SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

domingo, outubro 21, 2012

MEMÓRIAS DE UMA SENHORINHA / NOVOS TEMPOS


Devaneios...insatisfações...povoavam a cabeça de nossa senhorinha...''todo o dia ela faz tudo sempre igual"...era o que ela sonhara para a sua vida???
E a resposta era um enorme NÃO, em sua cabeça e em seu coração...As espectativas eram dela...ninguém, além dela mesma,era culpado por suas decepções, nascidas de um sonho muito além daquela realidade.Mergulhava, então, na leitura e na música...fuga possível e inquestionável. Não, ela não deixava de cuidar da casa e dos filhos, mas seu coração habitava outro espaço e doía como os pés da Sereiazinha, após ganhar as suas pernas, as quais sempre desejara e agora se lhe afiguravam como um suplício. Ou os desejos realizados pelo Gênio de uma Lâmpada...cintilantes e sedutores à distância, porém ilusórios e enganadores vistos de perto.Ou ainda o Ouro de Tolo, eternizado na canção do querido Raul Seixas...

 

Você já deve ter ouvido a expressão "ouro-de-tolo". E o que é isso?

Ele é amarelo como o ouro. Tem um brilho metálico como o do ouro. Muitas vezes, é encontrado em minas onde há ouro. Mas não é ouro! É o ouro-de-tolo: um mineral conhecido como pirita! Presente em todo o mundo ‐ inclusive no Brasil ‐, ele já fez muita gente de boba, pensando que estava rica, quando, na verdade, continuava pobre, pobre...

A analogia serve bem para nos referirmos à conduta diante da vida, de grande contigente de pessoas. Elas se aferram aos valores do mundo como se fossem uma coisa preciosa, quando na verdade estão atraz de um ouro-de-tolo. 
Mas nossa senhorinha se apegava aos seus livros buscando neles uma saída, um escape para aquela insatisfação que não chegava a ser uma infelicidade...e autores povoavam a sua vida, ecleticamente, de Sartre a Michel Quoist, de Jorge Amado a Exupéry, de Thomas Mann a Kafka e lia, lia muito, Pearl Buck, Jorge Luís Borges, Baudelaire, Dostoievski, Clarice Lispector, Machado de Assis, José de Alencar, Rachel de Queirós, Proust, Cervantes (como amava o Dom Quixote) e por aí afora, sua biblioteca aumentando e suas angústias também...
Nos finais de semana não mais a obrigatoriedade de ir para a casa do sogro, mas quando ia passava as manhãs na pracinha com os filhos, não sem antes passar pela igreja onde ensinava as orações a eles..Toninho e Cacá com ela aprenderam todas as orações, mas o menorzinho gostava de rezar "Meu Jesus, misericórdia"...a sogra a interpelava a este respeito: "O que esta criança sabe de misericordia?'' Mas já disse uma vez e repito, era uma criança cuidando de duas outras...muito amadurecida na aparência, mas com o espírito e o coraçào de uma criança.A ausência dos pais a machucara.Profundamente...e ela procurava não deixar transparecer este sentimento de perda.
Na volta da pracinha, passava pela casa da cunhada e daí nasceu a grande amizade entre as duas. Marlene era o seu nome e tinha um filho, o José, menino forte e bonito que um dia se tornaria seu grande amigo.Mas eu falava da praça e era a mesma onde ela e os irmãos brincavam, no final da Rua São Pedro.         










 
E o tempo correu, vertiginosamente...vamos encontrar nossa senhorinha, dez anos depois a bordar e se preparar para a chegada de um novo habitante...outro filho, para grande alegria de todos e dela também. Motivo de júbilo, como sempre deve e deveria ser a chegada de um bebê em uma enorme família (a do sogro) e numa pequena família como a sua. Novamente os exercícios e a preparação para mais um parto sem dor.O médico seria outro, um primo que havia se mudado para Muriaé e de quem ela gostava muito. Avisou a ele que faria o parto sem dor e este lhe afirmou, categoricamente, que isto não existia. Mas a nossa amiguinha era teimosa e se dispôs a se exercitar sem contar com a ajuda do médico...para isto retirou o seu querido livro da estante e reiniciou, com dedicação, os seus exercícios.
 Roupas foram lavadas, ao sol secavam e anunciavam a felicidade que se aproximava. As passadeiras se esmeravam, mister era deixar um cheirinho de bebê em todas as roupinhas. Os dois irmãos não cabiam em si de tanta alegria...uma nova etapa se iniciaria para aquelas vidas. Esperança de novos dias e de novas aventuras, com um irmãozinho a alegrá-los.

