Instagram

Seguidores

segunda-feira, novembro 19, 2012

MEMÓRIAS DE UMA SENHORINHA/ VIVENDO UM SONHO



Esta é a bela praia do Recreio dos Bandeirantes hoje: belos prédios, atraente orla com acolhedores  quiosques, ciclovia, um excelente calçadão e um mar transparente e exuberante.Mas não era esta a realidade daquela época: a praia era selvagem e quase deserta, os quiosques eram
Fonte  historiadabarra/Wordpress

  em número reduzido, cobertos por sapé, não se sonhava com ciclovias e muito menos calçadão.

E nossa amiguinha, junto com os irmãos e os filhos, adorava sair de bicicleta explorando a região.E, aos domingos passear no Pontal, onde um grande restaurante debruçado sobre o mar os esperava.
 
Era o point da época e o camarão servido lá era incomparável, indescritível, um verdadeiro prato dos deuses.

.....................................................................................................


E as duas, ela e a irmã, saiam todas as manhãs para comprar queijo em uma fazenda e respirarem o ar puro, perto das vacas, dos bezerrinhos e dos cabritos...uma fazenda em pleno Recreio dos Bandeirantes, de um senhor chamado Pascoal, um idealista e romântico personagem, um Dom Quixote, sem Sancho Pança e sem Dulcinéia...sem moinhos também, tendo o progresso como o seu único inimigo, contra quem sua espada  não conseguiria êxito...
Visitavam também  as regiões vizinhas, Pedra de Guaratiba, Barra de Guaratiba e Grumari, pequenos bairros de uma enorme poesia e beleza. Atualmente a região é famosa até no exterior, mas na época eram pequeninas aldeias de pescadores

 Notícias de Guaratiba  Fonte:Portal de Guaratiba
 
Site Holandês fala de Guaratiba.
Medium4You - mídia Holandesa destaca reportagem sobre Guaratiba.
Pedra de Guaratiba   é uma "aldeia" de pescadores ao sul do Rio de Janeiro que começa a despontar como uma alternativa de estância de férias. Situada na Baía de Sepetiba com água do mar sem ondas e um local tranqüilo, nos últimos anos surgiu como verdadeiro centro gastronômico onde muitos restaurantes servem os mais deliciosos peixes e mariscos frescos. Vários desses restaurantes estão localizados principalmente em Guaratiba, na estrada que vai ao Recreio passando por serras e pela praia virgem do Grumari. Barra de Guaratiba é uma pequena comunidade com uma praia popular (que é visitada principalmente por brasileiros).

De resto, Pedra de Guaratiba é perturbada apenas pelo mercado que anima a noite de sexta-feira, sábado e domingo na praça da "aldeia". A 'Estrada da Capoeira Grande' oferece uma grande quantidade de verde de ambos os lados, então nós podemos ir certeiros na direção de Barra de Guaratiba através das belas montanhas da Mata Atlântica. No caminho, existem muitos restaurantes de peixe. Dos restaurantes mais altos vê-se os manguezais e o impressionante branco de areia no domínio militar. Igualmente belo pôr-do-sol sobre o cais de madeira de Pedra de Guaratiba, um desafio para os fotógrafos. Perto da área protegida temos a Praia da Brisa. Além disso, é bom caminhar junto ao mar numa faixa de areia fina branca, olhando para o bombeamento de água pelos moinhos dos quiosques onde as pessoas podem relaxar e desfrutar de uma bebida. Ainda são poucos os hotéis e pousadas na região (apenas na Barra de Guaratiba). A subida dos preços imobiliários na área é um sinal claro de que isto não será por muito tempo.
O portal traduziu a reportagem como aparece no site Holandês, abaixo colocamos o link para o Site.

