Instagram

Seguidores

segunda-feira, outubro 01, 2012

MEMÓRIAS DE UMA SENHORINHA / Novos Rumos







Alegria à vista!!! Uma nova escola inaugurada na cidade, trazendo novos e promissores rumos à vida de nossa senhorinha...Novas colegas, nova diretora, nova realidade!


Era o GRUPO ESCOLAR  DR OLAVO TOSTES  e sua diretora, Dna Conceição, sabia mesclar autoridade com carinho, não mais havendo aquele clima pesado da outra escola gerador de revolta e insubordinação entre os alunos.




Nas extremidades, à esquerda, a "senhorinha" Dona Leninha e à direita, a Diretora Dna Conceição

E ela teria uma sala de primeira série, seu sonho desde que começara a lecionar.

Era uma escola pré fabricada, muito em voga na época.Estas escolas, não eram bonitas, esquentavam muito e para um clima quente , não se revelaram uma escolha ideal...mas, devido ao baixo preço e à fácil manutenção, foram adotadas em várias cidades do país.

Estas seriam as qualidades mais importantes, mas há outras que também devem ser levadas em conta:

    • Isolamento térmico, impermeabilidade e resistência ao apodrecimento;
    • Resistência ao fogo e volume estável;
    • Aptidão para ser assentado e montado de maneira fácil;
    • Pouca necessidade de manutenção e conservação;
    • Resistência elevada.
Para as jovens e idealistas professoras representavam a modernidade e a certeza da chegada do progresso.

Escola nova, novas ideias e o melhor de tudo:uma primeira série com 30 alunos, sendo que dois eram seus filhos!
E com que alegria, ela levava sua charrete, não se importando com as "pirraças" do seu Paraiso e muito menos com as implicâncias do marido..

.
Sua turminha era linda, para ela a mais bonita da escola, os livros novinhos, fornecidos pelo Estado.

 Caminho Suave, era o nome da Cartilha

Caminho Suave

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Caminho Suave é uma obra didática, uma cartilha de alfabetização, concebida pela educadora brasileira Branca Alves de Lima (1911-2001), que se tornou um fenômeno editorial. De acordo com o Centro de Referência em Educação Mário Covas, calcula-se que, desde 1948 quando teve sua primeira edição, até meados da década de 1990, foram vendidos 40 milhões de exemplares dessa cartilha.
Em 1995, Caminho Suave foi retirada do catálogo do Ministério da Educação (portanto, não é mais avaliada), em favor da alfabetização baseada no construtivismo. Apesar de não ser mais o método "oficial" de alfabetização dos brasileiros, a cartilha de Branca Alves de Lima ainda vende cerca de 10 mil exemplares por ano.

Método de Alfabetização pela Imagem

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, em 1997, Branca Alves de Lima relatou que quando começou a lecionar, em cidadezinhas no interior paulista, a prática pedagógica para alfabetização se chamava "método analítico". Com o fim do Estado Novo, em 1945, as autoridades do MEC chegaram à conclusão que o "método analítico" não funcionava e estava superado, e deram liberdade didática aos professores.
Foi observando a dificuldade de seus alunos, a maioria oriundos da zona rural, que Branca Alves de Lima criou o método que ela própria denominou "alfabetização pela imagem". A letra "a" está inserida no corpo de uma abelha, a letra "b", na barriga de um bebê, o "f" fica instalado no corpo de uma faca, a letra "o", dentro de um ovo e assim por diante.
Especialistas em pedagogia afirmam que "Caminho Suave" e "Sodré" (de Benedita Stahl Sodré, autora da Cartilha Sodré) são os únicos métodos realmente brasileiros de alfabetização em português. O método da cartilha Caminho Suave começa pelas vogais, forma encontros vocálicos e depois parte para a silabação. O sucesso editorial seria devido ao fato de unir o processo analítico ao sintético, facilitando o aprendizado.
        E ela pretendia que fosse mesmo suave o caminho da aprendizagem e da alfabetização daquelas crianças...não pensem com isto que ela era a professora "boazinha" das histórinhas...era meiga e doce, mas sabia ser enérgica e exigente quando se tratava de disciplina, ora se sabia. Cantava, brincava, contava histórias, mas na hora do " vamos  ver", todo mundo "pianinho" porque estavam ali para aprender e isto muitas vezes incluia hábitos aos quais não estavam habituados em suas casas. Com licença, por favor e muito obrigada, não eram ensinados por muitos pais e ela fazia questão de ter alunos gentis uns com os outros e com os funcionários da escola.

