SONHOS E ENCANTOS

SONHOS E ENCANTOS

quarta-feira, agosto 21, 2013

Nosso Encontro com Lucinha




Renata,Lucinha e Jô
Ana e Carol


Foi na Arlequim*,uma livraria deliciosa,situada no Paço Imperial,que aconteceu o nosso encontro,repleto de emoções,alegria e muito,muito afeto.Neste ambiente,onde se respira História e se sente no ar,nas paredes e nas imensas portas uma atmosfera de outras épocas,neste ambiente vamos encontrar a modernidade presente nas estantes e nos escaninhos:livros os mais diversos,CDs,DVDs e filmes de todas as épocas.E a música que se ouvia,lenta e suave,nos transmitia paz e suavidade,calma e relaxamento.

Um capítulo à parte,o cardápio nos brindava com finas iguarias,bebidas atraentes e sobremesas deliciosas e tentadoras.


Sexta feira foi o nosso encontro e nos divertimos muito,nos emocionamos bastante e soubemos aproveitar todos os instantes...o local é lindo,nos remetendo ao período imperial,pois a atmosfera é carregada(assim eu senti) das recordações de uma época muito linda de nossa História,mas ao mesmo tempo de muitas revoltas e sentimentos de tristeza por parte daquelas mulheres que tiveram que abandonar suas pátrias e vir para um país tropical diferente em tudo de suas terras de origem.Foi este o sentimento que me invadiu ao percorrer uma pequena parte daquele Paço que um dia abrigou nossos Imperadores,suas esposas e filhos.Hoje as pessoas que frequentam aquela moderna livraria,não devem nem pensar nisto...o burburinho das mesas,os livros em imensas estantes,as gôndolas com CDs,DVDs e filmes,as iguarias deliciosas que fazem parte de um cardápio refinado,não permitem que o pensamento viaje por estas paredes e veja o invisível aos olhos.Somente uma romântica inveterada é acometida por estes pensamentos e o dia a dia das pessoas que ali se reúnem não lhes permite estas elocubrações,fonte de uma mente afeita ao divagar...

Paço Imperial











Eu e Lucinha


*

Café, Bistrô e Happy Hour no Centro do Rio de Janeiro

Café e Bistrô

Nosso Bistrô oferece serviço de almoço e lanche. Cardápio original idealizado em colaboração com a chef Roberta Ciasca e com interferências orientais de Chan Suen - consultora gastronômica.
Veja nosso menu, carta de vinhos e bebidas.

Happy Hour

Local agradável para Happy Hour em ambiente cultural.
Frequentado por turistas, quem trabalha ou estuda no centro da cidade.
Bebidas variadas: soft-drinks, cafés, cervejas, whiskys e drinks especiais.
Deliciosas refeições e aperitivos para degustação.



















Zizi,Virgínia,eu,Renata Guidinha,Lucinha e Jô




Endereço
Praça XV de Novembro, 48 - Centro




O Paço Imperial é um edifício colonial localizado na atual Praça XV, no centro histórico do Rio de Janeiro, Brasil.
Construído no século XVIII para residência dos governadores da Capitania do Rio de Janeiro, passou a ser a casa de despachos, sucessivamente, do Vice-Rei do Brasil, do Rei de Portugal Dom João VI e dos imperadores do Brasil. Atualmente é um centro cultural. Pela sua importância histórica e estética, o Paço Imperial é considerado o mais importante dos edifícios civis coloniais do Brasil.

    História

    Casa dos Governadores e Vice-Reis


    Vista do Largo do Paço (Jean Baptiste Debret, c. 1830). O Paço Imperial é o edifício 
    do lado esquerdo do largo. Ao fundo vêem-se, da esquerda para a direita, o Convento do Carmo, a Catedral e a Igreja da Ordem Terceira do Carmo. No centro, em primeiro plano, está o Chafariz de Mestre Valentim.
    A história do edifício começa em 1733, quando o governador Gomes Freire de Andrade, conde de Bobadela, pede ao rei D. João V licença para edificar uma casa de governo no Rio 1 . Cerca de 1738 começa a construção do edifício, seguindo o projeto do engenheiro militar português José Fernandes Pinto Alpoim, no Largo do Carmo (ou da Polé), atual Praça XV, no centro da cidade colonial 1 . A nova Casa dos Governadores foi inaugurada em 1743. Aproximadamente na mesma época o Largo sofreu outras intervenções urbanísticas importantes, com a construção das casas de Telles de Menezes do lado oposto ao do Paço (também projetadas por Alpoim) e a inauguração de um chafariz, trazido de Lisboa, no centro do largo 1 .
    Alpoim aproveitou os edifícios pré-existentes no local, o Armazém Real e a Casa da Moeda, na nova edificação, acrescentando dois pisos novos com janelas com pequenas sacadas e molduras de vergas curvas, na época uma novidade no Brasil. No interior há uma bela portada em pedra de lioz e vários pátios para a circulação, e o acesso aos pisos superiores se dá por uma bela escadaria. Até 1808 a Casa da Moeda e o Real Armazém continuaram a funcionar no térreo 1 .
    Em 1763, com a transferência da sede do Vice-Reino do Brasil de Salvador para o Rio, a Casa dos Governadores passou a ser a casa de despachos do Vice-Rei, o Paço dos Vice-Reis 1 .

