SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

quarta-feira, abril 25, 2012

Minhas memórias de menina





 Flores eram sua paixão e cuidava delas com alegria,desvelo e mil cuidados...
.................os mesmos que tomava com o irmão,pequeno e frágil...e todas as noites a encontrávamos cantando para ele dormir as doces canções que ouvira um dia da avó.
 E se desdobrava em cuidados,como se ele seu filho fosse...e corria em busca do médico da família,ao menor sinal de febre ou dor do irmãozinho...preocupava-se tanto quanto a mãe e dedicava uma parte do dia a brincar e contar-lhe histórias.



Mas nem tudo era colorido e nem tudo eram flores na vida de nossa menina...uma fase conturbada surgiu para perturbar seu sono e seus sonhos...o namorado,aquele que parecia um príncipe,em sua charrete e seu cavalo branco,começou a beber e este,naquela época era um vício inaceitável,principalmente pelo pai,enérgico e severo,que nunca havia bebido e não concordava mais com o namoro...nunca se havia manifestado  mas agora era totalmente contra.
Já falei,anteriormente,sobre a obediência das meninas daquela época às ordens paternas e maternas.Nossa amiguinha não fugia à regra,mas tentou manifestar a sua opinião,no que foi prontamente rechaçada pelos dois...não poderia mais continuar aquele namoro e pronto,estava decidido.Lágrimas,pedidos,nada adiantou...e as colegas também partilhavam as ideias paternas e vinham aconselhá-la e tentar fazê-la entender que nada poderia existir de bom em um relacionamento com um "beberrão".
Ela se opunha a estes conselhos,tentava argumentar até o dia em que ele mesmo veio lhe provar que a razão estava com todas estas pessoas que lhe queriam tanto bem...envolveu-se em uma briga em um bar e isto nem ela poderia aceitar.Foi para casa e concordou com os pais que lhe haviam proposto uma viagem para a casa da tia que morava em Carangola.Adorava a tia e sentia que lá haveria de esquecer este episódio de sua vida...
E,malas e bagagens prontas,lá se vai a nossa menina,para a casa de sua querida tia Ruth.

..............................................................................................................
A casa da tia

Antes de falar sobre a casa propriamente dita,preciso lhes apresentar a cidade de Carangola

Localização

Situada na encosta do Planalto Atlântico, Carangola está a leste do estado de Minas Gerais, pertencendo a mesorregião da Zona da Mata.
A posição geográfica de Carangola polariza a atenção de diversos municípios, dada a sua excelente estrutura de prestação de serviços, um significativo comércio e um latente processo de industrialização, recebendo influência de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Juiz de Fora.
O município de Carangola está constituído atualmente pela sede e pelos distritos de Alvorada, Lacerdina e Ponte Alta de Minas. Carangola é circundada pelos municípios de Divino e Espera Feliz, ao norte; Caiana,Espera Feliz e Faria Lemos, a leste; Fervedouro e São Francisco do Gloria, a oeste, Pedra Dourada e Faria Lemos, ao sul.
A igreja onde foi batizada


A cidade de Carangola,era para ela a terra onde moraram os avós paternos,durante a sua infância...a avó tão querida e o vovô/padrinho,sempre em sua memória.Voltar à Carangola...era voltar para os braços roliços da terna vovó Alzira,era relembrar o bisavô João Carlos,alegre e brincalhão e o avô,alto e magro que a levantava em seus braços e a fazia se sentir uma princeza.As histórias do avô,que acordava os empregados da fazenda com seu grito forte:"Olha o café!"e se vangloriava de não precisar de sino em sua fazenda...o café servido a todos os colonos na cozinha da fazenda,com as broas de milho,os biscoitinhos de nata e polvilho,os pães assados ali mesmo e o leite quentinho sobre o fogão à lenha.
Os causos do Chico Moleque,do pai e dos tios barulhentos e alegres,o circo que era montado na fazenda para divertir os colonos e suas famílias(mas ele não dava só o circo,dava o pão,a fartura e o companheirismo),os bailes,a venda...só a fazenda de meu avô e suas histórias dariam um livro e dos bons!

.................................................................................................................
Mas o avô e a avó já não habitavam esta terra,estavam em fazendas do outro lado da vida.
 ..............................................................................................................

E nossa menina chegou a Carangola,sem mágoas do pai ou da mãe,ela já cultivava o hábito de não deixar a tristeza fazer moradia entre os caracóis de seus cabelos e gostava do "jogo do contente"da Pollyana...