Aliava ao tratamento enérgico, um carinho muito grande que se revelava nos momentos de "Histórias contadas" e Histórias Lidas", nos momentos de canções e de brincadeiras recreativas e educativas...ah, e nos desenhos nos cadernos de Dever de Casa...todos os dias levava para casa e fazia um desenho em cada um, no cabeçalho de cada caderninho! E era uma alegria para eles a surpresa diária: flores, paisagens, animais coloriam a vida e os cadernos daquelas crianças. E as excursões? Saiam em busca de beleza e a natureza era pródiga naquela cidade...a escola ficava quase no final da rua e depois deste final...o campo, a estrada e as montanhas...as fazendas, sendo que a sua era o melhor local para levá-los, havia o curral com as vacas e os bezerrinhos, a serraria, a tulha de arroz e milho e  a máquina de café (uma espécie de armazém onde se beneficiava o café) com suas enormes pilhas do mesmo.E era uma aventura para aquelas crianças escalar as pilhas de sacos e depois saltar sobre a montanha de palha de café.
em uma festa de Santo Antônio, a surpresa: uma camionete trazendo as filhas do Sêo Amaro Goulart para no terreiro da fazenda... uma revoada de cabecinhas louras desce e vem cumprimentá-la...uma nova fase iria ter início em sua vida, amigos novos, alegres e comunicativos, pessoas que partilhavam as mesmas ideias que ela, que sentiam as mesmas emoções ao ouvir uma melodia, que liam os mesmos livros, amavam os mesmos poetas e os mesmos cantores

 E o que ouviam as senhorinhas da época? Tom Jobim, Caetano Veloso, Maria Creusa, Dolores Duran, Maysa,Rita Pavoni, Elvis Presley, Peppino Di Caprio e mais outros nomes que as faziam vibrar.
E nos finais de semana passaram a se reunir em sua casa para cantar e ao som do violão de uma das amigas,iam noite adentro...
Ouça, Roberta, Nel blu dipinto  di blu, Desafinado e aquela que era a mais querida por elas, a melodia cantada pela  amada e competente Elisete Cardoso:

Modinha ( Olho A Rosa Na Janela )

Elizeth Cardoso

Olho a rosa na janela,
Sonho um sonho pequenino...
Se eu pudesse ser menino
Eu roubava essa rosa
E ofertava, todo prosa,
À primeira namorada.
E nesse pouco ou quase nada
Eu dizia o meu amor,
O meu amor...
Olho o sol findando lento,
Sonho um sonho de adulto...
Minha voz na voz do vento
Indo em busca do teu vulto.
E o meu verso em pedaços
Só querendo o teu perdão;
Eu me perco nos teus passos
e me encontro na canção...
Ai, amor, eu vou morrer
Buscando o teu amor...
Ai, amor, eu vou morrer
Buscando o teu amor...

E com esta melodia eu me despeço por hoje...na próxima semana voltarei.

                  Bjssssssssssss

 





















































43 comentários:

Moro em um Kinder Ovo disse...

Adorei o capitulo de hoje, quantas lembranças. Aprendi a ler com esta cartilha, dancei com Rita Pavone, cantei com Tom Jobin. Memórias de uma senhoria são memórias da mesma geração.

✿ chica disse...

Que lindas recordações.Tu eras lindona,heim? E que bom ver os ideais das professorinhas...Hoje as pobres coitadas até apanham dos alunos... Lindo post, como sempre. Estamos na serra e chove, mesmo assim, aproveitando!beijos,chica

Anne Lieri disse...

Leninha,essa musica fechou o post de hoje com chave de ouro!Como é linda essa letra,nào é mesmo? Adorei o relato de hoje,sei bem a alegria que existe em alfabetizar,ter sua própria sala,seus alunos...rss...é uma grande realização mesmo com as dificuldades da profissão!Adorei a foto tb!E quanto a minha poesia pode sim colocar no blog da Ariel!A Fadinha e o Momo vão se achar!...rsss...bjs e boa semana!

Túlia Catalão disse...

Esqueci o tempo e mergulhei na história. O tempo tem destas coisas: um momento que se apaga quando saboreado parece que estivemos "lá". Linda a letra da música!
Mais um capítulo mais uma espera.E que linda Leninha que esta senhoria é! muitos parabéns.
Muitos bjis

R. R. Barcellos disse...

"Vovó viu o ovo"...

