Instagram

Seguidores

terça-feira, julho 19, 2011

DE SÔNIA HIRSCH ---------- BOCA FELIZ __ COMER É BOM E EU GOSTO

Ninguém precisa ser naturalista para melhorar a alimentação.
Mas, afinal, o que é um naturalista?
Antigamente chamavam assim as pessoas que iam viver nas ilhas: todo mundo pelado no meio da natureza, tomando banho de sol e de chuva, comendo fruta, observando passarinhos e convivendo com as cobras numa boa. Mas essa moda não pegou, e hoje em dia naturalista é principalmente quem come comida natural.
E o que é comida natural? Existe alguma comida que não seja natural?De uma forma ou de outra, tudo é tirado da natureza. Até o plástico, que vem do petróleo, que por sua vez vem lá do fundo da terra, pode ser considerado natural. No entanto, o plástico não se desmancha de novo na terra; não é como a madeira, a casca de banana ou o corpo da gente que vieram do pó e ao pó voltarão; podem se passar anos que o plástico ainda estará do mesmo jeito.
Existem comidas que são como o plástico — não se desmancham dentro do corpo, não se misturam com a nossa natureza de uma forma normal. Então, aqui e ali começam a aparecer os montinhos de lixo que a gente comeu. Em volta deles vão se instalando as bactérias, os vírus e os micróbios, e dali a pouco tudo já virou bagunça, ou seja: doença.
Quer dizer: certas comidas agridem a nossa natureza, enquanto outras se integram ao nosso corpo de uma forma completamente natural. Por isso é que se fala comida natural.
Por exemplo, a dona Maria, lá daquele lugarejo do sul de Minas, come comida natural. O feijão vem da roça do Bento, o arroz quem traz é dona Fujiko, o milho e o aipim e as verduras são ali do quintal mesmo e as frutas aparecem conforme Deus vai dando: banana, laranja, tangerina, jaca, mamão, jabuticaba, abacate, cada qual na sua estação. Os ovos também são do quintal, postos todo dia pelas galinhas que têm até nome. E se acontece de comer um frango, um leitão, um cabrito ou uma carne de vaca, todo mundo sabe que o animal era bem tratado e sem nenhuma doença.Dona Maria tem uma saúde de ferro.
Muito longe de Minas, lá nas bandas do Maranhão, seu Ribamar também come comida natural: é um peixe, uma caça, um milho, uma farinha de mandioca, um óleo de coco babaçu, umas folhas de vinagreira cozidas só no bafo da panela, muita castanha-do-pará, banana, coco e todas as frutas que Deus também dá por lá. Seu Ribamar é outro que tem saúde de ferro.
Agora: o filho da dona Maria e a filha do seu Ribamar, que foram atrás de outra vida na cidade grande, não comem comida natural, não. Porque na cidade nada é colhido ou criado, tudo é comprado no supermercado, enlatado, empacotado, congelado, superconservado, já vem preparado, já vem temperado, já vem salgado e adoçado que é pro freguês ficar bem acostumado... Então eles comem é muita lataria, refrigerante, salsicha, quitute, macarrão com molho pronto, pão com margarina, doce, biscoito, café com leite. Sabem que não é uma comida forte, mas vão comendo assim mesmo.A saúde deles é muito fraca. Sentem dor de cabeça, acordam cansados, se irritam com facilidade, volta e meia estão com gripe. A filha do seu Ribamar tem prisão de ventre e está engordando muito, o filho da dona Maria sente uma queimação no estômago que parece úlcera. E Júnior, o herdeiro, que só tem três anos, vive dando entrada no hospital por causa de asma.
Nós somos o que comemos. Assim como uma árvore precisa de terra boa para crescer e dar frutos, gente precisa de alimentos bons para ser feliz.O filho da dona Maria e a filha do seu Ribamar não percebem que a comida fraca está sabotando todo o seu sonho de felicidade.E você, como é? Já parou pra pensar se a sua comida está ajudando ou atrapalhando você?
brocas

6 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Também gosto. Adoro comer, e bem, e de tudo.
Há uns 40, 50 anos...comia-se bem melhor. Depois que inventaram o tal super-mercado ( que no Ceará é Mercantil), a coisa degringolou rsrsrs. Que é prático, é, mas a saúde é quem perde. Principalmente, quem mora em metrópole, capital,
como eu. Mas eu dou o meu jeitinho: vou ao mercado do japonês e compro legumes e frutas sem agrotóxico (diz o japonês, eu acredito). A carne , o frango e o peixe escolho os de bons aspectos....
Sinto-me uma "boca feliz"!

Boa matéria, Leninhamiga.
Um beijo

manuela barroso disse...

Leninha...tou tentando...

manuela barroso disse...

Olha Leninha...achei!!!RS!

Ás vezes dá outras não! E é assim...abro o mail, depois minimizo, deixo "no forno" a aquecer e záz! apanho-te! kkkk
Eh, minha amiga...que sufoco!
Bem, mas falando de comida...eu gosto de tudo! Mas Vegetais, legumonosas são a minha grande perdição!. Adoro feijão, todo o tipo...A questão é comer de tudo um pouco sem exagero.O pior é que temos das melhores cozinhas Leninha e isto não é a brincar!As vossas especialidades já chegaram aqui e então casadas com as nossas...nossa!..
Mas chega de cozinha!
Antes que perca a embalagem vou pôr a seguir o coment que não seguiu
Beijiiiiiiiiiiiiiiiiiiiis

manuela barroso disse...

Gatinha...Gatinhos...
Olá iLeninha, minha querida!
E há coisa mais fofinha que um gato? E mais carinhosa? Bem...vamos pensar nos nossos fieis amigos! Mas os gatos...que inveja , minha querida! Sem tempo, sem pressas...Sabes uma coisa? Só lhes faz falta uns scones...para um chá! Pois têm todo o tempo do mundo!
Ah! e um abraço...mas esse é para ti!
Bjis
CONSEGUI!!!!!!!!!!!!!
bjiiiiiiiiiiii

✿ chica disse...

Leninha,

Passei voando, com as asinhas batendo, pra te agradecer o carinho e deixar um beijo,chica

mfc disse...

Andamos a envenenarmo-nos alegremente!