A tia recebeu-a com uma enorme alegria e um lindo sorriso(ela não se lembrava da beleza daquele sorriso),abraçou-a com carinho e ofereceu-lhe não só a casa mas o colo,o afeto,a ternura...
Era época de Exposição Agro Pecuária e isto significava passear durante o dia no Parque de Exposições e à noite os bailes no Clube da cidade.E a tia providenciou trajes de festa,sapato de salto seis e meio,carteira social e o mais importante:companhia,um par para dançar!!!O cunhado da tia estava na cidade e seria o seu acompanhante e cicerone durante o dia.Alto,olhos azuis,sorriso maroto,era como se realmente um príncipe se houvesse materializado...nesta idade as grandes paixões são esquecidas e dão lugar a outras,com uma facilidade incrível.

À noite a tia,tal qual uma fada madrinha,a vestia e enfeitava e nossa menina,radiosa e feliz,partia para o baile,não em uma carruagem,mas em uma camionete Chevrolet verde,que não se transformaria em abóbora...
E com um príncipe ao seu lado!!!


E aprendeu a dançar e os boleros,valsas ,baiões,a   faziam rodopiar pelo salão...um samba canção dolente a conduzia e embalava com seus acordes doces a provocar-lhe suspiros...e era como um sonho.


Eu Sonhei Que Tu Estavas TÃo Linda Lamartine Babo
Eu sonhei . . .que tu estavas tão linda . . .Numa festa de raro esplendor,Teu vestido de baile . . . lembro ainda:Era branco, todo branco, meu amor ! . . .A orquestra tocou umas valsas dolentes,Tomei-te aos braços, fomos dançando, ambos silentes . . E os pares que rodeavam entre nós,Diziam coisas, trocavam juras a meia voz . . .
Violinos enchiam o ar de emoçõesE de desejos uma centena de corações . . .P'ra despertar teu ciúme, tentei flertar alguém,Mas tu não flertaste ninguém ! . . .Olhavas só para mim,Vitórias de amor cantei,Mas foi tudo um sonho . . . acordei ! . . .





Mas não era um sonho e ela rodopiava e se sentia em um conto de fadas...

E se passaram os dias e o doce convívio estava quase a terminar...não houve um pedido formal de namoro,mas ele prometeu que a visitaria em setembro...e ela se foi,com o coração apertado,mas com a convicção de que a primavera seria um marco em sua vida.

 Eu vou,mas voltarei,amigos........................


Bjssssssssssssssssssssssssss























49 comentários:

Anônimo disse...

QUE LIDO DEDEZINHA!!!!!!!!!!

BRAVO!!!!BRAVISSIMO!!!!!!!!!

PARABENS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

TE ESPERO DE NOVO SEMANA QUE VEM.
TENHO MUITO ORGULHO DE VC. MAILDA. BSJSSS

Terê. disse...

Olá minha querida, amei sua postagem, fique com Deus bjus tere.

Anônimo disse...

Que lindo,Dedezinha!!!!!
Bravo!!!Bravíssimo!!!!!!!!

Parabéns!Te espero de novo semana que vem.
Tenho muito orgulho de você,

Marilda.Bjssssss

Elaine Cristina disse...

Gostoso viajar em suas doces lembranças!


"Nada é para sempre, dizemos, mas há momentos que parecem ficar suspensos,pairando sobre o fluir inexorável do tempo."José Saramago

Mari disse...

Que linda história...adorei! E as imagens, então...

Beijos no coração!♥

Moro em um Kinder Ovo disse...

Já fui a bailes no Clube de Carangola. Era um clube lindo, o mais bonito da região. Olha como os "nossos destinos" se cruzam.

✿ chica disse...

Sonhos, lindezas e desencantos trazidos tão lindamente aqui!! Lindo tudo!!Continuamos contigo! beijos,chica

MA FERREIRA disse...

Oi Leninha..

Muito bacana voce nos mostrar um pouco desta tua historia.Parabéns e parabéns..fico encantada toda vez que te visito!
Um beijo!

Aleatoriamente disse...

Boa noite vó.
Viajar nas tuas lembranças é honra.
Tantas recordações e você as revela numa docilidade gigante.

Adoro você preciosa.
Beijos

Renata Guidinha disse...

Mesmo sem poder estar aqui, não resisto e venho dar uma "espiadinha" em seus contares... Ai que coisa boa, depois de um dia tumultuado (problemas de saúde na família ) poder dar um respirada e viajar pra Minas uai! Só vc mesmo Leninha, para me levar agora pra Carangola...
E que baile foi esse meu Deus? Mesmo tanto tempo depois dá pra suspirar...
O problema é esse gostinho de quero mais no final de suas postagens. Fazer o quê? Esperar a próxima, né?
Bjks saudosas

Amapola disse...