Pedra de Guaratiba
No caminho para Barra de Guaratiba vislumbramos os belos manguezais e o acesso a uma zona militar fechada com praias de cor branca como a neve onde o público não tem acesso. Pedra de Guaratiba não tem praias, devido à falta de mar com ondas. Há um belo cais de madeira onde é bom andar e apreciar os muitos pequenos barcos de pesca onde garças brancas e outros parentes buscam alguns peixes. A "aldeia" tem crescido nas últimas décadas como Centro de artistas com vários workshops, e um lugar onde ecologia, lazer e turismo andam de mãos dadas. Uma atração é a 'Capela da Nossa Senhora do Desterro' (foto), datados de 1626 e uma das mais antigas igrejas do Estado do Rio de Janeiro.

.....................................................................................................................................................................

E assim corriam os dias,sob o manto diáfano da fantasia e sob o prisma de duas românticas inveteradas que em tudo viam lirismo, encantos e sonhos...viviam uma utopia? Creio que não, eram jovens e idealistas, em uma simples casinha de madeira vislumbravam um castelo, em uma praia deserta o próprio Paraíso e em uma estrada rodeada de mato, uma Via Láctea.
 .....................................................................................................

A volta para casa era uma aventura...passavam pela Reserva, extensa praia fechada por cercas de arame farpado...raros veículos cruzavam por eles e de uma feita o carro do pai esquentou e se negou a prosseguir...o pai ficou preocupado, pois a noite se aproximava e temia ficar neste local tão deserto com filhos e netos...e a esposa, lógico.
Após uma longa espera, surgiu um carro, um imponente Oldsmobile, conduzido por um motorista devidamente paramentado e com uma única passageira, uma elegante senhora finamente trajada. Gentilmente o motorista parou o carro e se prontificou a levar as meninas e as crianças...o irmão, a mãe e o pai ficariam à espera do socorro, o guincho do Touring Club do Brasil, o qual seria acionado pelo prestimoso motorista.Chegaram em casa sãs e salvas, graças à gentileza daquela senhora que, morando em Ipanema, concordou que o "James" levasse as novas amiguinhas até o Catete...eram outros tempos, de uma generosidade e solidariedade que dificilmente se vê atualmente.

....................................................................................................   
 




Eu vou, mas na próxima semana estarei de volta.
                                    Bjssssssssssssssss

23 comentários:

✿ chica disse...

Leninha, nem sabes o quanto espero essas continuações... Adoro ler! E lembrar daqueles tempos. Fui olhar pra ver se não via nosso carro naquela foto...

Era muito legal mesmo e o carro do meu pai também esquentava e parava onde quer que fosse.Era aqueeeeeeeeeeeeeeeeela cena!!rs


Muito bom e já aguardo a próxima!! Outros tempos mesmo,não? beijos,linda semana,chica

Ivani disse...

Que delicia essa postagem leninha. Sabe que não conheço o Rio de janeiro?
Incrível não é? Um dia vou conhecer, está nos meus planos, penso que é uma cidade mesmo maravilhosa.
Mas essas fotos que voce postou e as historias que conta me deixam ainda mais curiosa. A Barra de Guaratiba, Recreio dos Bandeirantes, são nomes que ouço muito, sinônimo de beleza e prais limpas, mas nunca fui, por absoluta falta de oportunidade.Mas como disse, um dia vou!
Que beleza deve ter sido essa época para voce e seus filhos.
Passar as férias no Rio de Janeiro, na casa dos avós, isso não tem preço.
Aposto como eles amam passear por aí até hoje.
E aquilo que voce disse é verdade, sobre generosidade e educação.
Antigamente as pessoas eram mais solidárias.
Mas pensando bem Leninha, hoje é meio complicado ser tão solidário.
Os perigos estão em toda parte, infelizmente.
Meu pai também tinha carro refrigerado a água, que fervia, e era um problema danado quando se recusava a continuar andando.
Hoje a gente lembra disso sorrindo, mas passava-se cada apuro!
Continue amiga, continue, está deliciosos isso aqui, eu adoro.
um beijo com meu carinho.

ELAINE disse...

