Instagram

Seguidores

quinta-feira, fevereiro 23, 2012

MINHAS MEMÓRIAS DE MENINA







E nossa


 menina está radiante de felicidade,morando na Rua São Pedro,perto de várias coleguinhas de sala de aula,convivendo com elas e suas famílias,conhecendo várias outras pessoas,alegres companhias para os folguedos e brincadeiras de fim de tarde,após o banho e o jantar.E eram muitas amigas a se reunir para as rodas enormes,para o pique de esconder,as queimadas,chicotinho queimado,passar anel e muitas outras que não me vem à memória...e às nove horas as mães começavam a chamar e todas, obedientemente,se recolhiam às suas casas,sem retrucar e sem reclamar.Ainda não havia televisão,somente o rádio,centro das atrações,com suas novelas e séries:
 Em 12 de julho de 1941, às 10h30, teve início ‘Em busca da felicidade’,primeira radionovela transmitida no país, através da Rádio Nacional do Rio de Janeiro. A obra mexicana foi escrita por Leandro Blanco, com adaptação de Gilberto Martins. Seus capítulos ficaram no ar por aproximadamente três anos.Após seu término, começou a cubana ‘O direito de nascer’, que foi a principal radionovela do Brasil.
 Outra novela que fazia sucesso,Jerônimo, o Herói do Sertão,era a preferida de nossa menina,trazia-lhe a lembrança do avô,seu herói da infância e uma recordação que a acompanharia por toda a sua vida...

O personagem Jerônimo, o Herói do Sertão, foi criado em 1953 por Moysés Weltman, como uma radionovela.

Enredo

Cerro Bravo, uma cidade do interior paulista, é dominada pelo Coronel Saturnino Bragança, rico fazendeiro que toma terras e obriga outros fazendeiros a entregarem suas propriedades, com a ajuda de seus capangas, alegando que suas escrituras são falsas. Todos temem o coronel, inclusive o prefeito. Por isso, apenas um misterioso cavaleiro escondido na mata é capaz de ajudar a população da cidade.
Esse cavaleiro é Jerônimo que, ao lado da noiva Aninha e do Moleque Saci, enfrenta as injustiças sociais, pondo os inimigos a correr a toque de bala.
No meio da história Jerônimo descobriu que o Coronel na verdade era membro de uma organização conhecida por "Mão Negra", cujo comandante só teria a identidade revelada no último episódio.

E seu mundo era povoado por estes personagens e mais,O Sombra ,,que logo no início tinha a voz grave de Jacy Ribeiro::-Quem sabe o mal que existe no coração do homem...(uma risada gutural)e em seguida:-O Sombra sabe.
E o suspense que arrepiava,mas era desejado por ela e por todas as amigas,assunto para o dia seguinte na hora do recreio.
Ah,o recreio...era o momento de colocar os assuntos em dia,de trocar ideias , de brincadeiras e jogos.Durava exatos trinta minutos,bem aproveitados por ela e pelas colegas.
E havia os cadernos de pensamentos e mensagens,os quais passavam de colega para colega,onde escreviam e descreviam as emoções mais íntimas,onde derramavam as ilusões e os sonhos...mas,quando uma das freiras os pegavam eram "sequestrados" e,muitas vezes não mais recuperados.
E os "ramalhetes espirituais", executados em papel de linho,finamente decorado com desenhos de anjos e serafins...e uma lista de sacrifícios e ofertas,que as aproximavam das mártires do cristianismo:
Penitências--------------- 12
Jaculatórias---------------50
Abstinências--------------20
Missas---------------------15
Sacrifícios-----------------20

E ia por aí afora esta lista,considerada por todas uma espécie de salvo conduto para o paraíso.
De manhã,ao chegarem ao colégio,havia um momento mágico:na capela,a oração em conjunto com o capelão,Pe Maximino,um encanto de pessoa,um santinho,sempre com uma palavra de carinho para cada uma das meninas...e a música,o incenso,um convite à reflexão e às orações.

        Meu pensamento acompanha a menina de tranças e ela cresce e resolve cortar os cabelos...caem por terra as madeixas e voam para bem distante os dias da meninice...
       Os sonhos continuam,mas as brincadeiras cedem lugar a um início de vaidade,o corpo começa a tomar forma e compra o seu primeiro soutien(era assim que se escrevia).
       Sua mãe deixa de costurar para ela,pois está muito exigente(se achando)e pede que procure uma costureira...seus vestidos rodados,godê franzido ou plissados,gastam de três a quatro metros de tecido...as anáguas são duas ou três,engomadas para ficarem bem armadas, as primeiras sandálias de salto,o primeiro baton e...o primeiro namorado.

          Mas ainda não falamos na irmã,esta merece todo um capítulo e o terá...daqui a exatamente uma semana.
     
             Eu vou,mas voltarei...aguardem.  

19 comentários:

✿ chica disse...

E deves voltar mesmo..Estamos adorando ver essa menina sapeca, crescendo, se achando e nem mais querendo os vestidos costurados pela mamãe...


beijos,chica

elvira carvalho disse...