Viajei em tua charrete do tempo. Melhor que um DeLorean...

Abraços.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Delicioso e suave, este caminho percorrido com tanto carinho e dignidade, que nos encanta ao ser narrado pela protagonista principal.
Formei-me para o magistério primário mas nunca atuei...o que me fez muita falta, quando passei a lecionar a disciplina Estrutura e Funcionamento do Ensino, em Licenciaturas, nos anos 1970 e 80 e tantos...

Lembro-me de "Olho a Rosa na Janela", de Sérgio Bittencourt, num Festival de Musica...Linda! Obrigada, por recordar para nós, Leninha querida. Até...

Boa semana, beijos,
da Lúcia

Patricia Galis disse...

Quanta coisa boa adoro ler suas memorias.

Convido gentilmente a conhecer as novidades do blog Cafe entre Amigos, creio que vai gostar e quem sabe participar, fique na paz.
http://www.cafeentreamigos.com/2012/09/convido-todos-seguidores-para-lerem-as.html

Zilani Célia disse...

OI LENINHA!
QUANTO AOS MÉTODOS ATUAIS, DE ALFABETIZAÇÃO TENHO RESTRIÇÕES, SE ANALISARMOS O RESULTADO FINAL, AS CRIANÇAS PELO MÉTODO ANTIGO SAÍAM DA 1° SÉRIE SABENDO LER, CONHECENDO AS LETRAS E AGORA ESTÃO, EM ALGUNS CASOS EM SÉRIES MAIS ADIANTADAS E NÃO LEEM.
ADOREI VIR AQUI, COMO SEMPRE.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

manuela barroso disse...

Minha querida Leninha,
Ouvir-te é ver-me sentada junto de ti e serenamente beber toda essa bela historia com tantos pormenores e desafios que contornas como se tivesses a certeza que conquistarias mais uma vitória.E todos os saltos que se te deparam os ultrapassas com uma alegria de vida que me deixas a sorrir ao imaginar-te.
Depois, repito, a alegria que emprestas á tua narrariva absorve-nos ao ponto de chegar ao fim com pena de acabar.
Mas torço por mais um bocadinho de "vidas" com a pressa já de voltar!
Ternurento abraço, querida

Profª Lourdes disse...

Oi Leninha! vim retribuir o carinho da sua visita, obrigada volte sempre. Bela post, essa música combina muito co a primavera, que ela seja real na tua vida, com muitas cores que simbolisam alegria e felicidade. Uma linda noite e que o mês que inicia seja de muita paz, saude e harmonia na tua vida e da tua família. Bjuss

Calu disse...

Excelente "radiografia" dos métodos de alfabetização mais usados na época, Leninha.Eu não sabia da contínua procura pela Caminho Suave.Tua postura educadora formou gerações.Nós que buscamos ensinar/educar/formar sabemos que o caminho não é suave,mas traz gratas satisfações ao longo da vida.
Gostei da seleção musical.
Bjkas,elegante senhorinha.
Calu

coresdocaminho - Alice disse...

Oi minha querida Leninha, quantas lindos momentos vivestes e que maravilha dividi-los conosco.
Viajo em suas lindas memorias.
Bjks e otima semana

Sissym disse...

Leninha,

Voce me fez lembrar de algo adormecido na minha memoria: a cartilha. E depois recordei do meu caderno de caligrafia. São lembranças que não se apagam... puxa.... (suspiro).

BEIJOS

ELENICE BARBOSA DE ANDRADE disse...

E eu faço parte desta história.Sou uma destas 30 crianças que sentiu o carinho, a ternura e a firmeza dessa professorinha amada.
Vai fundo na alma, tentei me lembrar do rosto de cada coleguinha,mas o DNA já não permite tantas memórias.
Que saudade!!Que volta ao passado!!Da vontade de chorar...

ValeriaC disse...

Rsrsrs ah minha flor, eu fui alfabetizada com a Cartilha Caminho Suave e acredita que eu alfabetizei meus dois filhos tantos anos depois com ela rsrsr? Eles já foram alfabetizados pra 1a série,sabendo ler, escrever e fazendo algumas continhas, mas lá vivenciaram como método, o construtivismo...mas sempre achei uma gracinha de cartilha e um bom método.
Eu adoro suas memórias, tenho certeza que você foi um encanto de professora e é um amor de amiga...beijinhos querida,
Valéria

Silenciosamente ouvindo... disse...

