Instagram

Seguidores

quinta-feira, janeiro 22, 2015

RELATO DE UM MILAGRE

PADRE  JULIO MARIA






Começa em janeiro de 2015 o processo de beatificação do padre Júlio Maria de Lombaerde (1878-1944). Nascido na Bélgica, ele passou os últimos 16 anos de sua vida em Minas Gerais, onde se dedicou à criação de escolas, hospitais, asilos e congregações. Atualmente o padre tem o título de Servo de Deus, mas em janeiro do ano passado o Vaticano autorizou a abertura do processo de beatificação.

A fase diocesana do processo de beatificação e posterior canonização do missionário terá início em Manhumirim, na Zona da Mata, de onde vem a mobilização para reconhecê-lo como santo. O bispo diocesano de Caratinga, dom Emanuel Messias de Oliveira é o responsável pelos procedimentos. Entre os dias 22 e 24 de janeiro será realizado um simpósio com palestras e oficinas sobre temáticas relacionadas à vida e obra do padre Júlio Maria. Participantes de outros estados brasileiros são aguardados.

Sabedora de tal fato estou enviando para a Congregação dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora o relato de um milagre ocorrido em nossa família por intermédio do Pe Julio Maria



Meu nome é Helena Maria Oliveira Brandão de Rezende. Resido atualmente em Teresópolis/ RJ, porém sou natural de Manhumirim/ MG.
Este relato me foi feito por minha mãe, hoje falecida,
Maria Helena de Oliveira.

     No ano de 1952 ,minha mãe estava grávida e, segundo suas próprias palavras, correndo o risco de  perder a vida ou a vida da criança, por ser uma gravidez de altíssimo risco, devido à problemas de hipertensão arterial somados à sua idade e outros problemas de saúde.
Já era mãe de duas filhas e sempre teve dificuldades de levar à termo a gravidez. Seu médico já a havia advertido quanto ao risco de uma nova gravidez.  Morava ainda em Manhumirim quando nascemos, minha irmã e eu.
Na época da terceira gravidez, residíamos em Muriaé/MG e ela não havia se esquecido das recomendações de seu médico, porém quis tentar assim mesmo, sonhando com o nascimento de um filho que seria a realização de um desejo dela e de meu pai, uma vez que só tinham filhas.
Foi uma gravidez atribulada, suas pernas constantemente inchadas, uma dieta de total abstenção do sal, um desânimo constante e o receio enorme do que poderia acontecer.
Em Manhumirim aprendera a estimar o Pe. Júlio Maria e a ouvir os seus conselhos. Assinava o jornal "O Lutador" e todos nós o líamos. Morávamos em Pouso Alegre quando o padre sofreu o terrível acidente no qual perdeu a vida. Minha mãe passou a rezar sempre por ele e quando nos mudamos para Muriaé, esta devoção a acompanhou.
Na gravidez sentiu que só ele poderia ajudá-la. E quando se aproximava a data do parto foi a ele que se dirigiu, prometendo-lhe que se a criança se salvasse dar-lhe-ia o nome de Julio Maria (tinha quase certeza que seria um menino).
Após um parto demorado e difícil, nasceu o meu irmão, com  baixo peso. Nas condições da medicina da época, a sobrevivência de um recém nascido prematuro de baixo peso era dificílima, só mesmo um milagre. E este realmente aconteceu. Hoje meu irmão que se chama Julio Maria de Oliveira, conforme a promessa feita por minha mãe, encontra-se com 62 anos e com perfeita saúde, é médico em Teresópolis / RJ. Não por coincidência, soubemos que a medicina era uma das áreas de maior interesse do Pe. Júlio Maria.






5 comentários:

✿ chica disse...

Leninha, que lindo relato de vida e bela graça alcançada pela tua mãe que ficaria feliz ao saber desse processo de beatificação!

beijos praianos,chica

leninha brandao disse...

Minha querida Chica,
Onde minha mãe estiver,sei que deve estar exultante com este fato!
Obrigada por tua opinião sempre valiosa e cheia de carinho,minha querida!
Bjssss serranos

Dalva Rodrigues disse...

Oi Leninha, o amor pela vida opera milagres em mentes amorosas. Linda fé!
Beijos!

manuela barroso disse...


Quando comecei a ler o processo de beatificação e vida do Pe Júlio, estava longe de pensar que este encantador encaixe teria o seu propósito! Maravilhoso, querida Leninha, tanto pela história deste padre santo, mas também, como por coincidência, o fervor de tua querida mãe e desfecho desta história de vida!
Parabéns, minha doce amiga, por essa forma tão peculiar como sabes narrar.
Bem- vinda, Leninha ao teu Sítio, que tem esperado por ti!
Ternurento abraçoooo!

casa de fifia disse...

OLà CARISSIMA lENINHA
è TEMPOS QUE NAO VENHO POR AQUI, MAS SE SABE OS AMIGOS POR MAIS QUE ANDEM POR OUTRAS PARAGENS NO FINAL VOLTAM SEMPRE.
ULTIMANTE ESTOU MEIO DESLIGADA DO MUNDO VIRTUAL E DESCUIDEI DAS AMIZADES VIRTUAIS, A VIDA REAL ABSORVE TODO O MEU TEMPO.
QUE DOCES LEMBRANÇAS DE SUA CUNHADA,è SEMPRE TRISTE PERDER PESSOAS QUERIDAS, MAS ELA DEIXOU UMA DOCE RECORDAÇÕES NA SUA VIDA E COM CERTEZA VIVERA POR MUITOS ANOS, NA SUA MEMORIA E SEU CORAÇÃO.
QUERIDA OBRIGADO POR ESSE ANOS DE AMIZADE VIRTUAL.
NESTE MEIO TEMPO CRIEI OUTROS DOIS BLOGS PARA FALAR OS MEUS HOBBY. CROCHÊ E COSTURA

http://dicadecosturadefifia.blogspot.it/

http://fifiacrocheta.blogspot.it/


BACIONE