedoras ... rs
beijos

Alfa & Ômega disse...

Leninha, graças eu consegui postar porque já havia tentado mas seu blog estava mais para um pau de sebo, subia e descia e não ficava quieto para eu lhe dizer da doçura de seu texto, do seu falar dos acontecimentos tão fortes de sua vida, hoje do nascimento de mais um filho! Adorei! Grande abraço!

Dalva Rodrigues disse...

Boa tarde Leninha, espero que já esteja bem recuperada da gripe!
Delícia ler ao aom desta música...
As receitas de sucesso nem sempre funcionam repetidamente, nem mesmo para nós, imagine para os outros? Abaixo fórmulas de felicidade, cada parto é um parto (na vida também)! rsrs

Beijos!

casa de fifia disse...

olà Leninha
quando eu era criança,na minha cidade sambem tinha uma festa assim,era a festa do padroeiro da cidade, e tinha o locutor, que a pedido oferecia musicas as moças,a pedido dos rapazes,eu era muito pequena,e claro ninguém pedia musica para mim,e não vi a hora de ser mocinha para alguém me oferecer uma musica com afetos rsrs
pecado que quando cresci, não tinha mais essas coisa .


bacione

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Olá Leninha...obrigada pela sua visita e carinhoso comentário, fico muito feliz!
Já estou por aqui lendo suas histórias...que lembra minha infância essas festas!
Beijos, boas energias e ótimo final de semana!
CamomilaRosa

Mônica disse...

Leninha
Minha tia Rosa já esta em casa muito bem, mas minha tia wania com 69 anos faleceu quarta feira. Ainda estou achando que é um sonho. Mas temos fé e Deus sabe o que faz.
Um grande abraço mas que coincidencia minha tia colocou o nome de antonio Augusto em um dos filhos, herdados pelos avos.
com carinho Monica

msgteresa disse...

Olá,Leninha!
Te vi lá no mural da nossa amiga Lucinha e vim te visitar,tão docemente atraída pela promessa dos acordes de Vivaldi...E que delícia, adorei essa terna e tão humana estória, e o teu jeitinho especial em contá-la...Parece um lindo sonho! Me fez lembrar de mim mesma, do tempo de espera dos meus filhos,em diferentes fases da minha vida...Um ainda na roda da juventude e o outro na entrada dos anos que nos trazem mais maturidade...Tempos diferentes,mas sempre a mesma emocionante sensação de gerar vidas! Adorei o teu texto que nos encanta e embala num doce enlace de sentimentos...Muito lindo!
Meu abraço carinhoso pra você!!!
Teresa
(do blog "Se essa lua fosse minha")

ELAINE disse...

Com certeza, aqui estarei! Escreves de uma maneira que cativa, minha amiga! Meu filho teve cólicas durante os 3 primeiros meses... Adoro as 4 estações de Vivaldi! Obrigada pelo carinho! Um abençoado e feliz fim de semana!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Arione Torres disse...

Oi minha amada e querida amiga Leninha boa tarde! passando para te deixar o meu carinho,
Amizade não se explica!
Amigos sempre sabem quando serão amigos
Pois compartilham momentos juntos...dão forças!
Estão sempre lado a lado!
Nas conquistas... e nas derrotas!
Nas horas boas... e nas difíceis!
Amizade nem sempre é pensar do mesmo jeito!
Mas abrir mão...de vez em quando!
Amizade é como ter um irmão...que não mora na mesma casa
É compartilhar segredos... emoções!
É compreensão... é diversão
É contar com alguém... sempre que precisar
É ter algo em comum!
É saber que se tem mais em comum do se imagina!
É sentir saudade !
É querer dar um tempo!
É dar preferência
É bater um ciúme
Amizade que é amizade nunca acaba
Mesmo que a gente cresça
E apareçam outras pessoas no nosso caminho
Porque amizade não se explica
Ela simplesmente existe!

Veronica Kraemer disse...

Leninha querida, que delícia ler seus posts!
São muito bem escritos!
Espero ansiosa pelo próximo capítulo!
Beijossssssssssssss e um domingo abençoado pra ti
Vero

Minhas Pinturas disse...

Oi Leninha, como você também nasci em Minas Gerais, em Miraí. Mas, saí de lá com seis meses de idade e não conheço minha terra. Minhas referencias são da cidade do Rio de Janeiro onde vivi a maior parte de minha vida,umas pequenas partes vividas em Madrid na Espanha, e em São Paulo. Como sou pintora e uso muito a imaginação na minha arte dá para imaginar as paisagens bucólicas e lindas das cidades do interior, porém por outro lado sou "bicho de cidade grande" acostumada com a agitação desses grandes lugares, sei que não me adaptaria a uma vida bucólica como o poema de Carlos Drummond de Andrade:
CIDADEZINHA QUALQUER
casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.
Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.
Devagar... as janelas olham.
Eta vida besta, meu Deus.

Entretanto fiquei encantada com as descrições e estorias que voce com tanta propriedade e detalhes conta. Acho até que influenciada por isso vou querer conhecer o lugar onde nasci.
Parabéns,
beijos,
Léah

Élys disse...

Mais uma bela narrativa, contendo o nascimento de mais um filho e novas esperanças no coração.
Tenha uma bela semana
Beijos.

R. R. Barcellos disse...

Belo capítulo de seu existir, amiga. Parabéns.

Toninhobira disse...

Mais uma bela e interessante passagem com este saudosismo dos parques e da rua principal.Muito bom Leninha e observo que toda familia tem um Toninho,rsrs.
Cada parto é uma historia.
Uma bela semana Leninha com muita paz e luz.
Meu terno abraço mineiro.
Beijo.

Leninha Brandão disse...

Recado para Lúcia do blog Cadeirinha de Arruar

Lúcia querida,

Também estou, como os amigos acima, mais encantada ainda com esta beleza de árvore genealógica que possues...e de ambos os lados, o que é mais importante. Tive também um avô que se casou com a sobrinha, mas não foi muito bom...o único filho que tiveram, nasceu com problemas mentais e dotado de uma força hercúlea, o que lhe garantiu um emprego no cais do porto, onde passou a vida inteira.
Quanto à doutrina espírita, também eu a admiro muito apesas de não professá-la...gosto muito de Chico Xavier e de seus escritos. Adorei as quadras que nos ofereceu...quanta sabedoria!
Parabéns pela pesquisa, completa, como tudo que fazes.

Um bom passeio e que esta cadeirinha te leve a belas e enriquecedoras paragens.

Bjsss

Zilani Célia disse...

OI LENINHA!
TÁ BOM, ESQUECESTES DE MIM, SEMPRE FICO ESPERANDO TUA IDA NO "SÓ PRA DIZER"E ASSIM ME LEMBRAR QUE TEM COISA NOVA E BOA AQUI, QUE EU TANTO GOSTO DE LER.
SABE, SOU FASCINADA POR HISTÓRIAS VERÍDICAS, VIVIDAS E INTENSAS COMO AS TUAS.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

Memórias  de uma senhorinha “ Segue o teu destino, rega as tuas plantas, ama as tuas rosas. O resto é sombra de árvores alheias.” Fer...

Postagens mais visitadas