............................................................................................................


Por hoje, amigos, é só. Na próxima semana voltarei.
               Bjssssssss 

39 comentários:

✿ chica disse...

Sempre fico aqui pensando: -AH,que pena, quando chega o fim!! Lindo e ela teve as desventuras mas agora com novo bebê chegando, os preparativos, os cheirinhos, que pude sentir de perto, tudo lindo... Vamos te esperando por mais e mais! beijos,linda semana,chica

Dalva Rodrigues disse...

Bom dia Leninha!!!
Fico imaginando, já que não tive um segundo filho, como deve ser a expectativa da chegada de outra criança em relação à nossa insatisfação pessoal, esperança de novos tempos, conforto, conformismo...Talvez uma grande batalha emociona. Nunca saberei dizer.
É sempre um prazer ler suas postagens e refletir!

Beijos!

Anne Lieri disse...

Que pena!Estava tão gostoso de ler!...rss...linda a vida da senhorinha,adorei e aguardo a semana que vem!bjs e boa semana!

R. R. Barcellos disse...

Numa época em que se supervaloriza o "agora" em detrimento do "antes" e do "depois" você nos prova que o que foi continua a ser...
Abraços.

Suzana Leifer disse...

Que postagem linda! Que forma de escrever maravilhosa! O final do texto fez-me lembrar de quando eu esperei pela minha irmãzinha. Quantas expectativas e quanta ansiedade!
Parabéns pelo talento!
Grande beijo!
Suzana

http://suzanaleifer.blogspot.com.br

Sissym disse...

Leninha, eu nunca ouvi 'ouro-de-tolo', no entanto, pelo que voce descreveu, concordo, me fez ficar pensativa. É isso!

Beijos

Calu disse...

Leninha,
desilusões à parte,a chegada duma criança clareia todos os corações, ilumina os olhos e enche de felicidade a vida de todas da família.
Tenha uma linda semana, querida,
Calu

ELAINE disse...

Leninha querida! Obrigada pelo carinho! Agora é só esperar pelo próximo capítulo! Um início de semana iluminado!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Ange disse...


Amiga Leninha, boa tarde! Quanto tempo estive ausente né? Então minha amiga, graças a Deus estou totalmente recuperada de alguns pobleminhas de saúde que andei enfrentando. A única coisa que ainda se mantém ausente e a tal de inspiração para rabiscar...
Mas aproveito este período para atualizar-me e por em dia minhas leituras e passeios aos blogs amigos. Saudade amiga! Obrigada por seu carinho presente várias vezes lá no meu cantinho durante minha ausência.
Um grande abraço para você e meu carinho de sempre!
Lembranças
Ange.

Denise Santos disse...

Olá amiga,
Passando para te visitar e avisar que indiquei seu blog ao Prêmio Dardos, me faça uma visita e pegue no meu blog. Espero que goste.
Beijinhos e boa noite
http://de-enise-e.blogspot.com.br

Ivani disse...

Olá Senhorinha! li tudo o que havia perdido durante minha viagem.
Lembrei-me como se fosse hoje da chegada do rock e dos Beatles. Da imensa alegria em poder dançar, soltar o corpo, rebolar com o Elvis kkkkkkkk!
Como deve ter sido dificil não receber a aprovação do marido. Era tudo tão ingênuo, tão sem maldade, não é mesmo?
Mas voce tem razão, o espirito maxista dos mais velhos influenciavam os mais moços, e os homens sentiam-se envergonhados diante dos pais ou irmãos.
Bobagem! voce só queria se divertir!
Percebo nessa ultima postagem, apesar da alegria imensa da gravidez depois de tantos anos, que há um principio de desilusão.
Sinto que sobra amor, compreenção e boa vontade, mas falta companheirismo.
Sei lá, posso estar falando uma grande bobagem.
Vamos aguardar pela continuação.
Continue minha elegante e romântica senhorinha. Continue nos brindando com essa sua historia tão especial.
Um grande beijo amiga.

Lucinha disse...

Leninha,

A senhorinha aqui, também fez muitas expectativas e colheu muitas decepções. Assim como você, continuei cuidando da vida e das filhas com o mesmo amor. Mas, como mulher, insatisfeita.
O ouro-de-tolo eu garimpei muitos por essa vida, na fase ainda dos sonhos.

