Instagram

Seguidores

segunda-feira, maio 16, 2011

POLITICAMENTE CORRETO

O CRAVO NÃO BRIGOU COM A ROSA

Texto de Luiz Antônio Simas

Chegamos ao limite da insanidade da onda do politicamente correto.

Soube dia desses que as crianças, nas creches e escolas, não cantam mais O cravo brigou com a rosa. A explicação da professora do filho de um camarada foi comovente: a briga entre o cravo - o homem - e a rosa - a mulher - estimula a violência entre os casais. Na nova letra "o cravo encontrou a rosa debaixo de uma sacada/o cravo ficou feliz /e a rosa ficou encantada".

Que diabos é isso? O próximo passo é enquadrar o cravo na Lei Maria da Penha.
Será que esses doidos sabem que O cravo brigou com a rosa faz parte de uma suíte de 16 peças que Villa Lobos criou a partir de temas recolhidos no folclore brasileiro?

É Villa Lobos, cacete!

Outra música infantil que mudou de letra foi Samba Lelê. Na versão da minha infância o negócio era o seguinte: Samba Lelê tá doente/ Tá com a cabeça quebrada/ Samba Lelê precisava/ É de umas boas palmadas. A palmada na bunda está proibida. Incita a violência contra a menina Lelê. A tia do maternal agora ensina assim: Samba Lelê tá doente/ Com uma febre malvada/ Assim que a febre passar/ A Lelê vai estudar.

Se eu fosse a Lelê, com uma versão dessas, torcia pra febre não passar nunca. Os amigos sabem de quem é Samba Lelê? Villa Lobos de novo. Podiam até registrar a parceria. Ficaria assim: Samba Lelê, de Heitor Villa Lobos e Tia Nilda do Jardim Escola Criança Feliz.

Comunico também que não se pode mais atirar o pau no gato, já que a música desperta nas crianças o desejo de maltratar os bichinhos. Quem entra na roda dança, nos dias atuais, não pode mais ter sete namorados para se casar com um. Sete namorados é coisa de menina fácil.
Ninguém mais é pobre ou rico de marré-de-si, para não despertar na garotada o sentido da desigualdade social entre os homens.

4 comentários:

manuela barroso disse...

Mas não é que até educação é educadamente deturpada?
Novos tempos...mentes brilhantes!

abraço Leninha!
Aqui encontra-se tudo! Nada como vir ao encontro do canto dos "encantos"!

Scheila Jacobs disse...

Oi amiga querida.
Tem selinho no blogito pra você.
Bjus

SOL da Esteva disse...

Leninha

Pois é pelo princípio que as coisas deveriam começar.
O Cravo, como a Rosa, deveriam, primeiro, tornarem-se flores, antes de serem "bouquet".
Claro que dois botões (de rosa e cravo) jamais farão o raminho, né?
Este Politicamente correcto, ao contrário de Formar Cravos e Rosas, vulgariza e desvaloriza a dignidade de qualquer ser; neste caso, as Flores que deveriam ser parte de um Ramo uno.

Pois!...

Beijo
SOL da Esteva

http://acordarsonhando.blogspot.com/

Nikita Roraima disse...

Oi Leninha obrigada pela visita, vim te responder e adorei essa postagem. Como até pouco tempo eu leciona em jardim de infância, eu sei bem dessa história ai. Quer que eu te fale uma verdade? Acho ridículo!!! Na nossa infância cantávamos isso e nem por isso atirei pau em gato, peguei uma rosa e fiz brigar com um cravo, ou pensei que isso queria representar um homem e uma mulher na vida real. A do samba lelê desconhecia, ainda bem, pq eu nem gostaria de cantar isso com meus alunos. Acho tão bom relembrar da minha infância e sei que as palmadas de mamãe me tornaram o que eu sou hoje. Muita coisa tem mudado, na minha concepção pra pior e nada tem haver com essas canções. Agora te respondendo minha flor, eu sou amadora e curiosa, tenho postado bastante dicas no blog para ajudar as amigas a deixarem o cantinho bem fofo. Tô colocando o que é mais fácil, o que eu acho dificil eu nem coloco. Busque dicas lá que vc vai achar, qq coisa me mande um e-mail, tem um formulário onde vc pode enviar e-mail direto do meu blog, bjos.