Minha amiga, sempre muito bom ler
o conteúdo dos seus posts. Gostei
muito.Bj
Irene Alves

Eloah disse...

Ah! Leninha, quantas memórias lindas, tão parecidas com a minha.Lembro-me da cartilha "Caminho Suave" e das músicas também.Não tínhamos a tecnologia de hoje, mas tínhamos bem mais amizades e festinhas caseiras, sem falar na pureza dos sonhos.
Obrigada querida por compartilhar conosco tão belas lembranças.
Brisas e Bjs eloah

Sissym disse...

Querida Leninha,

Bem, na verdade toda Fada tem uma magia de Bruxa tambem, enfeitiçando quando quer capturar os olhares.

Beijos


Esqueci de dizer antes, quando comentei a postagem: nem imagina o quanto gosto da primeira imagem, eu a tenho guardada a alguns anos. É assim que procuro fazer nos meus caminhos e tambem já conheci um sitio que tinha um caminho tomado por petalas pink.

Beijos

Toninhobira disse...

Linda passagem amiga.
Lembro das cartilhas e não sei porque mas sinto que as crianças aprendiam melhor.Sei lá.
Adorei relembrar esta linda musica da letra.
Otima semana amiga.
Meu carinhoso abraço mineiro de flor.
Bjo.

Majoli disse...

Que linda você Leninha!!!

Deliciosas narrativas e lembrei-me da minha cartilha Caminho Suave, quantas saudades.

Bom demais a finalização, me despeço também e nos vemos logo mais.

Beijos com carinho imenso.

pensandoemfamilia disse...

Belas recordações que me transportam para o passado.
Agradeço e retribuo sua visita.
bjs

Paulo Francisco disse...

Não sou mineiro não uai, sou carioca rs rs. Obrigado pela visita e pelo comentário lá no Varanda.
Um beijo grande

Arione Torres disse...

Oi Leninha querida, adoro os seus posts!
É maravilhoso recordar o passado, né?
Tenha uma linda smana, beijos!

ONG ALERTA disse...

Lembranças encantadoras, beijo Lisette.

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Leninha.

Que época linda!!
Ter os próprios filhos como alunos, deve ser uma experiência maravilhosa.
Você era bela, e continua.

Essas músicas...

Desejo-lhe uma semana abençoada.

Beijos.

Catia Bosso disse...

Leninha Linda!!

Só pra constar que passei os olhos por aqui viu!!!

*-* bjsMeus*

Catita

Helena Chiarello disse...

E com essa melodia eu embalo a emoção, que viaja gostosamente em tuas memórias...
Sempre bom estar aqui, nas tuas lembranças e palavras!
Um beijo, querida amiga!

casa de fifia disse...

olà Leninha
eu sou de uma outra geração quela do final dos anos 80,e inicio dos 90.
minhas recordações também são ligados a amigos e escola, mas não sempre felizes, a escola era com campo de batalha,onde era preciso poco para ouvir a terrível frase, te pego fora rsrs


bacione

Kellen Bittencourt disse...

Oii Leninha, agradeço a visita e por me seguir, já fiquei com vc, como é bom recordar fatos que nos fizeram felizes, pelo jeito esta é uma boa recordação, a foto antiga revela a amizade e o carisma deste grupo de professoras! Muito bacana! Bjooosss

Mariazita disse...

Querida amiga Leninha
Não imagina o prazer que eu sinto em ler os seus textos! Se resolver publicar um livro com todos eles me avise, quero ser a primeira da fila para comprá-lo.
É, simplesmente, delicioso.

Eu, que tenho uma filha professora, além de uma irmã, cunhada, sobrinhas, primas, e várias amigas e amigos, me encanto com a descrição de seu mister, tão diferente (infelizmente) do que é hoje em dia...

E como você era bonita e elegante!
Ficou lindíssima na foto.

Voltarei para o próximo episódio.

Beijinho GRANDE

SOL da Esteva disse...

Recordo bem os inícios da Alfabetização de Adultos, concebida como tal.
Trás-me lembranças de imensa gente que conseguiu acertar as agulhas do tempo. É como reviver o passado, Amiga.


Beijos


SOL

Aleatoriamente disse...

Vozinha querida, amei caminhar na sua história mais um pouquinho.Tão suave e linda estas lembranças.