Sempre deixo pra vir aqui quando tenho tempo pra ler e saborear tudo que você escreve.

E, vamos esperar o próximo capítulo enquanto sentimos esse cheirinho gostoso de roupinhas de um bebê que está por vir.

Um lindo e abençoado dia! Beijos

Mônica disse...

Leninha
Que gostoso ler sobre a chegada de filhos em uma familia. Lá em casa somos seis. Mamae teve em cinco anos quatro filhos. Eram outros tempos!
com amizade monica

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

E mais uma linda etapa, agora à espera de mais um filho. Mas esta dona de casa, mãe de família dedicada ao lar,exemplar, não estava plenamente feliz, faltava "algo",que completasse a sua completa felicidade.... O que seria?

Um beijo, amiga Leninha,
da Lúcia

Catia Bosso disse...

Passando pra deixar um beijinho e meu carinho.... essa senhorinha é mesmo poderosa! rs


bjsMeus
Catita

manuela barroso disse...

Minha querida,
E porque a tua forma de escrever é cativante, e porque o desenrolar dos acontecimentos são lições de vida para que te lê, e porque és um ser maravilhoso aqui se vem com avidez ler mais um capitulo da tua história de vida. E quando pensava que tudo ia numa caminhada rotineira, eis que nos surpreendes com um presente: outro bébé!

Por tudo o que acima te disse,acho que és um exemplo de vida e de sabedoria merecedora do Prémio Dardos que deixei para ti lá num dos blogs. Traz o selo se assim o entenderes, como símbolo do que mereces e da minha admiração
Terno abraço minha doce Leninha

Mariazita disse...

Querida amiga Leninha
Não tinha lido o post anterior (tenho andado um pouco afastada...) de modo que agora li os dois.
Eu, que tenho três filhos, compreendo bem que a espera do terceiro`é igual à do primeiro. Talvez haja um pouco menos de ansiedade, mais alguma tranquilidade, mas aquele desejo de que o bebé venha logo não tem diferença nenhuma.
Adorei, como sempre...

Beijinhos com carinho

Renata Guidinha disse...

Leninha, mesmo gripada (hospedo tanta gente que o vírus da gripe pensou que também podia se instalar aqui), não consigo sair sem terminar de ler todas as postagens que ainda não tinha lido. estou me deliciando com suas narrativas...
A chegada desse novo bebê deve ter sido algo muito especial. Uma mãe que não era mais de primeira viagem, as vivências provavelmente a fizeram amdurecer muito e tenho certeza que muitas surpresas (nós seus leitores e admiradores )teremos nas próximas postagens.Filho dá trabalho, mas traz uma garra, uma energia descomunal a qualquer mulher, imagine uma mulher especial feito a Senhorinha, heim?
Já estou esperando os próximos acontecimentos...
Ô história mineira boa, sô!
Bjks

Helena Chiarello disse...

Passeando pelas tuas memórias e imaginando o que vai surgir mais adiante, com a expectativa de novos momentos e emoções...
Passando rapidinho, Leninhamada... Estou com visitas em casa e não quero me demorar no computador... rsrs
Mas não podia deixar de ler e trazer um beijo!
òtimo final de semana pra vocês, querida miga!

lis disse...

Oi Leninha
"E o tempo correndo vertiginosamente..."
e a nossa senhorinha questionando o mundo em seus devaneios e procurando nos livros as respostas nem sempre confortadoras,Daí nascendo esse brilhante dom de escrever .
Sempre digo que as histórias das senhorinhas se misturam com as minhas,os filhos , as insatisfações mas o caráter se firmando cada vez mais.
Muito bom , volto pra ler mais ok?
meus beijinhos e meu carinho

Dalva Rodrigues disse...

Leninha, minha querida, voltei para lhe agradecer palavras tão meigas que me deixou, fico muito feliz!! Espero que esteja recuperada da gripe e com força total!!!

Beijos!

Zilani Célia disse...

OI LENINHA!
SENTE-SE QUE ESTA SENHORITA,SE DESENCANTOU UM POUCO COM A VIDA.
TINHAS TANTOS SONHOS E COM O PASSAR DO TEMPO VEIO A FRUSTRAÇÃO PELA NÃO REALIZAÇÃO DOS MESMOS, AINDA BEM QUE OS FILHOS, QUE SÃO TUDO NA VIDA DE QUALQUER MÃE,TE DERAM O EQUILÍBRIO E A FORÇA QUE PRECISASTES.
ABRÇS
zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

Rita disse...