Bom dia, querida amiga Leninha.

Que lindo...
Estou curiosa para saber se o lindo de olhos azuis, cumpriu o prometido.

Amei...

Beijos.

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Oi Leninha!
Ler suas estórias é viajar para um mundo encantado e mágico, onde reinam a beleza e alegria.
Amei.
Uma ótima quinta-feira para ti.
abração com carinho

Majoli disse...

Leninha querida, quantas saudades.
Amo te ler, ver as fotos que posta, esse seu jeito tão especial de ser...adorooooooo.

Obrigada por me fazer ficar entretida na leitura e levar comigo algo de gostoso, nostálgico e real.
Beijos querida Leninha.
Até mais.

SOL da Esteva disse...

Querida Leninha

A(s) tua(s) História(s) é (são) uma delícia.
Na simplicidade dos tempos, relatas uma Vida de ouro.
Maravilhas de recordações do passado.

Beijos

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.pt/

Mariazita disse...

Querida Leninha
Depois de ter pssado a manhã e parte da tarde no hospital (saúde do marido), nada melhor do que vir um pouquinho para junto de vc, partilhar destas tão lindas recordações.

É certo que na juventude se passa com relativa facilidade de uma paixão para outra, mas não é menos verdade que os amores se vivem (viviam) intensamente.

Adorei o seu relato, e as fotos são verdadeiras relíquias.
E seu irmão (o bebé é ele, suponho) tão fofinho...

P'ra semana cá estarei :)

Bejinho GRANDE

Ange disse...

Nossa, uma viagem longa amiga! Uma viagem entre odores de flores, lembranças de irmãozinhos pequenos, namoros proibidos, cidades distantes...
Uma viagem através das lembranças..
Parabéns amiga!
Uma linda e inspirada noite para você!
Lembranças
Ange,

JAN disse...

Oi Leninha
É.. nem tudo são flores... mas é bom lembrar, sem querer mudar. Só lembrar e pensar que o "preto e branco" acabou e as lembranças podem ser coloridas.

Abração
Jan

Ilca Santos disse...

Olá minha querida,
Me encanta ler seus textos, cheios de magia e beleza!
Que belas lembranças do passado.
Amei o post, parabéns!
Um grande e carinhoso abraço.

Lis disse...

Boa tarde!

Que bacana! É sempre bom relembrar!

bjoss

http://umcampocheiinhodegirassois.blogspot.com.br/

http://reina-em-mim.blogspot.com.br/

manuela barroso disse...

"ela já cultivava o hábito de não deixar a tristeza fazer moradia entre os caracóis"
E é com este estado de alma que transmites os valores do positivismo com a alegria com que nos visitas Leninha.
E mais uma vez deixas a tua história na suspensão dos ramos da incerteza e curiosidade tal a envolvência que consegues imprimir às tuas qualidades de uma bela romancista!
E como o outro comentário "fugiu" não sei se me repito minha querida. Mas fiquei com vontade de conhecer mais um pouco desta história maravihosa.
Aquele abraço minha querida Leninha!

Ange disse...

Leninha querida , venho aqui agradecer o belo poema de Kahlil Gibran que você tão gentilmente deixou lá na minha página. O mesmo fez uma interação perfeita ao meu poema.
Ao ler tão belas e sábias palavras fiquei emocionada.
Você foi uma das poucas que leu o poema (dedicado ao meu lindo filho) e entendeu o conteúdo
Por tratar-se da data 25 de abril (aniversário do meu filho) alguns leitores se confundiram e traduziram que o poema era relacionado com temas políticos e tal...

Obrigada por sua amável e fiel presença lá em minha página.
Uma linda noite!
Lembrancas.
Ange.

Anne Lieri disse...

Leninha,sua história é mesmo cativante!Adorei a nossa Polyanna!...rss...bjs,

Anne Lieri disse...

Leninha,sua história é mesmo cativante!Adorei a nossa Polyanna!...rss...bjs,

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Você vai contando a história da menina dos caracóis, seu namoro decepção, tristeza e logo alegria, na perspectiva de um novo amor.
Carangola, eu conheço, era a terra da querida Efhigênia, que morava em Jiz de Fora e fez questão de apresentar a sua terra natal.
A valsa de Lamartine Babo, alimentava os sonhos, o encantamento nos romances. Foi bom, recordar a letra, que acompanhei com música interior.
LINDO! Eu vou, mas volto!
Beijos, com grande carinho,
da Lúcia

mfc disse...