    Paço Real

    Em 1808, com a chegada ao Rio da família real portuguesa, o edifício é promovido a Paço Real e usado como casa de despachos do Príncipe-Regente (e depois Rei) D. João VI. Nessa época o Paço sofreu obras de adaptação, tendo sido acrescentado um novo andar central à fachada voltada para a Baía da Guanabara 1 . Os interiores foram redecorados e o Paço ganhou uma Sala do Trono, onde ocorria a tradicional cerimônia do Beija-mão. Também se construiu um passadiço ao vizinho Convento do Carmo, onde se instalou a Rainha D. Maria I 1 .
    Para a aclamação do rei D. João VI foi construída a "Varanda", um anexo monumental entre o Paço e o Convento do Carmo, onde se realizou a cerimônia. A mesma Varanda foi utilizada nas coroações de D. Pedro I (1822-1831) e D. Pedro II (1840-1889), sendo demolida ainda durante o Segundo Reinado 1 .

    Paço Imperial

    Após a Independência do Brasil, o edifício passou a Paço Imperial, sendo chamado também de Paço do Rio de Janeiro, funcionando como despacho e residência eventual para D. Pedro I e depois para D. Pedro II 1 . No interior há uma sala, o Pátio dos Arqueiros, que ainda mantém a decoração em estuque original da década de 1840. Neste período a fachada recebeu o acréscimo de uma platibanda em torno do terceiro andar e que ocultava o telhado 1 . Foi no Paço que, a 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I decidiu ficar no Brasil e não voltar a Portugal (Dia do Fico) 1 . Também foi numa das salas do Paço que a Princesa Isabel assinou, dia 13 de maio de 1888, a Lei Áurea, libertando os escravos 1 . O Paço Imperial foi ainda o primeiro local fotografado na América Latina. Em 1840, o Abade Compte fez a primeira fotografia do Brasil, mostrando o Paço e o largo adjacente.

    Decadência e recuperação

    Após a Proclamação da República, as propriedades da Família Imperial e seus bens foram arrestados e leiloados. O Paço foi transformado em Agência Central dos Correios e Telégrafos 1 . A decoração interna - estuques, pinturas e decoração - foi destruída e dispersa. A platibanda foi retirada para a expansão do terceiro andar, que passou a ocupar toda extensão do prédio 1 . O pátio central foi ocupado e a fachada alterada com a introdução de frontões em estilo neo-colonial. Em 1938 houve o tombamento do prédio e só em 1982 o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional restaurou o Paço à forma que tinha em 1818 1 .

    O Paço hoje

    Atualmente o Paço Imperial é um Centro Cultural onde ocorrem mostras dos mais variados tipos (pintura, fotografia, escultura, cinema, música, etc). O Paço dispõe de uma biblioteca de arte e arquitetura (Biblioteca Paulo Santos) e várias lojas (livraria, disqueria, restaurante) .
    Fonte:Wikipédia



    18 comentários:

    Sissym Mascarenhas disse...

    Leninha!

    Eu estive rapidinho no Paço na ultima sexta-feira, por volta de 14:00H! Antes tive um compromisso perto, passei na Igreja São José (linda demais) e antes de entrar pela Assembleia, dei uma chegadinha no Paço só para espiar e ver se havia novidade.

    Que lugar incrível que voce escolheram, otima opção. Alem de que teve a oportunidade de falar neste blog sobre história brasileira. Foi enriquecedor ler os detalhes, porque o tempo passa e a memória vai ficando "esquecida".

    Beijos

    ✿ chica disse...

    Lindas fotos e deste uma bela aula sobre o Paço, lugar lindo e histórico! Valeu a alegria do encontro, tudo bem organizado e a farra foi linda! Adorei as fotos! beijos pra todas! chica

    Élys disse...

    Um belo passeio proporcionando um lindo encontro em um lugar cheio de história. Excelente postagem,
    Beijos.
    Élys

    Maria Luiza disse...

    Você, Leninha é romântica incurável como eu! Percebeu? Quando eu ia à Petrópolis e visitava algo assim eu ficava como vc se descreveu.O lugar escolhido para o encontro foi apropriadíssimo e compensou. Adorei as suas explicações Um grande e forte abraço! Fique bem!

    Imaculada disse...

    Que delícia de encontro!
    Estar junto de pessoas queridas é lindo de viver!
    Amei te ler...
    Abraços! Linda tarde pra ti.

    Marly disse...