Leninha querida! Quantos cenários lindos, redecorados pelo tempo.... Quantas memórias! Adorei a postagem de hoje, como todas as outras também!Agradecendo sempre o carinho e comentário gentil! Também me desculpando por muitas vezes demorar para aparecer..... Está cada vez mais difícil visitar a “todos” como gostaria.... Tenho tentado alternar e demora.... Mas eu volto!....
Aproveitando pra desejar um Natal iluminado pelo brilho da Estrela de Belém! Que o amor do Cristo se faça sentir em todos os corações, abençoando todos os dias do ano vindouro!
Um início de semana de muita paz e alegria!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Moro em um Kinder Ovo disse...

Minhas férias também eram no Rio de Janeiro e a cada verão as novidades eram muitas.E fico imaginando como devia ser a Barra da Tijuca nesta época. Mas graças as suas memórias a gente vai relembrando e os tempos felizes estão de volta.

Dalva Rodrigues disse...

Bom dia Leninha, querida! O progresso trouxe tantas vantagens, mas destruiu muitos sonhos e Dom Quixotes...É a "evolução" humana.
Que delícia deviam ser esses passeios!!!

Ótimo feriado, beijos!

Mônica disse...

Dsculpe nao me lembro o que escrevi.
Mas sua história sobre a nossa cidade maravilhosa esta espetacular.
parece que estou vivendo os contos.
com carinho Monica

Eloah disse...

Que beleza de memórias!Tempos bons. Éramos felizes na ingenuidade dos nossos sonhos.Divertíamos bem mais porque não vivíamos o medo e a insegurança dos tempos atuais.
Quanta saudades! Reviver é revigorar a alma e enfeitar a vida.Adoro viajar contigo pelo passado porque me identifico com alguns cenários e situações.
Brisas e flores para você.Bjs Eloah

Anônimo disse...

Mâezinha estavamos eu e Ana meio que perdidos no Shoping do Recreio, e ai, veio uma bondosa senhora que viu nossa aflicâo pois ja era tarde, e nos levou ate em casa. Nesta noite vimos que ainda existe gente bondosa, pois nâo a conheciamos e nos tratou comoirmâos

Élys disse...

Sempre que aqui venho ler estas memórias, a saudade se aproxima lembrando-me um tempo em que ainda vivia no Rio, me cidade natal.
Beijos.

manuela barroso disse...

Depois de te ler, além da alegria da tua mocidade vendo flores onde havia folhas secas, gozando liberdade de sair cortando ventos, convivendo com as brisas tão perto...o meu pensamento pousou aqui no agora! E hoje, Leninha?
Além da saudade- que sempre fica...-não mais a rebeldia de termos o mundo nosso em segurança como outrora...
Ler-te, provoca isto e muito mais!
Volta que já espero!
Aquele abraço ternurento Leninha

LUCONI disse...

Leninha estou muito atrasada em minhas leituras, hoje depois de muito tempo consegui um tempinho, sabe não tenho conseguido organizar o tempo, minha vida, depois da partida de meu Luiz, tudo se modificou e eu não consigo acompanhar. Mas vim correndo te ler, adoro ler os capítulos desta bela história, viajo com tuas palavras e como sempre me fazem um grande bem, beijos Luconi

SOL da Esteva disse...

As paisagens mudam com os tempos. Para quem não as conheceu antes, acham-nas muito melhores e mais atractivas.
Na verdade, a Natureza um tanto mais rústica, transporta-nos a Memórias do que já não veremos mais.
Para mim, o sossego de antes sobrepor-se-ia ás comodidades de hoje.
Belas lembranças. Quem dera!...


Beijos


SOL

lis disse...

Oi Leninha
Nem imagina o quanto é bom voltar ao passado lendo os sonhos que viveu e os encantos por onde andou,
uma cidade que continua linda apesar dos pesares nrs
e a saudade dos tempos idos fatalmente surge mas reviva a memóriia e esquenta o coração.
fica bem/meu abraço grande

Calu disse...