Era um tempo austero... mas também muito feliz e em que a imaginação substituía o consumismo!
Beijinhos, Leninha!

Evanir disse...

Podemos prometer atos,
mas não podemos prometer sentimentos...
Atos são pássaros engaiolados,
sentimentos são pássaros em vôo.
(Rubem Alves)
Pedindo desculpas pelo meu afastamente
nas visitas infelizmente foram alguns dias de muita
tenssão.
Eu aprendo todos dias, me espelho em outras
pessoas: Não dá pra fraquejar, quem é guerreiro
jamais entrega a Luta..
Deus abençoe grandemente seu final de semana beijos
no seu doce coração.
Evanir..

Calu disse...

Leninha,
estes tempos de muitos sonhos, são tbém de rápidas mudanças.Que bom, que neste caso as ocorridas vieram trazer alegria e beleza aos teus dias.
O coração, este incauto, rodopia leve nas asas da juventude.

Bjkas, querida,
Calu

OBS:adorei o trecho que vc deixou lá no blog.Valeu!!

LUCONI disse...

Menina como sempre vir aqui é viajar entrar na tua história e fazer parte dela, que delicia, adorei a foto de bebe do teu irmãozinho, lindo demais, beijos Luconi

Marcio JR disse...

Leninha, eu mal chego no teu blog e já vou ter que reclamar?

Quero ler mais, e você não poderia ter parado onde parou!!!

Brincadeiras a parte, que leitura agradabilíssima. Passear pelo texto e pelas locações foi algo fácil e gratificante, e que me carregaram de encanto.

Um texto feito com esmero e extrema qualidade ao escrever. Isso, sem contar o talento da autora, e os ensinamentos que a vida lhe deu. Perfeito. Diria, fantástico.

Quero agradecer também o seu comentário em meu blog. Você foi de extrema gentileza. E que bom que gostou da homenagem ao Cacá. Ele é um grande amigo e merece cada palavra de afeto que dedicam a ele.

Grande abraço, Leninha. E um excelente domingo pra ti.

Marcio

elvira carvalho disse...

Fiquei "em pulgas" para saber se o principe vai cumprir a promessa ou se vira sapo.
Um abraço e boa semana.


À margem. O Sexta hoje é aniversariante. Se quiser aparecer fico feliz, a festa é para os amigos.

Gilmara Wolkartt disse...

Ei Leninha!
Que tempos maravilhosos eram aqueles, de bailes e festas sem grandes perigos.Adorei ler a história dessa menina!
Obrigada pela sua doce presença em meu blog!
Gd beijo

Celêdian Assis disse...

Leninha querida, primeiramente quero lhe dar um abraço, apertado e carinhoso, só para dizer que sempre me faz feliz com sua presença igualmente carinhosa em meu blog. Sinto seu abraço a cada vez que te vejo passando por lá. Sinto-me às vezes mal, por não retribuir na mesma frequência, mas saiba que lhe tenho muito apreço.

Sobre a história dessa menina, cheia de aventuras dentro da limitação do que a vida lhe impôs, é emocionante e rica. Parabéns pelo texto e pela história de vida.

Conheço bem todos esses lugares que você citou. Já passei férias muitas vezes, quando era casada, na região de Carangola, mas isto já faz um bom tempo...rsrs...
Um beijo querida e uma linda semana para você.
Celêdian

Celêdian Assis disse...

Leninha querida, primeiramente quero lhe dar um abraço, apertado e carinhoso, só para dizer que sempre me faz feliz com sua presença igualmente carinhosa em meu blog. Sinto seu abraço a cada vez que te vejo passando por lá. Sinto-me às vezes mal, por não retribuir na mesma frequência, mas saiba que lhe tenho muito apreço.

Sobre a história dessa menina, cheia de aventuras dentro da limitação do que a vida lhe impôs, é emocionante e rica. Parabéns pelo texto e pela história de vida.

Conheço bem todos esses lugares que você citou. Já passei férias muitas vezes, quando era casada, na região de Carangola, mas isto já faz um bom tempo...rsrs...
Um beijo querida e uma linda semana para você.
Celêdian

pensandoemfamilia disse...

Olá
Querida
Grata pela visita.
Interessante a história que vai nos despertando o interesse de conhercer mais...
Obs

O blogger fechou para os demais blogs os seguidores. Sei que alguns amigos possuem em seus blogs meu link e com isto ficam sabendo das atualizaçõs.

pensandoemfamilia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pensandoemfamilia disse...