Leve e graciosa esta forma de recordar o passado.
Um abraço e bom fim de semana

Mariazita disse...

Querida Leninha
Adorei este episódio!
Me revi no colégio de freiras, rezando as novenas, no recreio brincando com as colegas... enfim, coisas muito semelhantes às que vc aqui descreve.
Continuarei a acompanhar.

Bom fim de semana. Beijinhos

mfc disse...

Adorei ler tudo... mas aquelas condições para entrarmos no Paraíso... são demais!!
Beijinhos.

Arione Torres disse...

Oi Leninha, ótimo post!
Também sinto falta daquele tempo que eu era menina...
Tenha um ótimo final de semana, bjus...

Lucinha disse...

Leninha,

E muito sapequinha mesmo essa menina.
Volta logo com essa linda história de vida.

A menina já está ficando uma mocinha, e com certeza muitas história românticas conheceremos.

Beijos

nany disse...

ahh que época gostosa não vivi mais lembro da minha bisa relembrando momentos especias da infância, como a brincadeira de rua a qual você cita..
É eu estudei por muito tempo em colégio de freiras e não mudou muita coisa pelo que vejo...em sua historia.. infância é tudo de bom !!!

beijos e bom sábado!!

Su disse...

aaahhhh... estava tão envolvida na história dessa menina lindinha de tranças que quando vi já era o final desse capítulo, quero mais! Leninha, minha doce amiga, que lindas lembranças e assim retratadas em meio a nossa história, nem me lembrava das novelas no rádio, que belo resgate você nos trouxe aqui. E essas brincadeiras todas, saudáveis que hoje quase não se vê mais. Esse caderninho de "segredos", ameiiii, queria ter tido um e ter guardado até hoje para reler e reler... Essa menina que está virando uma mocinha é um encanto, fico imaginando esses vestidos, meu Deus quanto tecido!!!rs... Mas eram de uma beleza e delicadeza sem fim... Enfim, fico aqui aguardando a continuação... E adorei sua bicicleta cor de rosa no final, essa imagem foi simplesmente perfeita!

Beijos gigantes no seu coração!

Su.

manuela barroso disse...

Pois é minha querida Leninha...os teus caracóis começam a ter os dias contados e dão lugar a cabelos atrevidos respondendo aos ventos invejosos de ti!
Mas agora começa um capítulo deveras empolgante! Que virá a seguir? E também a história da tua mana?
Vou torcer para que tenhas tanta pressa como eu...
Um grande abraço, leninha querida

Ange disse...

Leninha, boa tarde Amiga!
Nossa, andas viajando fundo nas memórias!
Ah, confesso que o horário do recreio sempre foram umas das minhas lembranças mais felizes do meu tempo escolar.
Volta logo com o capítulo sobre a irmã!
Um lindo domingo para você!
Abraços e lembranças
Ange.

SOL da Esteva disse...

Leninha, Querida

Estás a crescer e isso é como fogo na savana.
Mas, o teu contar é que está a ficar fogo.
Esperamos o próximo episódio. Não vale meter publicidade para fazer crescer o Relato.
Adorável!...

Beijos

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Sheila do Blog Passarinhos no Telhado disse...

Adoro tuas histórias! Passando para te deixar um grande beijo e te desejar um ótimo início de semana!
bejos! :)

Anne Lieri disse...

Leninha,que romance mais lindo está postando nesse blog!Guarde para um livro,está bem interessante!Bjs e boa semana!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Essa menina, é minha contemporânea, passou e viu coisas bem semelhantes. Ah! Jerônimo, o Herói do Sertão! Vejo-me menina, de ouvido pregado no radio, junto ao papai (que também adorava) e irmãos, no início da noite, que passa-tempo delicioso.

Esse recordar é um encanto, Leninha querida. Que presente adorável, está a nos propiciar...Obrigada!

Faço um convite para ir apreciar um belo conto do um meu tio-avô...lá na Cadeirinha...
Beijos, boa semana!

ValeriaC disse...

Um delícia te ler minha querida, vou viajando, passeando no tempo te lendo, sigo te acompanhando...
Beijinhos e ótima semana Leninha...
Valéria

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Oi Leninha!
Muito gostoso passar aqui e conhecer mais um pouquinho de você.
Adorei a descrição tão detalhada e caprichada.
abração com carinho

manuela barroso disse...

Nossa Leninha, o teu blog agora voaaaa!
Eu que estava à espera...não deu tempo!
Aqui, sentada, à tua espera, para te dizer que te quero dar um abraço!
Só!
:))))))

Toninhobira disse...

Nada melhor que estar nesta viagem com voce e sentir tudo como se fosse hoje. Tempo bom amiga.Saudades sempre.
Um abração mineiro pra voce.
Beijo.
Tudo de bom na vida e muita saude a voce.

Amapola disse...

Eu adorava o "Jerônimo", achava lindo o godê dos vestidos e saias, o batom vermelho...
Acreditava que os contos de fada valiam para todas as gatas borralheiras.

Beijos.