E a moça bonita a esquerda deixa um ar de doçura na gente.

Lembrar estes momentos é muito lindo, ainda mais quando nós também podemos sorver com você essa alegria.

Belas lembranças vó.Um beijinho desta pessoa aqui que muito te gosta e admira.

Beijão

Lucinha disse...

Leninha,

Cada vez que passo aqui, conheço mais um pouco dessa pessoa maravilhosa que você é.
Que linda história cheia de sonhos, frustrações e encantos nessa sua caminhada.
Reconheci você imediatamente na foto, pelo sorriso. Ele é inconfundível. Rs
Tudo nos leva a uma linda viagem ao passado de uma grande mulher.
Que suas memórias sejam guardadas por seus filhos como relíquias.
Geralmente, não venho durante a semana, pois gosto de ler com calma todos os seus escritos.
Um lindo e abençoado final de semana. Beijos

Imac by Artes disse...

Leninha querida!
Vou segui-la por aqui(nesse blog) no outro não consigo postar comentários.
Parabéns amiga por essa postagem!
Linda demais! Senti uma saudade gostosa...trabalhei muito com essa cartilha Caminho Suave(meus filhos mais velhos, estudavam comigo e foram alfabetizados com ela)num insight lembrei de meus aluninhos.
Leninha na foto você é a do meio?
Incrível, tinha uma blusa de listras vermelhas e branca como esta e a usava com calça branca...
me vi nessa foto. Muito legal!
Abraços e uma linda tarde pra ti.


Zilani Célia disse...

OI LENINHA!
VIM AQUI SÓ PARA TE DIZER QUE FIQUEI MUITO CONTENTE POR TERES IDO NO "SÓ PRA DIZER" NO DIA EM QUE COLOQUEI UM POST PARA MEU FILHO E EU QUERIA MESMO QUE PESSOAS SENSÍVEIS O LESSEM, DAÍ MEU CONTENTAMENTO.
ABRÇS AMIGA.
zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

Profª Lourdes disse...

Olá Leninha! vim agradecer sua visita e desejar uma noite abençoada. Feliz eleições e que o Domindo seja de muita paz.Bjuss

Profª Lourdes disse...

Olá Leninha! vim agradecer sua visita e desejar uma noite abençoada. Feliz eleições e que o Domindo seja de muita paz.Bjuss

Arione Torres disse...

Oi Leninha querrida,
Sorrir quando quiser chorar
Se alegrar quando estiver triste
Cantar quando não quiser
ficar em silêncio
Sonhar de olhos abertos
Lutar mesmo com as forças
se esgotando
Ter esperança apesar
das dificuldades
Alimentar sonhos além
das fantasias e
Esquecer da solidão tendo-lhe
como amiga.

Te desejo um ótimo domingo e um excelente começo de semana, gosto muito de você viu? Nunca esqueça disso. Você mora no meu coração.

lenalima disse...

Bom dia!
fiquei sem fôlego, e voltei ao passado ...como era diferente, aos olhos de hoje , um sonho!
tive o prazer de viver um pouco desse enkantamento no passado, hoje está muito ruim , e parece que tende a piorar!

obrigada pelo seu carinho!

bjss

Nós Os Cachorros disse...

É muito bom saber mais sobre você amiga!!!

Adoro suas histórias, adoro estas histórias!!!

Sobre escola então... bateu uma saudade... rs

Obrigado por compartilhar!!!

Beijocas

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia minha linda!!!!!
Lendo esse texto,sabes do que sinto vontade.
Sinto vontade de sentar na sua frente,segurar suas mãos e dizer
-Agora me conta essa história, que eu quero ouvir olhando nos seus olhos,sentindo toda emoção ao vivo...
Aqui choro e me sinto vivendo parte dessa história...
bjsssssssssssssssss

MARIA DA FONTE disse...

Estas memórias trouxeram à tona de mim o meu passado. Que saudades! Lindo, muito lindo. Abraços

Renata Guidinha disse...

Ê Leninha querida! Me senti em casa... As músicas, "caminho suave"... embora o uso tenha sido diferente. Minha mãe nessa época ainda dava aula para crianças pequenas e era o livro adotado para a turma dela. Não estudei com este livro, o meu foi "Anita e Vavá"..., mas o que vc citou circulava em minha casa.
Lembranças boas, um tempo de sonhos e encantos mesmo.
Bjks mil