Querida
Grata pela visita.
Interessante a história que vai nos despertando o interesse de conhercer mais...
Obs

O blogger fechou para os demais blogs os seguidores. Sei que alguns amigos possuem em seus blogs meu link e com isto ficam sabendo das atualizaçõs

Arione Torres disse...

Oi Leninha, muito bonito o post.
Adoro suas palavras. Gosto muito de você amiga.
Tenha uma ótima semana e um feriado maravilhoso, bjus...

casa de fifia disse...

ola leninha
essa história me lembrou uma de uma menina que conheci,
não sei se a sua terá um final feliz,mas a dela,
menina dos anos oitenta,que não obedecia a ninguém e fazia como queria,teve um final triste,
porque ela mesmo contraria aos pais fugiu de casa, e foi morar o beberão, vive entre brigas e porres por muito tempo, até o dia que durante uma viajem onde ele mesmo bêbado insistiu para dirigir e quase matou ela e o filhinho deles, de um ano,ai ela decidiu que era hora de voltar para acasa dos pais e pedir perdão.
espero que sua historia não acabe assim.


bacione

Zilani Célia disse...

OI LENINHA!
A D O R E I!!!!!!!!!!!
QUE HISTÓRIA DELICADA REPORTANDO AOS TEMPOS DE ANTIGAMENTE.
E, TU ESCREVES TÃO BEM QUE DÁ VONTADE DE LER A CONTINUAÇÃO.
(LENINHA, EU SEMPRE DIGO QUE OS MISTÉRIOS SOBRE A OUTRA VIDA SÃO DEVIDO AO FATO DE SER TÃO MARAVILHOSA, QUE, NÃO DEVEMOS TER CERTEZA DISTO SENÃO...)
GRATA POR TUA VISITA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

Su disse...

minha doce amiga, quantas saudades dessa menina, dessas memórias...
ando tão em falta contigo, mas prometo que vou ler os capítulos que eu perdi...

aqui está tudo bem, um pouco mais tranquila com a entrega hoje do artigo, mas agora começa o vai e vem, até final de junho ainda...

Saudades dos nossos papos, cházinhos e nossos bolinhos, mas logo logo eu volto...

Li seu e-mail, vou responder por lá.

Beijos gigantes no seu coração e fica com Deus.

Su.

lis disse...

Uma época linda Leninha
e suas recordações nos fazem voltar também ao passado.
Obrigada por partilhar essas coisinhas tão especiais
beijos

R. R. Barcellos disse...

Leninha, agradeço sua visita. Na verdade, sou carioca - mas filhos de pais mineiros. Gostei dos seus dois cantinhos e já a estou seguindo.
Abraços.

Leh disse...

Oi, Leninha!

Li o texto na íntegra, palavra por palavra, viajando como num livro. Amei Carangola. Bons tempos, boa menina, que amor de avós e tia.
Caminhando para um final lindo.
Mas fiquei agoniada com o blecaute, rs

Volto para o final, ansiosa.

Lindo, amiga!

Beijos

Lua Negra disse...

Amiga, estou oferecendo um selinho de comemoração no Natureza.
Espero que goste e traga com você.
Beijinhos de estrelas.
Lua.
http://naturezadeluanegra.blogspot.com.br

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Olá! Li com atenção e entusiasmo esta história e fiquei com imensa curiosidade para saber se ele vai encontrá-la ou não... céus...que vida e quantas emoções de menina!!!
Parabéns...estou adorando!
Bjs e um ótimo dia!

manuela barroso disse...

Minha querida Leninha,
Mais um pouquinho da tua historia para voltar atrás no tempo!
E ver-te é sempre uma grande alegria, minha querida amiga!
Terno abraço

Renata Guidinha disse...

Como é amiga, vai deixar a gente sem o próximo capítulo? Me sentei aqui pra bisbilhotar o desenrolar da história e a autora não postou as cenas seguintes?
Desejo que as coisas aí estejam bem aconchegantes... Aqui a luta continua no caso que já relatei, mas vamos em frente.
Bjks mil

Toninhobira disse...

Coisas do coração.Suas postagens fazem viagens amiga.
Um bom fim de semana a voce.
Meu carinhoso abraço.
Bjo.

Amapola disse...

Boa tarde, querida amiga Leninha.

Passei para lhe dar um abraço.

FELIZ DIA DAS MÃES!

Beijos.

Memórias de uma senhorinha Voltando para casa Enquanto o carro percorria a estrada, pneus rolando no saibro com o barulho caracterís...

Postagens mais visitadas