Leninha, minha doce senhorinha,

cada capítulo de tuas memórias me leva ao tempo em que a vida era mais saboreada.Os sonhos mais simples e verdadeiros, as relações mais generosas.
Todas estas postagens e imagens vão virar um livro, né?
Adoro passear contigo por estes tempos guardados na memória.

Tive duas semanas bem agitadas por movimentos do dia-a-dia, o que me dificultou fazer as visitas com regularidade.

Vamos marcar um bom papo na cozinha da fazenda e lá ficar até o galo cantar,kkkkkk Será uma alegria só!
Bjos e bom fim de semana.
Calu

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

E eis que faço uma "pausa" na net, por quase i mês e, ao retornar preciso "recuperar" três maravilhosos capítulos memorialistas de uma certa senhorinha.
Recuei no tempo e fui me inteirando de cada acontecimento. O cenário, no Rio de Janeiro conheci mais u menos da época dos acontecimentos. O Recreio dos Bandeirantes, Grumari,Guaratiba...eram mesmo com aldeias.
Foi muito bom, voltar no tempo. Bateu saudades.
Obrigada, Leninha. Continuo seguindo o seu belo relato.

Bom final de semana.
Beijos,
da Lúcia

MARIA DA FONTE disse...

Lindo e muito bem escrito. Que vontade de ir até ao Brasil! beijinhos

lenalima disse...

olá !! coisa boa de te ler...
o Rio continua lindo , mas naquela época tinha mais sabor!
Conheço muito pouco o Rio, apenas os pontos turísticos e onde minha cunhada mora, Jacarepaguá.
boa semana! bjss

#*Marly Bastos*# disse...

Leninha sua história é sempre enriquecedora,mesclando casos com os costumes daquela epoca e e as fotos nos encantam e junto com seu relado nos translada para o tempo da senhorinha mesmo.
Lindo.
Bjks doces e boa semana

Arione Torres disse...

Oi Leninha querida, que lindo! Que tempos maravilhosos ein?
Tenha uma linda semana, bjs!

Beatriz Bragança disse...

Sabe? Quando a leio, recuo no tempo e imagino-me a seguir os folhetins que os jornais publicavam diariamente. Só que a realidade, na maior parte das vezes, é muito mais interessante do que a ficção.Eu tenho a grande oportunidade de receber uma parte de todo esse imenso potencial de bem que se armazena no seu coração.
Bom fim de semana com um abraço da
Beatriz

Severa Cabral(escritora) disse...

Minha linda senhorinha !!!!
Como vc sabe conduzir um tempo passado e cheios de memorias boas...sabias que fico sempre com água na boca ao ler lindas histórias contadas por vc...ganha a graça de um tempo real.Imagens radiantes que faz da tua história uma vivência tão real que parece-me que foi o ano passado que vivestes tudo isso...
bjsssssssssssss

Renata Guidinha disse...

Ô Leninha de Deus, como é bom estar aqui! Demorei, pois queria vir sem pressa... Por incrível que pareça, só retorno a visitar os blogs hoje, por todo esse tempo ter estado com a casa muito movimentada. Nesse momento está havendo uma pausa (não sei de quantas horas,rsrsrs)e corri pra me deliciar na blogosfera.
Acho fantática toda a sua narrativa e fico a imaginar todas as cenas. No final acho até engraçado, pois acabo sentindo saudade do que não vivi, já que mergulho na cena sem nunca ter feito parte dela. Deixa quieto que isso é maluquice da criatura aqui... Hoje a gente passa por toda aquela região e não tem a mínima noção de como eram as coisas antes. Ainda bem que tem uma Senhorinha maravilhosa registrando suas vivências e trazendo pra nós, todo o encantamento da época. Nem preciso dizer que adorei, né?
Bjks

pensandoemfamilia disse...

Belas memórias e lindas paisagens. Grata pela linda partilha. bjs