    Oi, Leninha!

    Já tinha visto as fotos do encontro de vocês no FB e imaginado a alegre "farra" que vocês se permitiram fazer naqueles momentos, rsrs. O lugar é mesmo lindo, a escolha dele foi muito feliz.
    Eu também nunca consigo ir a locais como esse, cheio de histórias, sem perceber os ecos das outras eras. Uma vez eu disse ao meu marido que havia ouvido o roçar das saias das damas de outrora, numa igreja em Ouro Preto, rsrs.

    Um beijo e boa tarde, querida!

    Renata Guidinha disse...

    Postagem marvilhosa,marcando um momento super especial e se Deus quiser a sua volta para blogosfera com força total.
    Leninha você descreveu de forma irretocável o encontro e toda a atmosfera do local em que estivemos. Show!!!!!!
    Bjks mil

    Antonia Ivani disse...

    Ah Leninha como eu gostaria de estar lá também!
    Voce descreveu tão bem as sensações que eu fiquei pensando em como deve ser bom andar aí pelo Rio de Janeiro com voce à tiracolo.
    Uma verdadeira aula de história.
    Que pena morarmos tão longe uma da outra.
    Quem sabe um dia vou a um desses encontros? seria bom demais!
    As fotos ficaram ótimas, voces todas são muito bonitas.
    Seu cabelo está lindo!
    Beijos queridona e parabéns pela postagem.

    manuela barroso disse...

    Minha querida Leninha,
    Embora num momento de pausa para férias não resisto em abrir uma exceção para te dizer o quanto gostei desta tua incursão pela história (nem sempre com acontecimentos felizes...) mas onde os fatos aconteceram. Não conheço o espaço mas de certeza foi bem escolhido para momento tão especial. As fotos estão ótimas, tu estas lindérrima como sempre
    Os teus posts fazem falta querida. A tua ausência é um vazio que tens que colmatar, desculpa. Nem que seja de mês a mês...
    Um ternurento abraço e muitos beijinhos

    coresdocaminho - Alice disse...

    Oi Leninha, que delicia de encontro, parabens pelo belo post, pois atraves dele conheci um pouco mais da historia desse nosso belo país.
    Bjks carinhosas a todas voces.

    Calu disse...

    Leninha,
    que momento mágico este,onde a alegria do afeto foi adornada pelo ambiente.O sorriso de vcs diz o quanto foi rico e festejado este encontro.
    Um bjo festivo em cada uma.
    Calu

    Nina disse...

    Esse espaço parece ser muito aconchegante.

    Beijos,
    Nina

    Arione Torres disse...

    Oi amiga, muito lindo! Que saudades de você!!
    Tenha uma linda semana e bom mês de setembro, fique com Deus, beijos! Estou com muitas saudades!!

    Marly de Bastos disse...

    Te achei de novo! Meu blog mudou e perdi todos os meus contatos, aos poucos vou achando vocês.
    Sempre um prazer ler e participar da sua história.
    Bjkas doces e boa semana.

    Bergilde disse...

    Leninha,meu abraço fraterno retornando ao blogspot.
    Belíssima postagem a sua deixando com uma doce recordação deste significativo momento vivído e parabéns também pelas informações colhídas e partilhadas acerca deste belo lugar!

    Severa Cabral(escritora) disse...

    AMIGA QUERIDA !
    HOJE AO ABRIR MEU BLOG FUI SURPREENDIDA COM SUA VISITA E COMENTÁRIO.E RETROCEDI NO TEMPO.LEMBRA-SE QUE UM DIA EU COBREI TUA PRESENÇA NELE?
    VALEU MUITO A PENA.POIS ERA DE PESSOAS HONESTAS E QUERIDAS QUE ESTAVA ATRÁS.
    HOJE VALEU !
    ESTOU VOLTANDO DEVAGARINHO E BREVE VOLTAREI PARA COMENTAR ..
    AGRADEÇO O CARINHO DEIXADO LÁ.NEM TEM PREÇO,SABIAS ?

    Eloah disse...

    Querida, que lindo passeio!Encontrar com pessoas maravilhosas, num ambiente tão belo só pode ser inesquecível e registrado.Fiquei aqui com um pouquinho de inveja ( boa). Bjs.Eloah

    Beatriz Bragança disse...

    Querida Leninha
    Que bom! Voltou para nos contar tudo como foi,e nos mostrar tudo como está.
    Se eu estivesse aí,ia já dar um passeio por esses locais maravilhosos em todos os sentidos.
    Assim,faço-o virtualmente e admiro as fotografias que colocou.Ficou muito bonita! Parabéns,minha amiga.
    Obrigada pela partilha.
    Tenha um óptimo domingo.
    Beijinhos da
    Beatriz

    Memórias de uma Senhorinha E nossa senhorinha usava a imaginação e a criatividade para suprir a falta do material suplementar para...

    Postagens mais visitadas