*。¨* ✫ ” ✫. ☽¨¯*。.☆¨*。¯`☆¸.✫˚¯`☆
Olá minha querida vim deixar meu bom dia pra vc, um bom final de semana
Com esse texto maravilhoso
Abraços
Rita
*。¨* ✫ ” ✫. ☽¨¯*。.☆¨*。¯`☆¸.✫˚¯`☆

Aleatoriamente disse...

Bom dia vozinha.
Venho com mais calma ler tudinho o que não li neste tempo.

Estava trabalhando em campo vó, lá não havia como estaá na net.Aproveitava a noite apenas para escrever o que fazia durante o dia no meu trabalho.

Amei esse texto, mas quero comentar os que ainda não li até chegar neste tá.

Bjo

Mônica disse...

Leninha
Um bom fim de semana
com amizade Monica

Mônica disse...

leninha
Pasei de novo pra dizer que minhas tias estao melhorando, Uma foi pra casa e a outra descobriram a doença e ja estao tratando adequadamente. Obrigada pelas oraçoes. Ainda precisamos de muita.
com amizade Monica

Suzane Weck disse...

Ola,ainda não conhecia este teu outro blog;nossa,é bom demais...Grande abraço querida amiga.

Tina Bau Couto disse...

Analogias, angústias, alegrias, partidas e chegadas, perdas e ganhos.

Como disse Quintana:
“ Todos os jardins deviam ser fechados,com altos muros de um cinza muito pálido,onde uma fonte pudesse cantar sozinha entre o vermelho dos cravos.
O que mata um jardim não é mesmo alguma ausência nem o abandono.
O que mata um jardim é esse olhar vazio de quem por eles passa indiferente.”

Patricia Galis disse...

Como gosto de ler tudo que posta aqui é uma nostalgia boa demais.

Élys disse...

Novo filho está para chegar e a senhorinha vai fazendo os seus exercícios sem contar com a ajuda do médico.
Vamos aguardar,...
Beijos.
Tenha um boa semana.
Élys.

#*Marly Bastos*# disse...

Entre memórias, lembranças, relatos, saudades e muitos outros sentimentos nós vamos viajando contigo nessa história que vc vai escrevendo e montando toda uma saga.
bjks doces e uma boa semana Leninha.

ONG ALERTA disse...

Vamos ver o que vai acontecer, também nunca ouvi esta expressão, beijo Lisette.

elvira carvalho disse...

Eu casei jovem e segui meu parido para outro país, outro continente. Quando se é jovem, e de repente saímos assim para outro mundo, ainda que se fique no mesmo sitio, a vida de casada relativamente à nossa vida até aí é um outro mundo. sentimos muitas angústias. Por muito felizes que estejamos com o casamento, a angústia dos sonhos que ficaram lá atrás, a incerteza do futuro, tudo nos causa uma sensação de que nos falta algo. E então quando se gosta de ler, procuramos nos livros a resposta para o que sentimos. Também li Sarte, Quoist, Pearl Buck Dostoievski, Eça de Queirós, Julio Dinis, Hemingway, Steinbeck, Dumas e muitos outros.
Um abraço

Maria Teresa Fheliz Benedito disse...

Lindo texto como sempre.
Você escreve muito bem e prende nossa atenção, adoro.
Estou bem agora, apenas a tireoide judia um tantinho, as vezes fico muito cansada, mas tenho que conviver com isso, mas estou bem, agradeço seu carinho e sua preocupação...fica com Deus e e um beijo em seu coração Leninha!

Leonel disse...

Leninha, vim retribuir a sua visita, e me deparei com uma história em capítulos que me pareceu bem bolada...
Não sei se inspirada em fatos reais ou imaginários, mas interessante!
Abraços!

Leonel disse...

Voltei para dizer que rebusquei as partes anteriores e constatei qye se trata da tua história!
Abraços!

ELAINE disse...

Ôi Leninha querida! Mal termino de ler e já estou imaginando quando terá mais.... Um abençoado e feliz início de semana!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Oi Leninha!
Muito bom estar aqui e compartilhar suas doces lembranças.
uma ótima quarta-feira para ti.
abração com carinho

Lelé disse...

Minha tia,

estou achando interessante esse lado da sua vida da qual eu não conhecia. Tudo para mim é gostoso de imaginar!


Bjin

Memórias de uma senhorinha Voltando para casa Enquanto o carro percorria a estrada, pneus rolando no saibro com o barulho caracterís...

Postagens mais visitadas